O Princípio do Vácuo

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Você tem o hábito de juntar objetos inúteis no momento, acreditando que um dia (nem sabe quando) poderá precisar deles? Você tem o hábito de juntar dinheiro só para não gastá-lo, pois no futuro poderá fazer falta? Você tem o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outros tipos de equipamentos que já não usa há um bom tempo?
E dentro de você? Você tem o hábito de guardar mágoas, ressentimentos, raivas e medos?
Não faça isso. É anti-prosperidade. É preciso criar um espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem em sua vida. É preciso eliminar o que é inútil em você e na sua vida, para que a prosperidade venha. É a força desse vazio que absorverá e atrairá tudo o que você almeja. Enquanto você estiver material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades.
Os bens precisam circular. Limpe as gavetas, os guarda-roupas, o quartinho lá do fundo, a garagem. Dê o que você não usa mais. Venda, troque, movimente e não acumule. Dê espaço para o novo. Não estamos falando de capitalismo  ou consumismo.
A atitude de guardar um monte de coisas inúteis amarra sua vida. Não são os objetos guardados que emperram sua vida, mas o significado da atitude de guardar. Quando se guarda, considera-se a possibilidade da falta, da carência. É acreditar que amanhã poderá faltar, e você não terá meios de prover suas necessidades.
Com essa postura, você está enviando duas mensagens para o seu cérebro e para a vida:
  1. Você não confia no amanhã!
  2. Você acredita que o novo e o melhor não são para você, já que se contenta em guardar coisas velhas e inúteis.
O princípio de não acreditar que o melhor é para você, pode se manifestar, por exemplo, na conservação de um velho e inútil liquidificador. Esse princípio, expresso num objeto, denota um comportamento que pode também estar presente em outras áreas da sua vida, gerando entraves ao sucesso e à prosperidade. O simples fato de dar para alguém o velho liquidificador, colocando o objeto em circulação, cria um vácuo para que algo melhor ocupe o espaço deixado. Emocionalmente, também. Você passa a acreditar que o novo compensará o objeto doado.
Gente, uma faxina básica, apesar da trabalheira e do cansaço que provoca, ao final é sempre bem-vinda. Arejar espaços, fora e dentro da gente faz um bem enorme! Vamos lá ... Mãos à obra! Desfaça-se do que perdeu a cor e o brilho e deixe entrar o novo em sua casa e dentro de você!
por Luiz Antônio Gasparetto.

Substantivo

Adeus:
É quando o coração que parte deixa a metade com quem fica.
Amigo:
É alguém que fica para ajudar quando todo mundo se afasta.
Amor ao próximo:
É quando o estranho passa a ser o amigo que ainda não abraçamos.
Caridade:
É quando a gente está com fome, só tem uma bolacha e reparte.
Carinho:
É quando a gente não encontra nenhuma palavra parra expressar o que sente e fala com as mâos, colocando o afago em cada dedo.
Ciúme:
É quando o coração fica apertado porque não confia em si mesmo.
Cordialidade:
É quando amamos muito uma pessoa e tratamos todo mundo da maneira que a tratamos.
Doutrinação:
É quando a gente conversa com o Espírito colocando o coração em cada palavra.
Entendimento:
É quando um velhinho caminha devagar na nossa frente e a gente estando apressado não reclama.
Evangelho:
É um livro que só se lê bem com o coração.
Evolução:
É quando a gente está lá na frente e sente vontade de buscar quem ficou para trás.
Fé:
É quando a gente diz que vai escalar um Everest e o coração já o considera feito.
Filhos:
É quando Deus entrega uma jóia em nossa mão e recomenda cuidá-lá.
Fome:
É quando o estômago manda um pedido para a boca e ela silencia.
Inimizade:
É quando a gente empurra a linha do afeto para bem distante.
Inveja:
É quando a gente ainda não descobriu que pode ser mais e melhor do que o outro.
Lágrima:
É quando o coração pede aos olhos que falem por ele.
Lealdade:
É quando a gente prefere morrer que trair a quem ama.
Mágoa:
É um espinho que a gente colocano coração e se esquece de retirar.
Maldade:
É quando arrancamos as asas do anjo que deverámos ser.
Netos:
É quando Deus tem pena dos avós e manda anjos para alegrá-los.
Ódio:
É quando plantamos trigo o ano todo e estando os pendões maduros a gente queima tudo em um dia.
Orgulho:
É quando a gente é uma formiga e quer convencer os outros de que é um elefante.
Paz:
É o prêmio de quem cumpre honestamente o dever.
Perdão:
É uma alegria que a gente se dá e que pensava que jamis teria.
Perfume:
É quando mesmo de olhos fechados a gente reconhece quem nos faz feliz.
Pessimismo:
É quando a gente perde a capacidade de ver em cores.
Preguiça:
É quando entra vírus na coragem e ela adoece.
Raiva:
É quando colocamos uma muralha no caminho da paz.
Saudade:
É estando longe, sentir vontade de voar, e estando perto, querer parar o tempo.
Sexo:
É quando a gente ama tanto que tem vontade de morar dentro do outro.
Simplicidade:
É o comportamento de quem começa a ser sábio.
Sinceridade:
É quando nos expressamos como se o outro estivesse do outro lado do espelho.
Solidão:
É quando estamos cercados por pessoas, mas o coração não vê ninguém por perto.
Supérfluo:
É quando a nossa sede precisa de um gole de aguá e a gente pede um rio inteiro.
Ternura:
É quando alguém nos olha e os olhos brilham como duas estrelas.
Vaidade:
É quando a gente abdica da nossa essência por outra, geralmente pior.
Luiz Gonzaga Pinheiro, “O Homem que Veio da Sombra”.

Futuro

terça-feira, 29 de junho de 2010

Estamos sempre pensando em termos do futuro. Pare de pensar no futuro: essa é uma forma de prolongar a vida da mente, de alimentá-la. O futuro é o alimento da mente.
A partir do momento em que você se decidir pelo presente, a mente terá começado a morrer. É o início do fim, o fim da mente.
E o fim dela é o início de sua existência real, de sua vida real. 
Osho, em “Osho de A a Z: Um Dicionário Espiritual do Aqui e Agora”.

Como ouvir sua criança

LIÇÃO N. 3:

Se você já escapou da gaiola do tempo e esta cheio de coragem para assumir riscos, já pode tentar esta lição avançada.

É HORA DE VIRAR CAÇADOR DE SENTIMENTOS!

Os sentimentos são como bichinhos assustados em uma floresta, que fogem toda vez que fazemos barulho demais. Eles fogem do barulho dos nossos pensamentos, fogem das críticas, dos certos e errados, dos julgamentos.

Para caçar sentimentos, você tem de aprender a chegar de mansinho na floresta, a olhar de verdade para dentro, sem medo do que vai encontrar. Tem de ser amoroso com você mesmo, se tornar mais atento, tem de aprender a pedir conselhos ao senhor do tambor: o coração.

Este bolo está uma delícia!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Ouvi falar sobre um velho monge zen:
Ele estava em seu leito de morte. Seu último dia chegara e ele declarou que naquela noite não estaria mais ali. Então seus seguidores, discípulos e amigos começaram a vir. Havia muitas pessoas que o amavam, todas elas começaram a chegar; pessoas chegavam de todos os lugares.
Um dos seus discípulos mais antigos, quando ouviu que o Mestre ia morrer, correu para o mercado. Alguém perguntou:
— O Mestre está morrendo em sua cabana e você está indo ao mercado?
— Eu sei que meu Mestre adora um certo tipo de bolo — respondeu o discípulo. — Então estou indo comprar o bolo.
Foi difícil encontrar o bolo. Mas à noite, quando finalmente conseguiu, ele saiu correndo com a guloseima na mão.
Todo mundo estava preocupado — era como se o Mestre estivesse esperando por alguém. Ele abria os olhos, olhava em volta e os fechava novamente. Quando o discípulo chegou, ele disse:
— Bem, então você chegou. Onde está o bolo?
O discípulo mostrou o bolo, muito contente pelo mestre ter perguntado dele.
Nos estertores da morte, o mestre pegou o bolo na mão... mas a mão não tremia... Ele era muito velho, mas a mão dele não tremia. Então alguém perguntou:
— O senhor é muito idoso e está à beira da morte. O último suspiro logo o levará, mas sua mão não treme.
— Eu nunca tremo — respondeu o Mestre —, pois não existe medo. Meu corpo ficou velho, mas eu ainda sou jovem, e permaneço jovem mesmo quando o meu corpo está morrendo.
Então o Mestre deu uma mordida no bolo e começou a mastigar ruidosamente. E então alguém perguntou:
— Qual é a sua última mensagem, Mestre? O senhor nos deixará em breve. O que gostaria de nos lembrar?
O Mestre sorriu e disse:
Ah, este bolo está uma delícia!
Este é um homem que vive no aqui e agora. Este bolo está uma delícia. Mesmo a morte é irrelevante. O instante a seguir é destituído de significado. Este momento, este bolo está delicioso.
Se você consegue ficar neste momento, neste exato momento, neste presente, na plenitude, então você só pode amar.
Osho, em "Coragem: O Prazer de Viver Perigosamente".

Como ouvir sua criança

LIÇÃO N. 2:

Preste bem atenção, porque esta parte é bem difícil:

- VOCÊ TEM DE TER A CORAGEM DE ARRISCAR!

Arriscar dar um sorriso e ser chamado de bobo, arriscado andar descalço na grama e levar picada de formiga no pé, arriscar sair sob a chuva e ter de subir todo molhado num elevador cheio de gente.

Tem de arriscar palavras simples, uma nova cor, sair da rotina, um gesto de amor.

Como ouvir sua criança

domingo, 27 de junho de 2010

Muitos adultos já ficaram surdos e já não ouvem sua criança.
Eu preciso que você ouça minha voz, converse comigo de novo…

EU TENHO TANTA COISA PARA TE DIZER!

Se você já não souber como me ouvir, vou tentar ajudar, mas já vou avisando…
… meus métodos são mais simples. São simples porque eu sou a criança que ainda vive dentro de você e eu não sei fazer coisas complicadas.


LIÇÃO N. 1:

Para começar, você precisa fazer as pazes com o tempo!

Para mim, é difícil falar com alguém assim tão ocupado como você, sempre correndo, atrapalhado, atrasado, cansado…

Será que não dá para reservar um tempinho para mim? Um tempo para respirar fundo de vez em quando e se lembrar de quem você é de verdade; um tempo para olhar pela janela, para se deitar no sofá e sonhar acordado. 
Eu quero tanto sonhar com você…

Faça de hoje seu dia de libertação

sábado, 26 de junho de 2010

Na vida, está tudo bom, de verdade, para quem quer crer nisso. Quem quer ficar bem procura uma maneira e sempre encontra, porque a vida é muito generosa. A gente começa a dizer "Está tudo bem". Vai se impressionando, entrando nisso e vai ficando bem. Se eu digo "Está tudo bom" e você fala "Não está, não!", você está confirmando a maldade na sua vida, está reforçando o mal e está perpetuando esse tipo de situação em você. Pois, enquanto você não mudar por dentro, na sua atitude, as coisas de fora não vão mudar. 
Se o princípio é esse, então, que seja hoje o seu início no bem, dizendo "Está tudo bem! Tem que estar bom mesmo, porque eu estou no bem, porque eu sou bom e mais nada me interessa neste mundo. Só me interessa a beleza, as coisas boas e fáceis; só me interessa o que é bom, pois, de resto, não me impressiona a loucura do mundo, o que o mundo está acreditando, vivendo, realizando. O mundo está na confusão, mas tem gente que está que nem eu. Está tudo bom, está no bem e está indo para a frente com saúde, com amor, com dinheiro, com oportunidades, com tudo, enfim. Portanto, estou começando hoje um mundo novo".
Podemos transformar esse momento em algo verdadeiramente especial! Em um momento em que você inventa ser especial. Ah, inventei que neste momento agora a minha vida vai virar inteirinha de ponta-cabeça. Também tudo é inventado. Como eu sou Deus e como sou criador também, então estou criando um momento novo. O meu momento agora é significativo. Eu invento a vida, invento esse momento do meu renascimento, da grande virada da minha vida. 
Eu estou virando. Olha, não aceito mais sofrimento nenhum, nenhum, nenhum. Tudo o que é sofrimento vem das minhas crenças negativas, vem das bobagens em que acreditei. Então, não dou mais força para bobagem nenhuma, para as besteiras do mundo, de ficar me defendendo. Só se defende quem tem o rabo preso e eu não tenho mais rabo preso nenhum, porque não estou pensando em nenhuma besteira.
Agora vou ficar só no bem. Agora estou tomando esta atitude. Amanhã é amanhã, sei lá do amanhã. Não quero me amedrontar com o tempo, porque sou eterno. Estou corajoso, estou firme! 
Olhe, minha gente, se não há felicidade, não vale a pena viver.  
Calunga,“Tudo pelo melhor”.

Intelectualidade não é inteligência

sexta-feira, 25 de junho de 2010


Saiba que intelectualidade não é inteligência. Ser intelectual é ser falso, é fingir ser inteligente. A intelectualidade não é real porque não é sua, mas emprestada.
Inteligência é o crescimento da consciência interior. Ela nada tem a ver com conhecimento, mas algo a ver com meditatividade. Uma pessoa inteligente não age a partir de sua experiência passada; ela age no presente.
Ela não reage, mas responde. Daí ela ser sempre imprevisível; não há como saber o que ela irá fazer.

Osho, em "Inteligência - A Resposta Criativa ao Agora

A verdadeira liberdade

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Existem muitos tipos de liberdade - a social, a política, a econômica -, mas elas são apenas superficiais.

A verdadeira liberdade tem uma dimensão totalmente diferente. Ela não diz respeito ao mundo exterior , nada disso; ela emerge da nossa interioridade.

Trata-se da liberdade com relação ao condicionamento, a todos os tipos de condicionamento, às ideologias religiosas, às filosofias políticas.

Todos eles tem sido impostos por outras pessoas sobre você, tem agrilhoado você, acorrentado você, aprisionado você, tem feito de você espiritualmente um escravo.

A meditação nada mais é do que destruir todos esses grilhões, condicionamentos, a destruição de todas as prisões, de modo que você possa ficar novamente sob o céu, sob as estrelas, ao ar livre, disponível para a existência.



Osho, em “Liberdade: a Coragem de Ser Você Mesmo”.

Para uma filhotinha...



Nessa estrada não nos cabe
Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe
Bem ao certo onde vai dar
Vamos todos numa linda passarela
De uma aquarela
Que um dia enfim
Descolorirá...

1ª parte

Liberdade x prisão bonita
Não chame de incerteza - chame de assombro.
Não chame de insegurança - chame de liberdade.
Não estou aqui para dar a você algum dogma - o dogma faz com que você tenha certeza. Não estou aqui para dar a você nenhuma promessa para o futuro - nenhuma promessa para o futuro transmite segurança. Estou aqui simplesmente para deixá-lo alerta e consciente - isto é, para ficar aqui agora, com toda incerteza que existe na vida.

Sei que você veio em busca de certeza, de alguma doutrina, algum "ismo", algum lugar ao qual pertencer, alguém em quem confiar. Você está aqui por causa do medo que sente. Está procurando uma espécie de PRISÃO BONITA - de forma que possa viver sem nenhuma consciência.

Eu gostaria de fazer com que você se sentisse ainda mais inseguro, mais incerto - porque é assim que a vida é, é assim que Deus é. Quando há mais insegurança e mais perigo, o único jeito de reagir a isso é apelar para a consciência.

São duas as possibilidades. Ou você fecha os olhos e passa a ser dogmático, vira cristão, hindu ou mulçumano... e aí fica como se fosse um avestruz. Isso não muda a vida; é simplesmente fechar os olhos. Simplesmente faz de você um estúpido, alguém sem inteligência. E nessa sua falta de inteligência, você se sente seguro - todo idiota se sente seguro. Na verdade, só os idiotas se sentem seguros. O homem que está verdadeiramente vivo sempre se sentirá inseguro. Que segurança pode existir?

A vida não é um processo mecânico; não pode ser predeterminada. Ela é um mistério imprevisível. Ninguém sabe o que acontecerá em seguida. Nem Deus, que você acha que mora em algum lugar no sétimo céu; nem mesmo ele - se estiver lá -, nem ele sabe o que vai acontecer!...porque, se ele sabe o vai acontecer, então a vida é só tapeação, tudo é escrito de antemão, é determinado de antemão. Como ele pode saber o que vai acontecer se o futuro está em aberto? Se Deus sabe o que vai acontecer daqui a pouco, então a vida é só um processo mecânico, morto. Então não existe liberdade, e como pode existir vida sem liberdade?
Então não há possibilidade de crescer ou não crescer. Se tudo é predestinado, não existe glória nem grandeza. Você é apenas um robô.

Não, nada é seguro. Essa é a minha mensagem. Nada pode ser seguro, porque uma vida segura seria pior do que a morte. Nada é certo. A vida é cheia de incertezas, cheia de surpresas - é aí que está a beleza dela! Você nunca chegará ao ponto em que poderá dizer, "Agora estou certo disso." Quando disser que está certo de alguma coisa, estará simplesmente declarando a própria morte; terá se suicidado.

A vida continua em marcha, com mil e uma incertezas. É aí que está a liberdade dela. Não chame a isso de insegurança.

Eu posso entender por que a mente chama a liberdade de "insegurança"...Você já ficou preso numa cela por alguns meses ou anos? Se já ficou numa cela por alguns anos, você sabe que, no dia de ser solto, o prisioneiro começa a sentir uma incerteza quanto ao futuro. Tudo era garantido na cela; tudo não passava de pura rotina. Ele tinha comida, tinha proteção, não tinha medo de ficar com fome no dia seguinte e de não haver comida - nada disso, tudo era certo. Agora, de repente, depois de muitos anos, o carcereiro vem e diz: "Agora você vai ser solto." Ele começa a tremer. Fora dos muros da prisão, mais uma vez haverá incertezas; mais uma vez ele terá que buscar, procurar;  mais uma vez terá que viver em liberdade.

Continua...
OSHO. “Coragem - o prazer de viver perigosamente”. 

Pobre de mim

Quanta gente sofre sem necessidade.

Sabe qual o maior problema do pobre de mim?
Quando você diz:
- Sou coitado. Eu não tenho poder, eu não tenho jeito, eu não tenho, eu não tenho...
Você fecha interiormente as portas dos recursos que estão no inconsciente e que deveriam emergir nesse momento. Em vez de dar força e trazer para fora o poder, a criação, a cura, a solução, você acaba fechando e ficando naquela posição miserável, dando cada vez mais passagem para aquilo que o está atormentando, que está lhe fazendo mal.
A gente tem que parar com esse vício. Você já viu alguém com pobre de mim resolver algum problema, sair de uma situação feia para outra melhor? Eu nunca vi. Mas a gente se acha no direito de dizer: - Ah, porque coitado de mim, só eu faço tudo, só eu sou assim...
Cai no pobre de mim, que é a mesma coisa que o desespero. Tem gente que gosta de ficar desesperada. Qualquer coisa faz escândalo. Há pessoas que agem sem pensar e sem observar a vida. Estão errando e estão fechando os olhos. E, quando se veem num beco sem saída, fazem escândalo como se isso fosse consertar a vida delas. Mas como a vida é eterna, se mate ou não, tudo continua, até para pior.
Por que você não vira uma pessoa inteligente de uma hora para a outra? Use sua inteligência que Deus lhe deu. Diga: 
- Que desespero que nada! Nada merece tanta atenção assim. Nada merece estragar as coisas da minha vida. Se uma coisa não está bem, o resto pode estar. Eu não sou o coitado. Sou uma fonte de poder e de conhecimento. Tudo dá muito certo na minha vida. Tudo está a meu favor. Está tudo bom! - eu grito. Aí vai ficando bom mesmo, porque a gente puxa as forças positivas.
Calunga, "Um dedinho de prosa".

2ª parte

Liberdade x prisão bonita
Não chame de incerteza - chame de assombro.
Não chame de insegurança - chame de liberdade.
A liberdade dá medo. As pessoas falam sobre a liberdade, mas elas têm medo. E um homem não é homem ainda se ele tem medo da liberdade. Dou a vocês  liberdade: não dou segurança. Dou a vocês entendimento; não dou conhecimento. O conhecimento lhes traz certezas. Se posso dar a você a fórmula, uma fórmula pronta, de que existe um Deus, existe um Espírito Santo e existe um único filho bem-amado, Jesus; existe um inferno e um céu e existem as boas ações e as más ações; cometa um pecado e você irá para o inferno, pratique o que eu chamo de atos virtuosos e você irá para o céu - acabou!-, então você tem certezas. É por isso que tantas pessoas optaram por ser cristãos, hindus, muçulmanos, jainistas - elas não querem liberdade, querem fórmulas fixas.

Um homem estava morrendo - de repente, num acidente de estrada. Ninguém sabia que ele era judeu, então chamaram um padre, um padre católico. Ele se curvou bem próximo ao homem - e o homem estava morrendo, nos últimos estertores da morte - e disse:

- Você acredita na Trindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo e em seu filho Jesus?
- Veja só! - respondeu o homem, abrindo os olhos -, eu aqui morrendo e ele fazendo charadas!

Quando a morte bater à sua porta, todas as certezas serão simplesmente charadas e tolices. Não se apegue a nenhuma certeza. A vida é  incerteza - sua própria natureza é incerta. E um homem inteligente nunca tem certeza de nada. 
A própria disposição para permanecer na incerteza é coragem. A própria disposição para ficar na incerteza é confiança. A pessoa inteligente é aquela que está sempre alerta, não importa a situação - e a enfrenta com todo seu coração. Não que ela saiba o que vai acontecer, não que ela saiba, "Faça isso  e acontecerá aquilo." A vida não é uma ciência; não é uma cadeia de causas e efeitos. Aqueça a água a cem graus e ela evapora - isso é uma certeza. Mas na vida real, nada é certo como isso.
Cada pessoa é uma liberdade, uma liberdade desconhecida. É impossível predizer, impossível fazer conjecturas. É preciso viver na consciência e no entendimento.
Você vem até mim em busca de conhecimento; quer fórmulas prontas para que possa se agarrar a elas. Eu não dou nenhuma. Na verdade, se você tiver alguma, eu a tiro de você! Pouco a pouco, destruo sua certeza; pouco a pouco, faço com que você fique cada vez mais hesitante; pouco a pouco deixo-o cada vez mais inseguro. Essa é a única coisa que tem de ser feita. Essa é a única coisa que um Mestre precisa fazer! - deixá-lo em total liberdade. Em total liberdade, com todas as possibilidades em aberto, com nada pré-fixado... você terá que ficar consciente - não existe outra possibilidade.
Isso é o que eu chamo de entendimento. Se você entender isso, a insegurança passa a ser uma parte intrínseca da vida - e é bom que seja assim, porque faz da vida uma liberdade, faz da vida uma contínua surpresa. Nunca se sabe o que vai acontecer. Isso faz com que você viva em constante assombro. Não chame de incerteza - chame de assombro. Não chame de insegurança - chame de liberdade.
OSHO. “Coragem - o prazer de viver perigosamente”.

Reivindique todo o céu - ele é seu

terça-feira, 22 de junho de 2010

Você perdeu a capacidade de ser livre. Essa capacidade tem que ser reaprendida, essa capacidade tem que ser recuperada.
Eu não estou aqui para discipliná-lo, eu não estou aqui para dar-lhe princípios - todo o meu esforço é dar-lhe uma vida sem princípios, uma vida espontânea e indisciplinada.
O único presente que eu posso ofertar a você é a liberdade. E a liberdade não tem paredes, ela é tão infinita quanto o céu. Reivindique todo o céu - ele é seu.
Osho, em “The Art of Dying”.

Psiu...

ZZZzzzz... ACORDA!!!

A VIDA é agora!

O que é meditação?


Normalmente, quando falamos em meditação, associamos com pensar, refletir. Mas meditação não tem nada a ver com isso. Pelo contrário, meditar é silenciar a mente, é a observação dos pensamentos. Isso acontece quando há uma profunda conexão consigo mesmo. Às vezes, você consegue isto por um segundo, e nestes pequenos momentos você consegue sentir toda a beleza do ser humano e ter sensações sobre você mesmo e a existência.
Qualquer ação feita com consciência se torna meditação. No começo será difícil, você vai se esquecer várias vezes. Mas não se desencoraje. Mesmo se em vinte e quatro horas você conseguir estar consciente por vinte e quatro segundos, isto já é mais do que o suficiente, porque o segredo é o mesmo. Se você conseguir por um segundo, você já terá conhecido a chave, você terá descoberto o jeito. Então é só uma questão de tempo. Aos poucos haverá espaços maiores em que você estará consciente. A ação continua; e não apenas continua, ela se torna melhor do que era anteriormente, porque agora você está fazendo com muita consciência.
"Meditação é aventura, a maior aventura que a mente humana pode empreender. Meditação é simplesmente ser, sem nada fazer - nenhuma ação, nenhum pensamento, nenhuma emoção. Você apenas é, e é puro prazer. E de onde vem esse prazer, se você nada está fazendo? Não vem de lugar algum, ou vem de toda parte. Esse prazer não tem motivo. É que a existência é feita de uma matéria chamada alegria..."
por OSHO

FELICIDADE: Uma decisão sua!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

"Todo o amor do mundo pode ser dado a você, mas, se você decidir ser infeliz, permanecerá infeliz. E você pode ser feliz, imensamente feliz, por absolutamente nenhuma razão - porque a felicidade e a infelicidade são decisões suas.
Leva muito tempo para perceber que a felicidade e a infelicidade dependem de você, porque é muito confortável para o ego achar que os outros estão fazendo você infeliz. O ego insiste em dar condições impossíveis, e ele diz que primeiro essas condições precisam ser satisfeitas e somente então você poderá ser feliz. Ele pergunta como você pode ser feliz em um mundo tão feio, com pessoas tão feias, em uma situação tão feia.
Se você observar corretamente, rirá de si mesmo. É ridículo, simplesmente ridículo. O que você está fazendo é absurdo. Ninguém está nos forçando a fazer isso, mas insistimos em fazê-lo - e gritamos por socorro. 
E você pode simplesmente sair disso; trata-se de seu próprio jogo - ficar infeliz e depois pedir simpatia e amor. Se você estiver feliz, o amor fluirá em sua direção... não há necessidade de pedi-lo. 
Essa é uma das leis básicas. Exatamente como a água flui para baixo e o fogo flui para cima, o amor flui em direção à felicidade”.

por OSHO

Tic... Tac... Tic... Tac...

O TEMPO do amor...


Amor a si
Amor a Vida
Amor a Natureza
Amor a Beleza
Amor a Gentileza
Amor ao Amor
Amor a Amar
Eterna-idade
Eterno Amor
Eterno
...AGORA!
LUZ & Sorrisos!