Você tem medo de que?

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Medo... Medo... Medo...
Você tem medo de quê?
De dizer não para aquela pessoa querida mesmo sabendo que o sim significa problemas no futuro?
Você tem medo de quê?
De admitir que se enganou com uma pessoa, que errou na dose do sentimentalismo e fechou os olhos para a realidade que todos viam? Aceitar que o fim de um relacionamento já chegou há muito tempo e você, só você insiste em manter as aparências?
Você tem medo de quê?
De falar para a família e os verdadeiros amigos o quanto os ama e, por isso, fica calado imaginando que todo mundo sabe disso? De perder o emprego medíocre e, por isso, se submete a tirania de um local que você não se sente bem?
Você tem medo de quê?
De aceitar que seu atual estado é reflexo apenas dos seus atos, das suas atitudes, algumas vezes impensadas e feitas de pura ansiedade…
Você tem medo de quê?
De sair da capa de vítima e encarar de frente seus sonhos, suas necessidades e descobrir que pode realizá-los? De questionar velhos conceitos e mudar tudo para viver melhor?
Você tem medo de quê?
De aceitar que Deus existe e que nos pede ação sempre, trabalho sempre, boa vontade sempre, perdão sempre, amor sempre. Não tenha medo de ser feliz, arrisque-se, aventure-se.
Caiu? Levante-se.
Errou? Comece de novo.
Perdoe-se sempre.
Esqueça o que passou, construa o hoje, viva o hoje.
Ame-se sempre!
Eu acredito em você!
Paulo Roberto Gaefke.

Correria

Onde você vai com tanta pressa?
Por que tanta pressa?
Onde você vai assim nesse estado de quase descontrole?
Tudo é urgente, tudo é para ontem, e a sua vida?

E os seus desejos, estão todos satisfeitos?
Você tem tempo para cuidar do seu coração?
Tanto do coração que pulsa e precisa de oxigênio como do “coração amor”, que precisa de tempo para reconhecer em outro coração, a mesma pulsação, 
o mesmo dom de ser feliz…
Acalme-se!
Debaixo do sol continua havendo tempo para tudo,
até para florir, quando a chuva insiste em cair,
apesar de tantas reclamações dos eternos descontentes.
Se faz calor, está muito quente,
se faz frio, está doendo na alma,
se chove então…
Não há pressa maior que ser feliz!
Nem pode haver maior urgência que a sua paz.
É tempo de renovar as suas convicções,
de administrar as dificuldades que nós mesmos criamos.
Talvez, seja por isso que tantos correm demais,
quando dizem que estão correndo pela vida,
na verdade estão fugindo dela.
Não se esconda da sua realidade.
Não busque conforto ou realização em outra vida.
A verdadeira paz, a felicidade plena está dentro de cada um.
Só quando temos tempo para “perceber as nossas qualidades”,
é que  encontramos a nós mesmos,
no brilho do olhar do reflexo no espelho,
ainda que embaçado pelas amarguras,
ainda assim, é você que se encontra com o seu melhor.
A vida te dá um novo crédito todos os dias,
aproveite para fazer um pequeno balanço,
para ver os débitos que você ainda tem com alguém,
e somando os créditos adquiridos,
torne-se cada vez melhor.
Você é mais do que importante, é imprescindível.
Acredite no seu poder de mudar e ser feliz.
Eu acredito em você!


Paulo Roberto Gaefke.

Descobertas...

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Eu jamais chegaria aonde cheguei
se só andasse em linha reta.
Tive que voltar atrás, andar em círculos,
perder dias, perder o rumo, perder a paciência
e me exaurir em tentativas aparentemente inúteis
pra encontrar um quase endereço, 
uma provável ponte: a entrada do encontro…
Acertei o caminho não porque segui as setas,
mas porque desrespeitei todas as placas de aviso.

Autor desconhecido.

Domine a vergonha e seja respeitada

Você já reparou como a vergonha está superpresente na vida da gente? Para algumas pessoas, ela é tão forte que parece um monstro, um verdadeiro obstáculo para atingir a felicidade. 
Alguns a sentem em determinadas áreas e há aqueles que a vivenciam em outros planos. Geralmente, ela aparece quando você é chamada para fazer alguma coisa e começa a ter medo do próprio desempenho. Medo de fazer uma bobagem, de fazer feio, de dar um fora e ser objeto de gozação de um grupo. Enfim, medo de parecer ridícula. 
O que muita gente não sabe, no entanto, é que o envergonhado tem a pretensão de ser o certinho. Ele sempre quer agir da maneira que está de acordo com o padrão e que ninguém contesta. Ou seja, é a nossa maldita vontade de ser o perfeitinho entrando em cena. Quanta ignorância! 
Olha, vergonha é a doença do pretensioso, viu? E pretensioso nada mais é do que aquele sujeito que pretende ser aquilo que não é, que deseja ter determinada qualidade pra impressionar o mundo ao seu redor. Quer a aprovação, a consideração e o respeito de todos. Sabe o que isso significa? Que ele está dando muito poder às pessoas. Eu chamo isso de deslocamento de poder. Enfim, o importante não é a opinião dele e sim a dos outros. Pode parar com isso, hein!? 
Se você sofre desse mal, proponho uma mudança. Assuma a pessoa que você é. Respeite-se. Coloque-se em primeiro plano. Quando a gente tem receio de dar um fora é sinal de que estamos nos vendo como uma porcaria e isso não é verdade. E outra, quem sempre quer causar uma boa impressão nos outros acaba se dando mal. Uma vez preocupado com o próprio desempenho, você se engasga, se atropela, se constrange e acaba produzindo o pior. 
Por outro lado, quando se despreocupa com a sua imagem, você se sente confortável, espontânea e até criativa. E mais, algumas qualidades da sua essência vêm à tona, como o bom humor, a esperteza no sentido de ter ideias geniais e tiradas engraçadas e inteligentes. Bem aquela coisa que faz uma pessoa ser simpática, interessante e apreciável por todos. 
E é muito fácil as pessoas se constrangerem. Como aquela garota que entra numa loja, veste um monte de roupas, não gosta de nenhuma, mas leva uma peça por receio de falar não e ser julgada negativamente pelo vendedor. Ou, então, aquela esposa do tipo “Amélia”. O marido machão deita e rola, e ela se submete. Quanto mais ela se deixa constranger, mais ele fica machão. Ela, por sua vez, se torna um capacho. 
Ora! Quando você acredita que agradar os outros é uma maneira de conquistar alguma coisa está, na verdade, se iludindo e se negando. E a negação de si mesma leva à solidão e ao sofrimento. Os resultados são péssimos, porque, pela lei da natureza, a vida lhe trata como você se trata. Agora me diga: quantas vezes eu já disse isso a você? 
Se quer realmente acabar com a sua vergonha, comprometa-se com a sua verdade. Não dê poder aos outros, não se diminua, aprenda a dizer não sem receios. No início, é difícil, mas depois vai perceber como as pessoas vão passar a admirar você. É isso mesmo! Todo mundo admira aqueles que têm coragem de ser o que são. Assuma o seu poder e a sua verdade, e conquistará não só o respeito de todos como a própria dignidade!


Luiz Gasparetto.

A abordagem holística

terça-feira, 28 de setembro de 2010

O perfeccionista é obrigado a ser um neurótico, ele não consegue aproveitar a vida até que ela seja perfeita. 
E a perfeição como tal nunca acontece, não está na natureza das coisas. Totalidade é possível, a perfeição não é possível.
Isso é o fundamental da abordagem holística. E existe uma tremenda diferença entre perfeição e totalidade.
A perfeição é uma meta em algum lugar no futuro, a totalidade é uma experiência aquiagora.
Totalidade não é uma meta, é um estilo de vida.
Osho, “The Book of Wisdom”.

Aceite

Qual é o tempo que você está esperando para ser o “seu tempo”?

Qual é a pessoa que você espera que retorne do passado?
Quem será essa figura que você acredita que virá um dia?

Qual é a oportunidade que você diz que não apareceu?
Qual é o estímulo que ainda não tem?
Enquanto você espera, o tempo passa…

As oportunidades surgem e desaparecem como bolhas de sabão. Só agarra uma chance os que sonham de olhos abertos, aqueles que não enxergam mais os problemas, porque problemas todo mundo tem e os seus não são tão diferentes assim…
É chegado o tempo de reconhecer-se capaz! Capaz de viver um novo trabalho, de abrir uma nova porta, de viver um grande amor, ou reviver esse que anda tão apagado. É chegado o tempo de ser gente, de ser um pouco além do “RG”, do número que determinaram para você, daquela foto no crachá que anda tão amarelada. É chegado o seu tempo de ser feliz...
E a vida não quer mais desculpas, quer apenas o seu sim! Diga sim para a porta que se abre. Diga sim para os amigos do bem que te ligam sempre. Diga sim para o emprego que vai aparecer. Diga sim para o curso que você precisa fazer. Diga sim para a cirurgia que é inadiável. Diga sim para aquela pessoa que te espera há tanto tempo.
Ainda hoje, diga sim para o abraço fraterno desse amigo tão querido que não te abandona. Que sabe das suas qualidades, não fala dos seus defeitos... Apenas te recebe de braços abertos na Luz. Ainda hoje, diga sim! Para Jesus.
Eu acredito em você!


Paulo Roberto Gaefke.

A porta para a consciência

Milhões de pessoas estão vivendo de acordo com o espelho. Acham que o que vêem no espelho é o seu rosto. Acham que é o seu nome, a sua identidade, e que isso é tudo.
Você terá de ir um pouco mais fundo. Terá de fechar os olhos. Terá de se observar interiormente. Terá de ficar silencioso. Se não chegar a um ponto de profundo silêncio interior, nunca saberá quem é.
Eu não posso lhe dizer quem você é. Não há como. Todo mundo tem de descobrir por si mesmo. Mas você existe — isso é certo. A única questão, para atingir o âmago do seu ser, é encontrar a si mesmo. E é isso que venho ensinando durante todos esses anos.
O que chamo de meditação nada mais é do que um artifício para que você descubra a si mesmo.
Não me pergunte. Não pergunte a ninguém. Tem de achar a resposta dentro de si mesmo e mergulhar muito fundo para descobri-la. E está tão perto — basta dar uma volta de 180 graus para encontrar essa resposta.
Vai ficar surpreso ao descobrir que você não é o seu nome, nem o seu rosto, nem o seu corpo, nem mesmo a sua mente.
Você é parte de toda a existência, de toda a sua beleza, grandeza, felicidade, seu imenso êxtase. Conhecer a si mesmo é o significado da consciência.

Osho, “Corpo e Mente em Equilíbrio”.

OBRIGADO!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

“Um dia eu tive fome, 
e você me alimentou.
Um dia eu estava sem esperanças 
e você me deu um caminho.
Um dia eu acordei sozinho, 
e você me deu Deus, 
e isso não tem preço.
Que Deus habite em seu coração, 
alimente sua alma 
e te sobre o pão da misericórdia 
para estender a quem precisar”.

Muito, muito, muito obrigado!
Por tudo! LUZ e Sorrisos!

Tudo na vida tem jeito (2)

Tudo tem jeito. Tem sim, tem muito jeito. 
Tudo é aprendizagem.
* Aquele que está aflito está aprendendo a movimentar sua energia de ação.
* Aquele que está encruado, parado na vida, está aprendendo a usar o breque.
* Aquele que está trabalhando, está aprendendo a usar as suas faculdades.
* Aquele que trabalha com a moleza, com a preguiça, está aprendendo o valor do tempo, a trabalhar sem estresse.
* Tem aquele que está trabalhando afobado, angustiado, preocupado, que também está aprendendo a assumir responsabilidade.
Tudo o que você chama de defeito, na verdade, é uma das suas virtudes que está aprendendo a usar.
* A raiva é a virtude da coragem, que você está aprendendo a usar.
* A crueldade é a força da transformação, que a gente também está aprendendo a usar.
* A mentira é a força do manuseio, da interpretação, da adequação à situação, que você está aprendendo a usar.
* A falsidade é a nossa capacidade de conter e suprimir elementos perigosos da nossa vida.
* A traição é porque a gente está aprendendo as questões do compromisso. Quem trai acaba tendo as suas reações e acaba aprendendo o que é se compromissar, quando deve se compromissar e de forma deve fazer os compromissos. Quando há traição é porque a pessoa não tem coragem de encarar a verdade.
* Quem está fugindo está aprendendo a se afastar daquilo que o incomoda.
* Quem está confrontando está aprendendo a transformar aquilo que o incomoda. Todo mundo está em trabalho.
* Quando a pessoa bebe muito, está aprendendo a dominar o seu orgulho. Claro que é de uma forma dramática e dolorosa, mas está aprendendo.
* A doença está ensinando você a se tratar melhor. Você, que não gosta de si mesmo, que se queixa que têm pernas finas, orelhas grandes, nariz torto, então, pega as doenças, empesteia o corpo para aprender a se gostar e a se tratar melhor.
Todo mundo, minha gente, está na lição. O povo diz:
- Quanta crueldade, quanto sofrimento nesse mundo, quanta gente ignorante, quanta violência...
Vocês falam que a sociedade hoje é muito violenta. Mentira! O homem sempre foi assim, em qualquer sociedade. E vai continuar a guerrear porque está aprendendo a usar os poderes de transformação, os poderes do direito humano, os poderes dos princípios de liberdade, dos princípios de individualidade. Tudo isso é feito da maneira que o homem sabe fazer, de acordo com o seu estado de evolução. Um dia melhora, como já melhorou em muitos aspectos porque a humanidade já aprendeu. Então, está tudo certo.
Está tudo certo, porque Deus não erra. Você é que vê erro, porque não entende. E o que não entende, você acha que é errado. Mas se você pudesse, de algum modo, sentir o pensamento de Deus, ia ver que está certo, que é isso mesmo o que Deus quer. Se não quisesse assim, já teria mudado.
Você gosta de se queixar da vida porque ela não é do jeito que você queria. Sinto muito dizer, mas está certo. É você que fica achando erro. Toda crueldade, tudo está certinho. É bom você parar de se queixar e tentar entender, se quer mesmo ser feliz. É preciso entender os porquês, mas você não procura, então por que diz que é difícil?
A vida não esconde nada. É você que não quer ver.
Vamos sair desse delírio de enganos e erros, de obstáculos e pessimismo? Vamos viajar juntos e descobrir isso tudo?

Calunga, "Um Dedinho de Prosa".

Tudo na vida tem jeito (1)

Você é uma pessoa que se repete muito? Vai sempre aos mesmos lugares, conversa sempre com as mesmas pessoas, até o seu problema é igual? Conta sempre a mesma história, ri da mesma piada? Tem gente que é assim. Será que esse não é você?
É a pessoa videotape, que está sempre repetindo tudo igual. Parece uma fotografia, porque fica eternamente parada naquilo. Por que uma pessoa fica assim igual com tanta coisa curiosa na vida? Às vezes, é porque ela está aprendendo a ser segura, a ser organizada. Então, ela passa por um período de monotonia. Fica meio emperrada, meio engasgada consigo mesma por um período grande.
Que esquisito, pois com tanta coisa acontecendo nesse mundo moderno, tão dinâmico, a pessoa fica sempre igual. Está sempre com o mesmo cabelo. Mas o povo é assim. Tem aquela que troca de cor de cabelo toda semana. Ela também exagera. Toda hora está trocando de cara porque é mais fácil trocar a cor do cabelo do que mudar de atitude.
Mas tudo tem a sua hora. Cada um está exercitando, de algum jeito, o seu modo de criar, de viver. Veja, por exemplo, a questão do destino, que toca a todos nós. Todo mundo quer forçar o destino a realizar o seu sonho, para que dê certo no amor, na carreira.
Acho que a gente pode mesmo fazer o destino e tem uma certa consciência disso. Nem sempre sabe como fazer, mas a gente quer forçar. Faz o possível para as coisas irem de um jeito e não de outro, embora a gente erre, porque não sabe bem como fazer o destino funcionar. E, às vezes, a pessoa tenta tanto que passa a ser autoritária e arrogante:
- Eu quero assim, porque tem que ser desse jeito.
Não aceita que seja diferente. Acho que isso é descontrole. Mas, no fundo, a pessoa está apenas querendo a felicidade. Você já pensou que tudo que você faz, de certo ou de errado, é porque pensa que isso vai levá-lo à felicidade? Aquele que rouba, que mente, que é sincero, tudo que o pessoal faz é pensando que vai trazer a felicidade.
Que força tem a busca da felicidade em nós! A gente quer viver, quer se realizar. Uns com dinheiro, outros com amor, com a esperança de que aquela pessoa vá fazê-la feliz. Quantos sonhos de felicidade todos nós temos. E quando a gente se decepciona, porque não consegue, então, não quer sonhar mais. Quer brigar, quer chorar. E quanto maior a revolta, mais mostra que o desejo da felicidade é grande, pois se o desejo fosse pequeno, a revolta seria pequena. E a gente vê que também o revoltado, o agressivo, o amargo quer a felicidade.
Sorte daquele que sabe parar para analisar e ficar só olhando tudo, sem emoção. Vai fundo e, daí é que descobre as coisas. Quando fica só contemplando, se liga na consciência cósmica, começa a entender as coisas.
-  Quer dizer, então, que o conhecimento de tudo está dentro de nós?
- Está mesmo. Se a natureza nos põe para viver, tem que pôr também o conhecimento para termos condições de fazer as coisas. É que você é muito afobado, muito emocionado, muito indisciplinado e não pára para ir fundo. Então, as coisas ficam confusas. Feliz daquele que sabe parar e ficar calmo, só olhando a situação, abrindo a mente e o coração na boa vontade para entender: esse vai dominar a vida e vai ser feliz.
Tudo que consegui de bom na vida foi assim. Mas a gente fica doido, desesperado, emocionado e fica repetindo o que já fez. Uai, se já fez e não deu certo, por que repete? Tem que parar, contemplar, ir fundo, acreditar que tem jeito. Tudinho tem jeito. Pare de ficar desesperado que isso não leva a nada. Só dá dor de cabeça.

Calunga, "Um Dedinho de Prosa".

O Amor de deus

domingo, 26 de setembro de 2010

Jesus disse: “Meu amor é mais forte”.
A luz do Amor dissipa as trevas da culpa, nos mantêm firmes. Faz com que aceitemos o Amor de Deus por nós, nos mostra nosso amor por nós mesmos e nos obriga a procurar o amor do próximo. Mesmo com medo da rejeição, dos olhares severos, da dureza do coração de alguns – faz com que jamais desistamos de procurar o Amor.
Não estamos sós. O mundo se transforma, e nós somos parte desta transformação. Os anjos nos guiam e nos protegem. Apesar de todas as injustiças, apesar de coisas que não merecemos acontecerem conosco, apesar de nos sentirmos incapazes de mudar o que está errado na gente e no mundo, o Amor ainda é mais forte, e nos ajudará a crescer. E só então seremos capazes de entender estrelas, anjos e milagres.
Paulo Coelho.

Qual é o seu verdadeiro valor?

“Peça a um publicitário para descrever um botão de camisa, e você ficará deslumbrada com tantas funcionalidades que ele vai encontrar. Vai até mudar o seu conceito sobre o ‘pobre’ botãozinho. 
Peça a uma pessoa apaixonada para descrever o ser amado, aquele indivíduo bem feiozinho que você conhece desde a infância, e vai até pensar que ela está falando de outro alguém. A pessoa apaixonada enche a descrição de delicadezas, doçura e gentilezas, transformando a fera em bela, em questão de instantes. 
Peça ao poeta para descrever o sol e a lua e você vai se encantar pelos poderes apaixonantes da lua e pela beleza do sol, que irradia seus raios como se fossem gotas do milagre divino na tarde quente, e convida as pessoas apaixonadas a viverem a vida com intensidade.
Peça a um economista para falar da economia mundial e tome uma lição de números e mercados, bolsas e câmbios oscilantes, inflação e mercados emergentes. E se você não sair de perto dele, vai acreditar que logo teremos a maior crise da história, e que a China é o melhor lugar do mundo para se viver.
Agora, peça a uma pessoa desanimada ou deprimida para falar da vida, do sol, da lua, dos botões, das rosas e do amor. Melhor pegar um banquinho e um lenço e se preparar para chorar. É só reclamação, frustração, dores, misérias e desconfianças. Além de sentir a energia contaminando você e lhe fazendo mal, você vai ficando sem forças. Isso porque os desanimados, reclamões e deprimidos têm o poder “vampiresco” de sugar energias do bem e transformá-las em medo. E esse medo paralisa as pessoas de tal forma que fica difícil até pensar.

E você? Como é que descreve a sua vida? Quem é você para você mesma? Como seria um comercial da sua vida? Como venderia o produto “você”? Você tem custo acessível ou é daquelas figuras caras, que não têm tempo para perder com a tristeza e com o passado? Você tem mil e uma utilidades? Aliás, em que século você vive mesmo? 
Lembre-se de que os seus olhos refletem tudo o que vai na sua alma... E aquilo que vai na sua alma se reflete na qualidade de vida que você leva. É o seu trabalho que representa o seu talento. Ou não? Por isso, não tem outro jeito: seja a melhor divulgadora de você mesma. Valorize-se, esteja sempre pronta para dar o seu melhor, com seu melhor sorriso, sua melhor roupa, seu melhor sentimento, suas melhores intenções, sua gentileza sempre pronta para entrar em ação. Seja Omo, Brastemp, Lux Luxo. E se for chocolate, que seja logo Godiva, suíço e caro, porque gente especial como você não existe em nenhum mercado - tem que valer sempre mais. 
VALORIZE-SE! Não importa o que você faz, mas como você faz. Isso, sim, faz toda a diferença!”
Paulo Roberto Gaefke.

As 7 LEIS Espirituais do Sucesso

sábado, 25 de setembro de 2010

Resumidamente, as 7 leis são as seguintes:
1. Lei da Potencialidade Pura – A fonte de toda criação é a consciência pura ou pura potencialidade buscando a expressão do não-manifesto para o manifesto. Com a prática diária do silêncio, da meditação, e do não-julgamento, e com a percepção de que nosso verdadeiro Eu é de pura potencialidade, nós nos alinhamos com o poder que tudo manifesta no Universo e obtemos o que desejamos.
2. Lei da Doação – O universo opera através de trocas dinâmicas. Dar e receber são diferentes aspectos do fluxo de energia. Com a nossa disposição de dar o que buscamos, mantemos a abundância do Universo em nossas vidas. A força motriz por trás da doação deve ser a felicidade – se quiser amor, alegria ou coisas boas, dê o mesmo aos outros.
3. Lei do Carma ou Causa e EfeitoColhemos o que plantamos. Toda ação gera uma força de energia que retorna de modo análogo. Quando nossas ações e escolhas conscientes trazem felicidade e sucesso para os outros, o fruto de nosso carma será alegria e sucesso.
4. Lei do Mínimo Esforço A inteligência da natureza funciona sem esforço – as flores não tentam desabrochar, elas desabrocham; os pássaros não tentam voar, eles voam. Se buscamos poder, dinheiro ou felicidade para a satisfação do ego, desperdiçamos energia; mas se nossas ações são motivadas por amor, harmonia e alegria, nossa energia se multiplica e podemos usar o excedente para criar o que quisermos.
5. Lei da Intenção e do Desejo – “Inerente a toda intenção e desejo, está a mecânica para a sua realização. E quando colocamos uma intenção no campo da pura potencialidade, colocamos este poder organizador infinito para trabalhar para nós”. No nível da mecânica quântica, o universo é uma extensão de nosso corpo, e nossa intenção detona transformações de energia e informação, e organiza sua própria realização.
6. Lei do Distanciamento – No distanciamento está a sabedoria da incerteza, e nesta sabedoria está a liberdade em relação ao nosso passado, ao conhecido, que é a prisão do condicionamento passado. Quando nos abrimos ao desconhecido, ao campo de todas as possibilidades, nos entregamos à mente criativa que orquestra a dança do universo. O apego é baseado no medo e na insegurança, e cria ansiedade. O apego excessivo aos bens materiais – símbolos transitórios do Eu – traz a sensação de inutilidade e vazio.
7. Lei do Darma ou do Propósito de Vida – “Todos têm um propósito na vida… algo único para dar aos outros. E quando misturamos este talento com o serviço aos outros, experimentamos o êxtase de nosso próprio espírito, o que é objetivo último de todos os objetivos”. Primeiro, devemos descobrir nosso verdadeiro eu; depois, expressar nossos talentos especiais; e finalmente, usar este nosso dom para servir a humanidade.

Deepak Chopra.

Prece de Matthew Henry

Matthew Henry é um conhecido especialista em estudos bíblicos. Certa vez, quando voltava da Universidade onde leciona, foi assaltado. Naquela noite, ele escreveu a seguinte prece:

"Quero agradecer em primeiro lugar, porque eu nunca fui assaltado antes.
Em segundo lugar, porque levaram a minha carteira, e deixaram a minha vida.
Em terceiro lugar, porque, mesmo que tenham levado tudo, não era muito.
Finalmente, quero agradecer porque eu fui aquele que foi roubado, e não aquele que roubou".
Paulo Coelho.

Sonhe

Um dia uma criança chegou diante de um pensador e perguntou-lhe:
”Que tamanho tem o universo?”
Acariciando a cabeça da criança, ele olhou para o infinito e respondeu:
”O universo tem o tamanho do seu mundo.”
Perturbada, ela novamente indagou:
”Que tamanho tem meu mundo?”
O pensador respondeu:
”Tem o tamanho dos seus sonhos.”
Se seus sonhos são pequenos, sua visão será pequena, suas metas serão limitadas, seus alvos serão diminutos, sua estrada será estreita, sua capacidade de suportar as tormentas será frágil.
Os sonhos regam a existência com sentido.
Se seus sonhos são frágeis, sua comida não terá sabor, suas primaveras não terão flores, suas manhãs não terão orvalho, sua emoção não terá romances.

A presença dos sonhos transforma os miseráveis em reis, faz dos idosos, jovens, e a ausência deles transforma milionários em mendigos faz dos jovens idosos.
Os sonhos trazem saúde para a emoção, equipam o frágil para ser autor da sua história, fazem os tímidos terem golpes de ousadia e os derrotados serem construtores de oportunidades.
Sonhe!
Augusto Cury.