Primeiro termine o trabalho sobre si mesma

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Pergunta a Osho:
Estou pensando em ter um filho. É uma boa ideia?

Se você puder evitar isso será muito bom. Quando pessoas me perguntam, elas criam problemas para mim. Se disser não, então parece que estou ferindo a maternidade delas. Se disser sim, então certamente vai haver problemas e responsabilidades e você pode ficar numa confusão.
A melhor coisa é ficar sozinha um pouco mais. Primeiro termine seu trabalho sobre si mesma. Quando você chegar num certo estado onde você souber que agora nada pode lhe perturbar, assim está perfeitamente bem ter filhos. Desse modo você também será capaz de ajudá-los: você realmente servirá de mãe para eles.
Agora você mesma precisa de uma mãe e você estará simplesmente passando para eles todas as doenças que está carregando. Um psicanalista chamou a doença que os pais passam para os filhos de “NDD” – neurose, doença, depressão.
Isso é o que as pessoas vão dar. Você não tem mais coisa alguma para dar! Espere, você pode esperar que será muito melhor. A neurose e toda a confusão da sua mente, esse é o problema. Você estará criando o filho e você irá derramar tudo que você tem na criança. Primeiro, torne-se um pouco mais feliz.

Osho, "The Open Secret".

Quem foi Jesus

Eu não sei muito bem se vocês aí, na Terra, entenderam quem foi Jesus. Porque pelo jeito que vocês fazem, não parece que entenderam muito não. Eu vejo em Jesus um Ser Superior, uma criatura evoluída, que foi à Terra levar uma proposta. Uma proposta para o reino íntimo. Não uma cura passageira de um mal-estar momentâneo, mas a cura real de todas as doenças.

Jesus foi ao mundo realizar um projeto de instrução e de educação, ensinar as pessoas a viverem os reais valores, mostrar o que era de fato importante para elas, e como encontrar uma felicidade duradoura pela realização dos próprios poderes embutidos em cada Ser.

Mas o povo achou que Jesus era um curador, um milagreiro, um santo. Queriam soluções rápidas para situações muito específicas, pra depois continuarem como sempre foram. E, ai de Jesus, se mexesse nas vidas das pessoas um pouquinho mais que isso! Um pouquinho além do que elas podiam deixar, sem ter que mudar seu viver.

E o que ele dizia? "Vai e não peques mais". Quer dizer: não vá incorrer no mesmo engano; se insistir nessa ilusão, vai ficar mal de novo.

Mas as pessoas preferiam correr pra Jesus e pedir um milagre, porque, afinal, Jesus estava lá pra curar, pra levantar, pra saciar todas as faltas e necessidades. Pra dar força, pra dizer a coisa certa. E se a doença persistisse, era só ir atrás dele, de novo.

Francamente, vocês acham este um papel digno de uma personalidade como Jesus? Vocês acham que esta tarefa está à altura da sua evolução espiritual?

Vocês não acham que ele tem mais o que fazer?...
Ou será que o prêmio da evolução é correr atrás dos problemas de Espírito atrasado, ignorante? Eu sei que pode parecer um pouco duro, a gente falar assim, mas vocês precisam acordar, minha gente!!

Jesus já resolveu muitos problemas dele, por isso está onde está. E ele ensinou a encarar os problemas, trouxe a consciência do arbítrio ("a cada um segundo suas obras"), que é um poder espiritual muito grande, o poder de escolher nossos destinos. Já deixou uma doutrina voltada para o desenvolvimento do espírito, que é a chave de toda cura.

Jesus foi um Mestre da Humanidade, mostrou como viver e viveu tudo que acreditou.
E você?... Vai fazer o quê?... Colocar-se a caminho, descobrir suas potencialidades e fazê-las funcionar, ou correr atrás de um milagre?

Colocar-se a caminho, descobrir as próprias potencialidades e fazê-las funcionar é a essência de qualquer proposta de educação. Esperar um milagre é permanecer na inércia.

Recorrer a Jesus ou a Deus para resolver nossos problemas e nos curar é um procedimento muito comum, mesmo nas casas espíritas, onde um entendimento renovado deveria provocar mudanças de conceitos e de atitudes.

A vida é nossa grande mestra, e aceitar os desafios que ela propõe significa progredir. Nossa situação presente é fruto das escolhas passadas, assim como a melhoria futura resultará de nossas ações presentes. Jesus e os Espíritos Superiores podem nos orientar, podem estar conosco no momento de atravessar as pontes, mas não podem atravessá-las por nós.

Calunga/Rita Foelker.

O Perdão

domingo, 27 de fevereiro de 2011

PERDOAR É O MODO MAIS SUBLIME
 DE CRESCER...
PEDIR PERDÃO, É O MODO MAIS SUBLIME DE SE LEVANTAR!
PERDOE  UM MILHÃO DE VEZES, 
PORQUE É MELHOR PERDOAR, 
DO QUE PRECISAR DE PERDÃO!

PARE DE SOFRER E SEJA FELIZ!

LIBERTE-SE!
O QUE PASSOU, PASSOU!
QUEM NUNCA ERROU?

AME INCONDICIONALMENTE, 
SEM QUERER NADA EM TROCA...

QUEM JULGA, 
NÃO TEM TEMPO DE AMAR! 

http://semeadoradeluz.blogspot.com/

Quando o Universo 'não' conspira a seu favor...

Muitas vezes perguntamos...
Por que o Universo não está conspirando ao nosso favor?
É muito simples, devemos lembrar que os pensamentos são como ímãs, que atraem os efeitos para você.O pensamento pode não ser sempre óbvio, e portanto claramente causativo, como em, "vou contrair uma doença terrível". Pode ser (e geralmente é) muito mais sutil do que isso. ("Não mereço viver.") ("Minha vida é sempre conturbada.") ("Sou um perdedor.") ("Deus vai me castigar.") ("Estou doente e cansado da vida!")... Pedimos ao Universo boa vida, mas diariamente pensamos de forma errada, sem ao menos imaginar o que isso pode fazer conosco! Queremos uma vida amorosa, mas não somos capazes de amar o nosso próximo... Estamos sempre julgando-os, culpando pelos erros cometidos...
É muito difícil reverter os efeitos do pensamento negativo depois que assumem uma forma física. Não é impossível, mas é muito difícil. Exige um ato de fé extrema, uma fé extraordinária na força positiva do Universo, quer você a chama de Deus, Deusa, Força Primária, Causa Primeira ou o que quer que seja. O pensamento não conhece distâncias. Viaja pelo mundo e percorre o universo mais rápido do que você pode dizer a palavra.

Como o Universo pode conspirar a seu favor se você não sabe o que quer? Você quer dinheiro, mas seus pensamentos em relação ao dinheiro são errados. Lembre-se de que os pensamentos são criativos. Então se você pensar que o dinheiro é ruim e que você é bom... bem, pode perceber o conflito? Receber o que é "mau" em troca do que é "mau". Mas você adora o que faz com os dias e momentos de sua vida. Adora as atividades com que os preenche. 

Então aqui nós temos essa ambivalência no que diz respeito ao dinheiro. Parte de você o rejeita, e parte se ressente por não tê-lo. O universo não sabe o que fazer em relação a isso, porque captou dois pensamentos diferentes. Por esse motivo, no tocante às finanças, a sua vida será confusa, porque você está confuso em relação ao dinheiro. 

Você não tem um enfoque claro; não sabe ao certo o que é verdade. E o universo é apenas uma grande máquina de fotocópias. Simplesmente produz várias cópias de seus pensamentos. 

Agora só há uma forma de mudar tudo isso: mudar os seus pensamentos. Assim é com o dinheiro, com o amor, com a saúde, etc... O modo mais rápido de mudar um Pensamento Responsável, ou uma ideia arraigada, é inverter o processo pensamentos-palavras-atos

Realize o ato que quer para dar origem ao novo pensamento. Depois diga as palavras que quer para dar origem ao novo pensamento. Faça isso até treinar a mente para pensar de um novo modo. Você é o que pensa que é. É um círculo vicioso quando o pensamento é negativo. Tem de encontrar um modo de romper o círculo. 

Portanto, grande parte da sua experiência atual se baseia em seu pensamento anteriorO pensamento leva à experiência, que leva ao pensamento, que leva à experiência. Isso pode produzir alegria constante quando o Pensamento Responsável é alegre. Pode produzir - e produz - um inferno constante quando é negativo. 
O truque é mudar o Pensamento Responsável. 
Neale Donald Walsch, "Conversando com Deus".

Confie naquilo que faz

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Confie naquilo que você faz.
Seja você cientista ou camelô. Se você é cientista, confie na sua ciência, no seu trabalho, na sua pesquisa. Confie na sua racionalidade e no seu discernimento. Se você é camelô, confie no seu produto. Difícil? Então não engane as pessoas, viu? Mude ou, então, seja honesto sobre o que vende.

Confie na sua simpatia, no seu poder de convencimento, na sua força pra acordar de manhã e enfrentar o calor, o frio, a chuva. Se você é terapeuta, confie no seu trabalho, no seu tato e sensibilidade. Confie na chance de cura que é real, embora não dependa só de você.

É horroroso fazer as coisas sem convicção, sem firme certeza de que aquilo vale o esforço que você investe. Se o Universo lhe confere o arbítrio, é pra você não ter que ficar se submetendo a fazer coisas em que não acredita.


Mas, talvez você tenha deixado de acreditar no amor, na educação, na vida, na competência, em si. Então, se você não acredita, pelo menos, não feche questão e ponto final. Algumas coisas valem um voto de confiança, especialmente quando já funcionaram pra tanta gente.

- Mas, Calunga, comigo não funciona!
Pode funcionar com você, assim como funciona com outras pessoas. Confie no seu poder de criar uma realidade nova. De, em lugar de lamentar o passado, usar a experiência como trampolim para um novo salto.


Médium, confie na sua mediunidade - o que não significa confiar cegamente em tudo que os Espíritos dizem ou escrevem. Mas aprenda a confiar na sensibilidade, na intuição, no que pode resultar de bem daquele tempo que você dedica ao contato com a espiritualidade. Depois, pergunte por que é que você é desconfiado com certas coisas e pessoas. Se é uma desconfiança fundamentada ou se é uma negação do bem que pode vir do outro, que pode vir de uma situação. Essa desconfiança é sua ou é dos seus pais, que te encheram de medos e cuidados?

Gente, gente! Acorde pro que é seu, da sua alma, e confie no bem que pode se expandir do seu coração para a vida, seja você camelô, cientista, bailarina, terapeuta, educador, médium.

Foi pra isso que Deus te criou, pra espalhar o bem e a beleza no mundo.

Calunga/ Rita Foelker.

Seja você mesmo

Todo o meu ensinamento pode ser condensado nestas três palavras: seja você mesmo.
Uma ocasião eu citava Morarji Desai, que disse só ter uma ambição na vida: conhecer Deus e alcançar as alturas da verdade. Que mal Deus fez a Morarji Desai? Por que ele quer ir atrás de Deus? Não é suficiente ser ele mesmo?
Será que alguém tem que conhecer Deus? Por quê? Para quê? E o que você vai fazer mesmo que conheça Deus? Vai continuar tão tolo quanto é agora. E, mesmo que venha a se encontrar com Deus, o que vai fazer? Vai dizer: "Olá, como vai o senhor? Que tempo bom, não é?". E o que mais?
O que você vai fazer, afinal? Ao conhecer Deus, você não vai conhecer a si próprio. E uma pessoa ignorante que não conhece a si própria... como pode conhecer Deus?
O autêntico buscador nada tem a ver com Deus; ele quer conhecer a si próprio. Esta é a coisa mais fundamental — conhecer a si próprio —, porque a partir daí vem todo o conhecimento, toda a luz.
Se um indivíduo conhecer a si mesmo, ele conhecerá Deus também. Na verdade, quando o indivíduo conhece a si mesmo ele é que ele se torna capaz de conhecer o supremo, porque bem no âmago de seu ser o supremo está presente.
Mas os religiosos dizem: "Conheça Deus! Tente experimentar Deus!". Essa é, como eu já disse, uma estratégia, a mesma estratégia para desviar você de si mesmo.
E essas pessoas como Morarji Desai pensam que são religiosas, mas não são nem um pouco. A pessoa religiosa só tem um anseio... e, lembre-se, não é uma ambição, é um anseio.
E há uma diferença tremenda entre ambição e anseio. Ambição é da mente, anseio é do coração. Pertencem a centros diferentes.
Osho, "Filhos do Universo: Reflexões sobre Desiderata".

Assim É a LEI

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Cada pensamento vibra, cada pensamento irradia um sinal, e cada pensamento atrai um sinal de volta que combine com ele. Chamamos a este processo de Lei da Atração.
A Lei da Atração reza: “Semelhante atrai semelhante”. 
Para o que você está dando a sua atenção?
Sempre que está dando atenção a alguma coisa você está emitindo uma vibração, e a vibração que emite é o mesmo que pedir por algo, que é igual ao seu ponto de atração.
Se há alguma coisa que deseja que não tem agora, você só precisa colocar sua atenção nisto e, pela Lei da Atração, isto que deseja virá a você, porque ao pensar nesta coisa ou ao experimentar seu desejo, você emite uma vibração, então, pela Lei, esta coisa ou experiência deve vir para você.
Entretanto, se existe alguma coisa que você queira que ainda não tem, e você colocar sua atenção em seu atual estado de não ter o que deseja, então a Lei da Atração continuará a combinar com a vibração de não ter o que deseja, e você continuará não tendo o que deseja. Esta é a Lei.
Abraham-Hicks, “Ask and It Is Given” .

Licença para viver. Você precisa disto?

Você costuma justificar para as pessoas suas decisões? Vive pedindo desculpa por qualquer coisa? Necessita da autorização dos outros para tomar atitudes?
Bem, se você respondeu sim a uma ou mais dessas perguntas, está na hora de se questionar se não anda pedindo licença para viver. Isso mesmo: licença para viver!
A sua existência é sua e de mais ninguém. Então, por que precisamos tanto que os outros nos aprovem e nos autorizem? Porque somos crianças em corpo de gente grande, pedindo ainda para os pais nos dizerem o que é melhor para nós. Esses pais acabam se transformando em professores, amigos, namorados, etc., e transferimos a estes a responsabilidade de nos dizer o que devemos fazer, vestir, comer, pensar e sentir.
Cômodo, não?! Mas o preço da comodidade é bem alto. Pois nada, NADA, é tão importante, tão fundamental e tão vital quanto à liberdade de ser o que se é e o que se quer ser. Liberdade de ir e vir, de voltar atrás, de fazer sem precisar dizer por que, de se autorizar, de assumir as consequências sem culpas ou remorsos, enfim, de respirar sem se desculpar!
Hoje, só por hoje, viva sem pedir licença!
http://conscienciametafisica.blogspot.com

Um "cadinho" de Calunga...

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

“Você não é o que você pensa... 
Você é o que você sente”
CALUNGA é o Mentor Espiritual do médium Luiz Antônio Gasparetto. A parceria Calunga-Gasparetto dura muitos anos. Não se sabe muito a respeito de suas origens, apenas uns poucos relatos que a própria entidade "deixa passar" fortuitamente em seus programas na Rádio Mundial.
CALUNGA é um “fantasma”, como ele mesmo se rotula, mas um fantasma meigo e violentamente sábio, que não se cansa de nos surpreender com suas observações simples e bem-humoradas. Demonstra sempre uma paixão pela vida e uma curiosidade insaciável pela compreensão das coisas.
De todas as suas virtudes, a mais impressionante é a sua mágica habilidade de lidar com todos os tipos de pessoas, dizendo as verdades mais difíceis, da maneira mais fácil de ser aceita pelas pessoas mais complicadas.
Deixar-se envolver por suas ideias é, sem sombra de dúvida, uma maneira eficiente de alimentar nossas almas de Paz e Renovação.
Sabe-se que nasceu no século XIX, em algum lugar do estado de Minas Gerais. Filho de ex-escravos (a abolição havia sido proclamada quando ele nasceu), relata que teve 11 irmãos. Não ficaram claras as informações quanto à sua educação, ou seja, não dá para saber se era analfabeto ou se sabia ler e escrever perfeitamente. Faleceu aos 54 anos, vítima de Meningite.
Alguns dizem ter sido batizado por Sebastião, mas ele nunca disse nada disso. Era uma espécie de "curandeiro" e chegava a fazer até partos. Era muito ligado a uma avó africana da tribo Nagô, com quem aprendeu sobre remédios caseiros e rezas. Era muito procurado para curas, nesta época, em que a Medicina era tão pouco desenvolvida.
Conta que era revoltado com "maldades" que os negros sofriam na época. Como fruto desta revolta, CALUNGA começou a praticar trabalhos espirituais contra aqueles que ele considerava merecedores. Estas pessoas eram aquelas que realmente maltratavam muito os negros e escravos, por isso, ele "achava" dentro de suas convicções da época, que estava fazendo algum tipo de "justiça".
Sua vida começou a mudar em um dia que estava na cachoeira, praticando um de seus trabalhos, quando teve uma visão de um Espirito de Luz, uma mulher, uma "santa". Esta mulher lhe alertou sobre o mal que fazia, lhe explicou que não era bem assim e que, do mesmo jeito que ele trazia coisas ruins com sua "prática", ele poderia trazer também coisas boas. A visão desta mulher foi tão marcante na vida dele que o fez repensar tudo o que vinha fazendo.
Mas ao contrário dele mudar seus hábitos e seguir para uma nova vida, CALUNGA simplesmente não poderia mais continuar vivendo - devido a culpa e remorso que sentia pelo seu passado de vingança, acabou por desencarnar vítima de Meningite.
Seguiu no Umbral por muito tempo, pois sua culpa não o deixava descansar. Perdeu sua forma humana e virou uma entidade sofrida e isolada. A partir do momento que se cansou de sofrer, se rendeu e começou o processo do autoperdão. Então, já tinha condições de ser levado, começando a trabalhar em um hospital, ajudando as pessoas que haviam desercarnado como ele, com culpa. Ajudou também as pessoas que ele tinha prejudicado, e isto também foi o ajudando a se sentir melhor.
Hoje reside , no astral, em uma Comunidade (ele a define como Crística) cujo nome não foi citado por ele. É "casado" com duas mulheres, porém não sabemos como se procedem os casamentos lá, mesmo porque, os conceitos morais são distintos. Segundo suas palavras: "como as duas não queriam se separar, ficamos nós três juntos". Tem como mentor um espírito chamado Hilário. A Comunidade em que ele vive é espiritualista e segue uma linha diferente do 'Nosso Lar' de André Luis. Como o próprio CALUNGA diz: "os defuntos não ficam todos juntos, cada um segue para a Comunidade a qual ele tem afinidade".
http://conscienciametafisica.blogspot.com/

A beleza que 'podemos' criar...

De alma para alma...

De VOCÊ para VOCÊ...

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Muitas e muitas pessoas gastam suas vidas numa impressão eterna de passar pela vida sem viver.
Agrada-se aos pais, irmãos, amigos, namorado(a), marido, esposa. Se as pessoas que amamos estão felizes, está tudo bem. Não! Não é bem assim! Se não estamos bem é que não está tudo bem! Agradar aos outros, fazer pelos outros, dar de si sem contar, sem esperar de volta o que dizemos que a vida oferece naturalmente faz parte da nobreza do nosso caráter, mas não deve ser sinal da nossa fraqueza.
Há alguém que existe além do outro: VOCÊ!
O que ‘Deus’ nos pede não é uma vida de renúncias, como se não mais existíssemos, não fôssemos importantes, não tivéssemos, nós também, necessidades que devem ser preenchidas.
O carinho que damos é o mesmo que precisamos. A atenção que oferecemos é a mesma que carecemos. Amar o outro não é esquecer-se de si, é simplesmente amá-lo. E se esse amor exige de nós a aceitação de coisas que ferem nossa alma, é que algo está errado.
‘Deus’ não criou pessoas para servirem e outras para serem servidas. Ele criou todas as pessoas à sua imagem e semelhança, com desejos de dar e receber, como Ele mesmo. Ele nos dá um amor incondicional e nos ofereceu salvação, mas em troca pede que estejamos perto d’Ele.
Como podemos oferecer a felicidade e paz a alguém se nosso coração está morrendo? O amor ao outro não deve desgastar-nos, mas completar-nos.
E de você para você, digo:
‘Deus’ não quer migalhas de você, um ser destruído e com a impressão de não ter tirado da vida as melhores coisas. ‘Deus’ quer você completo, pois é somente estando bem que poderá fazer o bem.
Eu disse e digo uma vez mais: ame-se!
Ame-se o bastante para pôr-se de pé, para erguer a cabeça, para não aceitar viver uma vida de resignação em função de pessoas que não dão o mínimo valor ao que você é, ao que você pode ser. Ame-se ao ponto de poder olhar-se no espelho e ficar feliz com o que vê
Se isso ainda não acontece, vire a vida de cabeça para baixo, cuide da sua saúde física, mental e espiritual, cuide da sua aparência... coloque um enorme sorriso no rosto!
Afaste-se do mal, das armadilhas onde você inevitavelmente poderá cair, dos perigos que poderão fazer com que se perca. As velhas mágoas matam muito mais a você do que a quem te magoou, porque é você quem as carrega: aprenda a passar por cima.
Você pode perder muitas coisas na vida, mas perderá tudo, se perder a sua autoestima, seu amor-próprio.
Nosso corpo é o templo do Espírito Santo de Deus. Que tipo de lar tem você para oferecer Aquele que te formou?
Viva de forma que aqueles que estejam perto de você respirem a paz, percebam a luz e desejem estar eternamente na sua presença. 'Deus' também possui esse desejo.
http://arcadoconhecimento.blogspot.com/

Obsessão pelo trabalho e totalidade: a diferença

Perguntaram a Osho: Você poderia falar sobre a diferença entre obsessão pelo trabalho e totalidade no trabalho?
A diferença é enorme. O viciado no trabalho não é pleno em seu trabalho. Ele é obcecado pelo trabalho; ele não consegue sentar-se silenciosamente, tem de fazer algo, seja necessário ou não, e essa não é a questão.
No Japão, estão colocando mais e mais robôs para trabalhar nas fábricas, porque o robô pode trabalhar vinte e quatro horas por dia, sem greves, sem problemas com os sindicatos, sem pedir aumento de salário constantemente, sem férias.
Mas os trabalhadores são absolutamente contra isso, e o governo está pedindo a eles que tirem um dia de folga em sete.
No Japão, até aos domingos as pessoas trabalham — não existem feriados. E as pessoas estão se opondo ao governo, existe muito tumulto. Elas não estão prontas para ter um dia de folga por semana.
Serão pagas por isso, qual é o problema? Elas estão viciadas. Dizem: "O que vamos fazer em casa? Não, nós não queremos esse tipo de problema. Em casa haverá brigas com a esposa, com as crianças, e nós estamos viciados em trabalho. Abriremos o capô dos carros, embora tudo esteja funcionando, e destruiremos o carro tentando melhorar o motor. Abriremos o aparelho de televisão e o destruiremos. Já fizemos isso! Algumas vezes, quando tivemos um feriado nacional, nós o fizemos — destruímos os velhos relógios de nossos avós, que estavam funcionando perfeitamente bem, mas alguma coisa tinha de ser feita!"
Esses são os workaholics, os viciados em trabalho, exatamente como as pessoas viciadas em drogas. O trabalho é sua droga. Ele os mantém ocupados. Ele mantém as pessoas afastadas de suas preocupações, afastadas de suas tensões, exatamente como qualquer droga; ele sufoca suas preocupações, tensões, ansiedades, sofrimentos, cristianismo, Deus, pecado, inferno — tudo é sufocado. Uma pessoa infeliz subitamente começa a rir, a se divertir. 
Apenas vá a um bar e veja. Um bar é um lugar muito mais alegre que uma igreja. Todos riem, se divertem, brigam, socam o nariz do outro, e quando voltam para casa já é tarde da noite, estão cambaleantes, caindo na rua.

Eles se esqueceram de tudo... do mundo, de seus problemas e da terceira guerra. Mas você pode usar tudo como uma droga, apenas se torne viciado.
Algumas pessoas mascam chicletes. Tire os chicletes delas e veja como se tornam infelizes! Imediatamente começam a pensar: "A vida é inútil. Não há sentido na vida. Onde está o meu chiclete?" O chiclete as mantém envolvidas, da mesma forma que os cigarros.
E também é por isso que as pessoas bisbilhotam a vida dos outros. Isso as mantém envolvidas. Ninguém se preocupa se é verdadeiro ou falso; essa não é a questão. A questão é: como se manter envolvido e afastado de si mesmo?
Portanto, os viciados em trabalho são contra a meditação. Todo vício evita que você se torne um meditador. Todos os vícios têm de ser abandonados.
Mas ser total no trabalho é uma coisa completamente diferente. Ser total no trabalho não é um vício, é um tipo de meditação. Quando você está totalmente em seu trabalho, nele há a possibilidade de perfeição, o trabalho perfeito lhe trará alegria.
Se você pode ser perfeito e total no trabalho, pode ser total no não-trabalho — apenas sentando-se silenciosamente, em silêncio total. Você sabe como ser total. Você pode fechar os olhos e pode estar totalmente dentro. Você conhece o segredo de ser total. Portanto, ser total no trabalho é útil na meditação. 
O viciado em trabalho não pode meditar; não pode sentar-se silenciosamente, nem mesmo por alguns minutos. Ele se inquietará, mudará de posição, fará uma coisa ou outra, olhará dentro desta ou daquela bolsa, mesmo sabendo que não há nada nelas. Ele tirará os óculos, limpará, colocará de lado, mesmo sabendo que estão limpos.
Mas o homem que é total em seu trabalho não é viciado. Ele pode ser total — e será total em qualquer coisa. Ele será total enquanto dorme, será total enquanto caminha. Ele será apenas um caminhante, nada mais — nenhum outro pensamento, nenhum outro sonho, nenhuma outra imaginação. Ao dormir, ele simplesmente dormirá; ao comer, simplesmente comerá.
Você não faz isso. Você come e sua mente está fazendo centenas de viagens...
Eu tenho visto — em cada cama não há apenas duas pessoas, mas uma grande multidão. O marido está fazendo amor com sua esposa, mas pensa em Sophia Loren; a mulher não está fazendo amor com o marido, está fazendo amor com Mohammed Ali. Em cada cama você encontrará uma multidão! Ninguém é total em cada ato, nem mesmo no amor.
Portanto, seja total em tudo o que você faz ou não faz. Seja total, e toda a sua vida vai se tornar uma meditação.
Osho, "Dinheiro, Trabalho, Espiritualidade".

Vivam onde vocês estão

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A presença do seu corpo físico a cada momento está em perfeito alinhamento com o caminho da cura, o destino que vocês criaram para a sua vida, a intenção da alma para esta existência, sua história cármica e o propósito de vida. Dentro de cada momento há uma vibração energética específica com que vocês ressoam e que está em harmonia com o seu lugar no mundo. Esse é o lugar onde vocês vivem; é a sua experiência de vida, onde o caminho em que estão encontra-se com a jornada que é a sua existência, e quando vocês não estão plenamente neste momento e lugar, vocês não estão vivendo.

À medida que a consciência de caminhos alternativos, dimensões, realidades e mesmo universos é despertada, vocês têm a oportunidade de experimentar muitos caminhos de vida diferentes. Essa é uma alteração que pode ocorrer a qualquer momento, mas vocês não podem viver com a expectativa de que isso pode e vai ocorrer, negando a si mesmos a alegria e a paz que vocês acreditam que lhes estejam disponíveis nas dimensões ou vibrações superiores. Há alegria e paz em cada nível da consciência, e se a sua consciência está em um tempo ou lugar diferente, vocês não estão mais ancorados no seu self, na sua vida, em suas experiências ou em seu caminho.

Cada momento tem uma experiência perfeita, que possui a resposta para toda pergunta, para a conclusão de toda lição, para a realização de cada sonho. Se vocês anseiam o futuro enquanto amaldiçoam a vida que levam no momento atual, vocês não estão em contato com o seu poder. Embora possam sentir-se desprovidos de poder em uma situação, o poder de que precisam está lá, em algum lugar, mas vocês não estão conectados com ele porque sentem que ele está em outro lugar. A situação não os rouba do seu poder; vocês doam-no às pessoas, às circunstâncias, às situações e aos eventos que os fazem sentir-se impotentes. Para reivindicar sua vida e começar a viver de novo, vocês precisam recuperar o seu poder e viver onde vocês estão a cada momento.

O propósito da vida é lembrar-se de quem vocês são e que é parte de cada momento. Sua divindade, a essência da alma e a luz são sempre parte de vocês, independentemente das circunstâncias que estejam enfrentando. Cada momento é poderoso se vocês estiverem onde vocês estão, de fato. Lembrem-se de que a vida está acontecendo dentro e ao redor de vocês a cada momento. A vida não está no futuro, em alguma outra dimensão, ou em uma vibração diferente. Está acontecendo conforme vocês criaram-na, no lugar e no tempo certos. Qualquer coisa pode ser transformada quando vocês se lembram de avançar do lugar em que vivem, que é onde vocês estão agora, e estabelecer sua intenção para cada coisa que desejam neste momento, o que ajuda a criá-la no próximo.
Arcanjo Uriel, canalizado por
Jennifer Hoffman em 07/fev/2011
.

Sorrir é o melhor "remédio"

Recebido por e-mail.

Aceite-se ou Sofra (2)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Aceite-se essa é a oração.
Aceite-se essa é a gratidão.
Relaxe internamente.
É dessa maneira que Deus “queria” que você fosse. Ele não queria que você fosse de outro jeito; do contrário, teria feito você diferente. Ele fez você como você e como ninguém mais. Tentar se aprimorar é basicamente tentar aprimorar a Deus o que é uma idiotice, e você vai ficar cada vez mais louco nessa tentativa. Não vai chegar a lugar nenhum; simplesmente terá perdido uma grande oportunidade.
Deixe que essa seja a sua cor a aceitação. Deixe que essa seja a sua característica a aceitação, a completa aceitação. E então você ficará surpreso: a vida está sempre pronta a derramar as suas bênçãos sobre você.
A vida não é sovina; a vida sempre dá em abundância mas não podemos receber essa abundância porque não sentimos que merecemos recebê-la. É por isso que as pessoas se apegam às desgraças, elas se acomodam à sua programação.
As pessoas continuam se punindo de mil e uma maneiras sutis. Por quê? Porque isso se encaixa no seu programa.
Se você não é como deveria ser, terá de se punir, terá de criar sofrimentos para si mesmo. É por isso que as pessoas se sentem bem quando são sofredoras.
Deixe-me dizer uma coisa: as pessoas ficam contentes quando são sofredoras; elas se tornam muito, mas muito inquietas quando estão felizes. Isso foi o que observei em milhares e milhares de pessoas: quando elas são infelizes, tudo está como deveria ser. Elas aceitam a situação essa situação de infelicidade se enquadra no condicionamento, na mente delas. Elas sabem o quanto são horríveis, elas sabem que são pecadoras.
Disseram-lhe que você nasceu no pecado.
Que estupidez!
Que absurdo!
O homem não nasce no pecado, mas na inocência.
Nunca houve nenhum pecado original, a única coisa que houve foi a inocência original. Toda criança nasce na inocência. Nós fazemos com que se sinta culpada começamos a dizer: "Assim não pode ser. Você deve ser deste modo." 
E a criança é natural e inocente. Nós a castigamos por ser natural e inocente e a recompensamos por ser artificial e esperta. Nós a recompensamos por ser falsa todas as nossas recompensas são para as pessoas falsas. Se alguém é inocente, não lhe damos nenhuma recompensa; não temos nenhuma consideração para com essa pessoa, não temos nenhum respeito por ela. O inocente é condenado, o inocente é considerado quase como um sinônimo de criminoso. O inocente é considerado tolo, o esperto é considerado inteligente. O falso é aceito o falso se encaixa na sociedade falsa.
Então, toda a sua vida não passa de um esforço para criar cada vez mais punições para si mesmo. E tudo o que você faz é errado; então você tem de se punir por todas as alegrias. Até mesmo quando a alegria vem a despeito de você mesmo, lembre-se, quando a alegria vem a despeito de você, quando às vezes Deus simplesmente se choca contra você e você não pode evitá-lo imediatamente você começa a se punir.
Algo deu errado como isso pôde acontecer a uma pessoa horrível como você?
Na noite passada, um homem me perguntou:
"Osho, o senhor fala sobre o amor, o senhor fala de dar o seu amor. Mas o que eu tenho para dar a todo mundo?"
Ele quis saber:
"O que eu tenho para oferecer à minha amada?"
Essa é a ideia secreta de todo mundo: "Eu não tenho nada."
O que você não tem?
Ninguém lhe disse que você tem todas as belezas de todas as flores porque o homem é a mais bela flor desta terra, o ser mais evoluído.
Nenhum pássaro pode cantar a canção que você é capaz de cantar; o canto dos pássaros não passa de ruídos, embora ainda assim seja lindo porque vem da inocência. Você pode cantar canções muito melhores, de maior importância, com muito mais significados.
Mas você pergunta: "O que eu tenho?"
As árvores são verdes, belas; as estrelas são belas e os rios são belos mas você já viu algo mais belo do que o rosto humano?
Você já se deparou com algo mais belo do que os olhos humanos?
Em toda a terra, não existe nada mais delicado que os olhos humanos nenhuma rosa pode competir com eles, nenhum lótus pode competir. E que profundidade!
Mas você quer saber: "O que eu tenho para oferecer no amor?"
Você deve ter vivido uma vida de condenação de si mesmo; você deve ter-se depreciado, sobrecarregando-se de culpas. Na verdade, quando alguém o ama, você fica um tanto surpreso. "Quem... eu? Uma pessoa me ama?"
A ideia surge na sua mente:
"É porque ela não me conhece. É isso. Se vier a me conhecer, se me observar melhor, ela nunca me amará."
E assim os amantes começam a se esconder uns dos outros. Eles guardam muitos segredos, não abrem os seus segredos porque têm medo de que, no momento em que abrirem o coração, o amor irá desaparecer porque não conseguem se amar, como podem imaginar que alguém os ama?
O amor começa com o amor por si mesmo.
Não seja egoísta, mas satisfeito consigo mesmo e essas são duas coisas diferentes. Não seja um Narciso, não seja obcecado por si mesmo mas o amor por si mesmo é um dever, um fenômeno básico. Apenas quando parte desse pressuposto é que você pode amar alguém.
Aceite a si mesmo, ame a si mesmo; você é uma criação de Deus. A assinatura de Deus está em você e você é especial, único.
Ninguém mais nunca foi como você e ninguém mais jamais será como você é simplesmente único, incomparável. Aceite isso, ame isso, celebre isso na própria celebração você vai começar a ver a singularidade dos outros, a incomparável beleza dos outros.
O amor só é possível quando existe uma profunda aceitação de si mesmo, do outro, do mundo. A aceitação cria um ambiente em que o amor prospera, o solo em que o amor viceja."
Osho.

Aceite-se ou Sofra (1)

"No momento em que você se aceita, você se torna aberto, torna-se vulnerável, receptivo. No momento em que você se aceita, não há necessidade de futuro nenhum, porque não há necessidade de melhorar coisa alguma. Então, tudo é bom, tudo é bom como é. No próprio exercício de viver, a vida começa a adquirir um novo colorido, surge uma nova harmonia.
Se você aceita a si mesmo, esse é começo da aceitação de tudo. Se rejeita a si mesmo, você está basicamente rejeitando o universo; se rejeita a si mesmo, você está rejeitando a vida. Se aceita a si mesmo, você aceitou a vida; então, não há mais nada a fazer além de sentir prazer, celebrar. Não há do que se queixar, não há ressentimentos; você se sente grato. Então, a vida é boa e a morte é boa; então, a alegria é boa e a tristeza é boa; então, estar com a pessoa amada é bom e estar sozinho é bom. Então, tudo o que acontece é bom, porque acontece a partir do todo.
Mas você foi condicionado, ao longo de séculos, a não aceitar a si mesmo. Todas as culturas do mundo foram envenenadas pela mente humana, porque todas elas dependem de uma coisa: melhorar a si mesmo. Todas despertaram ansiedade em você.
Ansiedade é o estado de tensão entre o que você é e o que deveria ser. As pessoas tendem a permanecer ansiosas se houver um "deve" na vida. Se há um ideal que tem de ser atingido, como você pode ficar relaxado? Como pode ficar em casa? E impossível viver qualquer coisa totalmente, porque a mente anseia pelo futuro. E esse futuro nunca vem ele não pode vir.
Pela própria natureza do seu desejo, é impossível quando ele vem, você começa a imaginar outras coisas, você começa a desejar outras coisas. Você pode sempre imaginar uma situação melhor. E você pode sempre ficar na ansiedade, tenso, preocupado é assim que a humanidade tem vivido por séculos.
Apenas raramente, de vez em quando, um homem escapa da armadilha. Esse homem é chamado de Buda, de Cristo, etc., ...
O homem desperto é aquele que conseguiu sair da armadilha da sociedade, que viu que essa armadilha não passa de um absurdo. Você não pode melhorar a si mesmo. E eu não estou dizendo que a melhora não aconteça; lembre-se mas você não pode melhorar a si mesmo. Quando pára de se melhorar, a vida melhora você. 
Nesse relaxamento, nessa aceitação, a vida começa a cuidar de você, a vida começa a fluir através de você. E quando você não tem nenhum ressentimento, nenhuma queixa, você desabrocha, você floresce.
Portanto, eu gostaria de lhe dizer: 
aceite a si mesmo como você é!
E essa é a coisa mais difícil do mundo, porque vai contra o seu treinamento, a sua educação, a sua cultura. Desde o início da vida lhe disseram como você deveria ser. Ninguém nunca lhe disse que você é bom assim como é; eles sempre puseram programas na sua mente. Você foi programado pelos pais, pelos padres, pelos políticos, pelos professores você foi programado para apenas uma coisa: simplesmente continuar se aprimorando. Aonde quer que você vá, vai correndo atrás de alguma coisa. Você nunca descansa. Trabalha até a morte.
O meu ensinamento é simples: não adie a vida.
Não espere pelo amanhã, pois ele nunca vem.
Viva o dia de hoje!
Jesus disse aos seus discípulos: "Olhai para os lírios do campo, como crescem; eles não trabalham, nem fiam contudo eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles."
Qual é a beleza das humildes flores?
Sua beleza está na total aceitação. Elas não têm um programa em seu ser para melhorar. Elas estão aqui e agora dançando ao vento, tomando banho de sol, conversando com as nuvens, dormindo no calor da tarde, flertando com as borboletas... , desfrutando, sendo, amando, sendo amadas.
E toda a vida começa a despejar a sua energia dentro de você quando você está aberto. Então as árvores são mais verdes do que lhe parecem ser agora; então o sol é mais brilhante do que lhe parece ser agora; então tudo torna-se psicodélico, colorido. Do contrário, tudo perde a graça, torna-se insípido, melancólico e sem brilho".

Osho.