Você "já É" o que busca!

quinta-feira, 30 de junho de 2011

É provável que a maioria que ler essas palavras não concorde com o que elas apontam. É colocado na mente das pessoas, desde muito cedo, e em repetidas lições, que algo deve ser atingido, que você não é o que tem de ser, que algo precisa ser feito. Isso faz com que você nunca se aceite: seu corpo, mente, emoções e sentimentos. A vida é apenas um confronto com o que acontece sem nunca relaxar-se no que se é, sem nunca ter Paz. A ideia de uma suposta "evolução" sem limites, crescimento espiritual, perfeição da alma, enfim, uma série de ideias que só o afastam do que você é.
O convite dos iluminados é claro: VOCÊ JÁ É O QUE BUSCA.
Um de meus mestres e amigos, o iluminado Satyaprem, ensina: 
"por todos os tempos pessoas tem 'buscado' incessantemente por algo. Aquilo que os fará 'felizes para sempre'. E essa busca inclue todos os campos da vida, todos os desejos: paz, tranquilidade, dinheiro, poder, glória, status, amor, sexo, drogas, busca espiritual. Todos colocados na mesma dimensão, de algo que está além. Algo pelo qual, ou contra o qual, você tem de lutar. E mil técnicas são ensinadas para que você atinja um estado de paz e êxtase constantes. Mil técnicas que incluem mantras, luzes, meditações, catarses, terapias e outras tantas. A busca. E essa mesma palavra define uma caminhada para algum lugar distante. E se de repente você descobrir que não há esse lugar, que o desejo está destinado a sempre ser frustrado?

Então só há um caminho: parar a caminhada e descobrir.
Você já chegou lá, basta abrir os olhos".
OSHO.

SETE passos para superar o controle do ego (2)

5 – Deixe ir a necessidade de ter mais.
O mantra do ego é mais. Ele nunca está satisfeito. Não importa quanto você consiga ou adquira, seu ego vai insistir que não há o suficiente. Você se encontrará em um estado perpétuo de esforço para obter, eliminando a possibilidade de nunca chegar. Entretanto, na realidade, você já chegou, e como você optar por usar este momento presente de sua vida, é sua escolha.
Ironicamente, quando você deixa de precisar mais, mais do que você deseja parece chegar a sua vida. Desde que você se desligou da necessidade por isto, você achará mais fácil transmiti-lo aos outros, porque você compreende quão pouco você precisa a fim de ficar satisfeito e em paz.
A Fonte universal está contente com ela mesma, expandindo-se constantemente e criando nova vida, sem tentar se apegar as suas criações para seus próprios propósitos egoístas. Ela cria e libera. Quando você libera a necessidade do ego de ter mais, você se unifica a esta Fonte. Você cria, atrai para si e libera, nunca exigindo que mais venha ao seu caminho. Como um apreciador de tudo o que se apresenta, você aprende a poderosa lição de S. Francisco de Assis: “É dando que recebemos.” Ao permitir que a abundância flua para e através de você, você se equipara a sua Fonte e garante que esta energia continue a fluir.
6 – Deixe de se identificar com base em suas realizações.
Este pode ser um conceito difícil se pensar que vocês são as suas realizações. Deus canta todas as músicas, Deus constrói todos os prédios, Deus é a fonte de todas as suas realizações. Eu posso ouvir o seu ego protestando em voz alta. 
Entretanto, permaneça atento a esta ideia. Tudo emana da Fonte! Você e esta Fonte são um! Você não é este corpo e as suas realizações. Você é o observador. Observe tudo isto; e seja grato pelas habilidades que acumulou. Mas dê todo o crédito ao poder da intenção, que lhe trouxe à existência e da qual é uma parte materializada. Quanto menos precisar assumir o crédito pelos seus empreendimentos e mais conectado permanecer às sete faces da intenção, mais estará livre para realizar, e mais se
apresentará para você. Quando você se liga a estas conquistas e acredita que apenas você que está fazendo todas estas coisas, você deixa a paz e a gratidão de sua Fonte.
7 – Deixe ir a sua reputação.
Sua reputação não está localizada em você. Ela reside nas mentes dos outros. Portanto, você não tem nenhum controle sobre tudo isto. Se falar para 30 pessoas, você terá 30 reputações. Conectar-se à intenção significa ouvir o seu coração
e se conduzir baseado naquilo que a sua voz interior lhe diz que é o seu propósito aqui. Se estiver muito preocupado em como será percebido por todos, então você se desliga da intenção e permite que as opiniões dos outros o oriente. Este é o seu ego operando. É uma ilusão que se interpõe entre você e o poder da intenção. Não há nada que não possa fazer, a menos que se desconecte da fonte de poder e se torne convencido de que o seu propósito é provar aos outros como você é poderoso e superior, e gaste a sua energia tentando ganhar uma gigantesca reputação entre outros egos. 
Permanecer no propósito, desligar-se do resultado, e assumir a responsabilidade pelo que faz, reside em você: seu caráter.
Deixe que a sua reputação seja debatida por outros. Ela nada tem a ver com você. Ou como o título de um livro diz: “O que você pensa de mim, não é da minha conta.
Dr. Wayne W. Dyer.
Tradução: Regina Drumond.
http://spiritlibrary.com/wayne-w-dyer/
seven-steps-for-overcoming-ego-s-hold-on-you
 

SETE passos para superar o controle do ego (1)

1 – Deixe de ficar ofendido.
O comportamento dos outros não é motivo para ficar retido. Aquilo que o ofende somente o enfraquece. Se estiver procurando ocasiões para ficar ofendido, você as encontrará a cada oportunidade. Este é o seu ego operando, convencendo-o de que o mundo não deveria ser assim. Mas você pode se tornar um
apreciador da vida e se equiparar ao Espírito Universal da Criação. Você não pode alcançar o poder da intenção ao ficar ofendido. De qualquer modo, aja para erradicar os horrores do mundo que emanam da identificação massiva do ego, mas fique em paz. Como “Um Curso em Milagres” nos lembra: “A Paz é de Deus, você que é parte de Deus, não está no lar, exceto em sua paz. O Ser é de Deus, você que é parte de Deus não está no lar, exceto em sua paz”. Ficar ofendido cria a mesma energia destrutiva que o ofendeu em primeiro lugar e leva ao ataque, ao
contra-ataque e à guerra.
2 – Libere a sua necessidade de vencer.
O ego adora nos dividir em vencedores e perdedores. A busca da vitória é um meio infalível de evitar o contato consciente com a intenção. Por quê? Porque em última instância, a vitória é impossível o tempo todo. Alguém lá fora será mais rápido, mais afortunado, mais jovem, mais forte e mais inteligente, e novamente você se sentirá inútil e insignificante.
Você não é o seu prêmio ou a sua vitória. Você pode curtir a competição, e se divertir em um mundo onde a vitória é tudo, mas você não tem que estar lá em seus pensamentos. Não há perdedores em um mundo onde todos compartilham a mesma fonte de energia. Tudo o que você pode dizer em um determinado dia é que você realizou em um determinado nível, em comparação aos níveis de outros neste dia. Mas hoje é outro dia, com outros competidores e novas circunstâncias a considerar. Você está ainda na presença infinita em um corpo que está em outro dia, ou em outra década, mais velho. Deixe ir a necessidade de vencer, sem concordar que o oposto de vencer é
perder. Este é o medo do ego. Se o seu corpo não está atuando de modo a vencer neste dia, ele simplesmente não se importa quando você não está se identificando exclusivamente com o seu ego. Seja o observador, notando e apreciando tudo isto sem precisar ganhar um troféu. Esteja em paz, e corresponda com a energia da intenção. E, ironicamente, embora você quase não o perceba, mais vitórias se apresentarão em sua vida quando menos as perseguir.
3 – Deixe ir a sua necessidade de estar certo.
O ego é a fonte de muitos conflitos e desavenças, porque ele o empurra na direção de tornar outras pessoas erradas. Quando você é hostil, está desconectado do poder da intenção. O Espírito Criativo é bondoso, amoroso e receptivo; e livre da raiva, do ressentimento ou da amargura. Liberar a sua necessidade de estar certo em suas discussões e relacionamentos é como dizer ao ego: eu não sou um escravo para você. Eu quero aceitar a bondade e rejeitar a sua necessidade de estar certo. Realmente, eu oferecerei a esta pessoa uma oportunidade de se sentir melhor, dizendo que ela está certa, e lhe agradecer por me apontar na direção da verdade.
Quando você deixa ir a necessidade de estar certo, é capaz de fortalecer a sua conexão com o poder da intenção. Mas tenha em mente que o ego é um combatente determinado. Eu tenho visto pessoas terminarem relacionamentos maravilhosos, apegando-se a sua necessidade de estar certo, interrompendo-se no meio de um argumento e se questionando: “Eu quero estar certo ou ser feliz?” Quando você escolhe o humor feliz, amoroso e espiritualizado, a sua conexão com a intenção é fortalecida. Estes momentos expandem no final das contas, a sua nova conexão com o poder da intenção. A Fonte universal começará a colaborar com você, criando a vida que você pretendia viver.
4 – Deixe ir a sua necessidade de ser superior.
A verdadeira nobreza não se refere a ser melhor do que outra pessoa. Trata-se de ser melhor do que você costumava ser. Permaneça focado em seu crescimento, com uma consciência permanente de que ninguém neste planeta é melhor do que outro. Todos nós emanamos da mesma força de vida criativa. Todos nós
temos uma missão de compreender a nossa essência pretendida. Tudo o que precisamos para cumprir o nosso destino nos está disponível. Nada disto é possível quando você se vê como superior aos outros. É um velho provérbio, mas, entretanto, verdadeiro: “Somos todos iguais aos olhos de Deus”. Deixe ir a sua necessidade de se sentir superior, vendo a revelação de Deus em todos. Não avalie os outros com base em sua aparência, em suas conquistas, posses e em outros índices do ego. Quando você projeta sentimentos de superioridade, isto é o que você recebe de volta, levando a ressentimentos, e principalmente, a sentimentos hostis. Estes sentimentos se tornam o veículo que o distancia mais da intenção. ‘Um Curso em Milagres’ trata desta necessidade de ser especial e superior. A pessoa que se julga especial sempre faz comparações.
Dr. Wayne W. Dyer.
Tradução: Regina Drumond.
http://spiritlibrary.com/wayne-w-dyer/
seven-steps-for-overcoming-ego-s-hold-on-you
 

Pais e Filhos - Companheiros de Jornada

Ser perfeito não é se encaixar num molde de pessoa ideal.”
Boa parte de nossas vidas vivemos de imaginar papéis e de tentar vivê-los, de atribuir papéis aos que nos cercam, e esperar que os vivam. Isto é ainda mais evidente quando se fala de pais e filhos.
A maioria dos pais e mães tem uma imagem de paternidade e de maternidade construída ao longo dos milênios e do processo educativo e social, das influências da mídia e dos pais que teve, e projeta para si um ideal de conduta perante os filhos. Mesmo quando discordamos dos pais que tivemos e decidimos adotar outras maneiras de agir, ainda assim não podemos negar que o que fazemos tem relação com o que fizeram.
Muito do que projetamos para nós também tem a ver com o modo como queremos ser vistos no nosso círculo de relações (família, colegas, amigos): cuidadosos, previdentes, interessados no bem-estar e no futuro dos filhos.
Mas se pararmos para pensar no papel de pai que decidimos viver, encontraremos nele certas características: é afetuoso ou distante, preocupado ou laissez-faire, flexível ou autoritário, exigente ou liberal...
E este papel assumido, além de não ser garantia de que nos tornamos bons pais, nem sempre tem a ver com o modo como realmente sentimos, dentro de nós.
Bem nos lembrava J.A. Gaiarsa, em Minha Querida Mamãe (Ed. Gente), de que as famílias funcionam muito mais a partir das expectativas e imposições entre seus membros que da percepção de si mesmo e do outro. Definimos deveres recíprocos e isto nos poupa de olhar olho no olho, de prestar atenção na criatura que vive conosco, de observar se ela é feliz e se nós mesmos estamos felizes com o modo de vida que adotamos.
Pensamos, por exemplo, em proporcionar cultura, diplomas, bens, como sendo grande parte da função dos pais. E imaginamos que os bens e os diplomas que vamos deixar para ele vão substituir as inúmeras horas de convivência que passamos tensos ou indiferentes às suas necessidades. Contudo, pensando melhor, vemos que a posse de coisas e o saber acadêmico não substituem a realização interior que deve acompanhá-los, e que eles podem descobri-la conosco, observando nosso modo de lidar com nossos bens e conhecimentos. No entanto, como fazemos isto?...
E no relacionamento familiar? Será que interiorizamos clichês do tipo: mãe de verdade faz assim, pai que é pai jamais permitiria tal coisa? E economizamos nossa sensibilidade, tantas vezes embotada por falta de uso, aplicando jargões num terreno que é dos mais importantes de nossas vidas: na educação de nossas crianças. E ainda usamos tais frases, frequentemente, acompanhadas de: que diriam nossos amigos ou vizinhos, se agíssemos diferente?...
Talvez seja hora de nos preocuparmos menos com o que pensam os outros e de tentar compreender o que pensam os nossos filhos.
De entrar em contato com o que realmente sentimos ser bom para nós e para nossa família. De checar nossas crenças arraigadas e antigas, se todas continuam valendo.
De verificar que temos inseguranças e incertezas como qualquer ser humano e não precisamos ter vergonha de assumi-las abertamente.
Pais nem sempre tem razão. Pais podem eventualmente não saber que atitude tomar. Pais sempre podem pensar melhor sobre o que foi dito. Pais podem aprender algo com seus filhos. Podem reconsiderar sem perder a autoridade e o respeito.
Que neste 2002, se posso desejar isto, desejo que todos estes pais que vêm sofrendo para caberem num ideal de pai e de mãe onisciente e previdente, sempre seguro e dono da verdade, despertem para a verdade.
O preço mínimo desta ilusão é a hipocrisia e o distanciamento, e certamente não desejamos pagá-lo. Afinal, nossos filhos até podem encontrar ombros e ouvidos em muitos lugares, felizmente. Mas se lhes perguntássemos, saberíamos que eles prefeririam ter os ombros e ouvidos, a atenção, a compreensão e o carinho de seus pais.
Rita Foelker
11/01/2002
http://www.espirito.org.br/portal/artigos/
rita-foelker/pais-e-filhos.html

Limitamos o Potencial Dentro de Nós

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Entre nós também há aqueles que pensam que já sabem tudo. O problema aí é que não se cresce e uma pessoa não se abre a nada de novo.
Com que frequência se acomoda nas limitações do seu presente estado de consciência? Cada vez que diz "Não posso" está colocando um sinal de 'PARE' à sua frente. Na prática, está fechando a porta à sabedoria interior e bloqueando esse fluir de energia que constitui o nosso conhecimento espiritual. Está preparado para ir para além dos seus conceitos atuais? Hoje de manhã acordou com determinados conceitos e ideias, mas você sabe que é possível, que tem a capacidade de ultrapassar alguns deles e desse modo experimentar uma realidade que nos transcende. Isto chama-se aprendizagem, porque estamos recebendo qualquer coisa nova. Pode ser que encaixe com o que já lá estava, mas também pode ser ainda melhor.
Precisamos fazer uma limpeza nos velhos conteúdos que já não funcionam, para criar espaço para novas possibilidades. Onde Deus está, tudo é possível, e Deus está dentro de cada um de nós. Se insistirmos nas nossas ideias preconceituosas, ficamos bloqueados. Quando alguém adoece, você diz: "Coitado, o que ele deve estar sofrendo!" Mas também pode olhar para essa pessoa e ver a verdade absoluta do ser e afirmar a saúde do Poder Divino que está dentro dela. Tem consciência da totalidade das possibilidades e sabe que os milagres podem acontecer?

E afinal é tão simples, basta abrir a sua consciência a um novo modo de pensar.

Expandir os Nossos Horizontes
Como é que nos mantemos fora da totalidade das possibilidades? Quais são as nossas limitações? Todos os nossos receios são limitações. Se está assustado com qualquer coisa e diz "Não consigo", "Acho que não vai dar", o que é que acontece? Volta a experimentar o medo uma e outra vez. Os julgamentos são também limitações. Ninguém gosta de ser julgado, no entanto, quantas vezes não julgamos? Os nossos juízos promovem as limitações. Cada vez que damos por nós a julgar ou a criticar, por mais indiferente que seja a questão, lembre-se que aquilo que lançamos para o exterior volta sempre a casa com mais força ainda. Você pode interromper esse ciclo da limitação das possibilidades transformando o pensamento em algo maravilhoso.
Convém esclarecer que há uma enorme diferença entre julgar e ter uma opinião. Quantas vezes não nos é pedida uma opinião? Uma opinião é o que sente sobre qualquer coisa. E preciso diferenciar as coisas. Lembre-se que a crítica estabelece sempre que alguém está errado, você ou a outra pessoa. Se alguém lhe pedir uma opinião, não deixe que ela se transforme num juízo ou numa crítica.
Do mesmo modo, sempre que cede à culpa, está estabelecendo mais uma limitação. Se magoar alguém, peça desculpa e não volte a magoá-la. Não se encha de sentimentos de culpa porque isso só o vai manter afastado da experiência do bem e nada tem que ver com a realidade do seu verdadeiro ser.
Quando não está preparado para perdoar, está também limitando o seu crescimento. O perdão permite corrigir um erro ao nível do ser espiritual, possibilita a compreensão e afasta o ressentimento, potência a compaixão e expulsa o ódio. Precisamos confiar no Poder e na Presença dentro de nós, que nos é tão infinitamente superior. 

Louise L. Hay, "O Poder Está Dentro de Si".

Você é o resultado DA SUA mente

Você é o que for a sua mente. A mente age, gerando em si mesma um estado de paz ou de agitação, de alegria ou de tristeza, de amor ou de ódio, de riqueza ou de pobreza, de sucesso ou de fracasso, e o corpo reage gerando bem-estar ou doenças, de acordo com o conteúdo que a mente lhe envia.
O homem é a sua mente. O corpo é a manifestação da mente. A estrutura humana é expressão da mente. Quando a mente se deteriora, o corpo se deteriora; quando a mente deixa o corpo, a energia corpórea se transforma em outros tipos de energia.
O corpo, portanto, é o resultado da mente. Como a mente é controlável, a saúde e a doença podem ser controláveis. A mente em estado de perfeita ordem e harmonia gera um corpo em perfeita ordem e harmonia, ou seja, em estado de saúde.
Por outro lado, a mente é o agente de todos os estados intelectuais, emocionais, sensoriais, extra-sensoriais e espirituais.
COMO FUNCIONA A SUA MENTE
A mente é uma só, mas tem duas funções ou características: mente consciente e mente subconsciente.
A mente consciente é a mente racional, objetiva; é a mente que pensa, analisa, raciocina, deduz, tira conclusões, seleciona, censura, dá ordens, determina, imagina; é a mente servida pelos sentidos; é a mente em estado de vigília e responsável pelo que você é.
A mente subconsciente é a mente subjetiva, impessoal, não seletiva, cujo papel é cumprir as ordens que recebe da mente consciente através do pensamento. Tudo o que a mente consciente aceita como verdadeiro, a mente subconsciente também aceita e realiza.
Nas profundezas do subconsciente residem o poder infinito, a sabedoria infinita, a saúde infinita, enfim todos os atributos divinos.
A mente consciente age e a mente subconsciente reage de acordo.
O poder de mover o mundo está no subconsciente. O que você grava na mente subconsciente, esta moverá céus e terras para tornar realidade física.
O subconsciente é, também, o construtor do corpo e mantém todas as suas funções vitais. Trabalha sempre, noite e dia, tentando ajudá-lo e buscando preservá-lo de qualquer dano. Pode-se dizer que a mente subconsciente é universal ou cósmica, por isso você abrange todo o universo dentro de você.
A mente subconsciente pode ter muitos nomes, uma vez que ela é íntima com o espírito e o espírito é infinito. Jesus dizia: Eu e o Pai somos UM. Havia absoluta interação entrea sua mente consciente e subconsciente, daí o Poder Infinito do Mestre, capaz de realizar milagres a qualquer momento.
Outras pessoas falam em Eu Superior, em Mente Cósmica, em Presença Infinita, em Poder Infinito, em Energia, Vida, assim por diante. Qualquer nome que você dê, será um nome limitado, pois você nunca abrangerá toda a extensão da sua mente, porquanto chega a um ponto em que ela se confunde com a própria divindade.
A mente subconsciente tem força infinita, capaz de realizar todos os seus desejos, mas nunca age por conta; ela age, de modo todo especial, determinada pelo pensamento. O pensamento dá a ordem e o subconsciente cumpre.
Por isso, você é o resultado dos seus pensamentos.
Pronto, agora você desvendou o mistério. Agora você tem as chaves do reino dos céus. Como dizia Jesus Cristo: “O reino de Deus está dentro de vós mesmos.”
Lauro Trevisan, “O Poder Infinito da Sua Mente”.

A Coragem de SE VER

terça-feira, 28 de junho de 2011

O que você mais odeia nas pessoas?
Tire uns minutos para pensar ...
Identifique o que realmente lhe incomoda.
Eu não quero as coisas que simplesmente você não gosta mas a coisa que chega a lhe deixar furioso.
Já lembrou?
Por que será que essa coisa nos outros mexe tanto com você?
Percebe que existem tantas coisas que você não gosta de ver nos outros mas não chegam a lhe incomodar realmente e particularmente essa o incomoda?
Agora, tenha um pouco de coraqem e verifique se você também costuma fazer essa coisa, só que não gosta de saber que faz, pois é algo que o seu lado perfeccionista abomina e condena.
De imediato você pode dizer que não. Isso é normal, afinal de contas você até hoje tem tentado esconder isso de si, para não se reprovar e se punir, como sempre faz nesses casos.
O nome disso é inconscientizar. Ou seja, tornar inconsciente, jogar para o fundo escuro de nossa percepção.
Em nosso dia a dia, é comum nós não vermos o que fazemos, pois nós podemos treinar nossa percepção a ver ou não ver o que quisermos.
Nossa consciência é como um farol: só o que é focalizado pode ser visto; o resto fica nos escuros da inconsciência até que nós voltemos a prestar atenção.
Se eu olho para um lado, os outros lados ficam inconscientes até que eu gire o meu olhar para tornar consciente os outros lados. Com isso podemos evitar olhar para o que não é de nosso interesse olhar. Fingimos que algo não existe e depois fingimos que não estamos fingindo.
Assim, tornamos o que é inconveniente totalmente inconsciente. Quando nossas ilusões não gostam da verdade, nós costumamos inconscientizá-la.
Você sabe como gostamos de nos iludir, de sonhar, de imaginar, a pretexto de sermos positivos ou otimistas, e por isso achamos a verdade cruel e fugimos dela. Não vemos nem em nós nem nos outros o que não queremos ver e sempre acabamos por pagar um preço muito alto por isso ... 
Vivemos reprimindo os nossos impulsos indesejados, nossas vontades que o mundo ao nosso redor não aceita, nosso jeito de ser que pode incomodar os outros e despertar críticas. 
Você nunca se pegou naquela situação em que você está andando na rua e, de repente, uma velhinha que está na sua frente escorrega em qualquer coisa e quase cai. A sua vontade imediata é de rir, mas você se censura e contém o riso de dois jeitos ao mesmo tempo. Primeiro no corpo, retesando os músculos do rosto, bloqueando o fluxo do impulso indesejado; depois, inconscientiza a imagem engraçada da velha escorregando. Quer dizer, para se segurar você fica tensa, porque não dá para pensar na cena, senão desata a rir. Precisa distrair a cabeça em qualquer outra coisa, e distrai pensando que coisa triste aconteceu com a velhinha.
Muitas vezes você está assistindo a um filme emocionante e sente vontade de chorar, mas reprime. Como? Aperta o peito, a barriga, aperta tudo e distrai a atenção disfarçando e fazendo o contrário, ou seja, rindo feito bobo. Você não se permite chorar para não se expor, porque está preocupado com o que os outros vão pensar de você.
Então você se reprime para continuar mantendo a imagem de pessoa maravilhosa. Ainda mais se você for homem, porque homem é forte e não chora por bobagens.
Se você vai viajar e devido à distância precisar ir de avião, isso pode ser um problema se você tem medo de andar de avião. Como você precisa empreender a viagem, você reprime o medo apertando o diafragma, o corpo todo, bem como a aura, e fica encolhido para não sentir. A aura é o seu campo energético, um campo de força que existe em você, que se exterioriza e que está relacionado com o corpo astral.  
E o que a aura tem a ver com a repressão? 
Na repressão, o que primeiramente encolhe não é o corpo físico, apesar de aparentemente dar essa impressão. O corpo físico não sente, não tem sensações.
Quem sente é o corpo astral, e é ele que encolhe, por isso diminui o medo, a dor, etc. É no corpo astral que circulam as sensações que repercutem no corpo físico.
Quando você diz que soltou os músculos, o que de fato você soltou foi o corpo astral, e em seguida o físico acompanha essa postura.
Toda tensão física é decorrente de um fator psicológico que atua no corpo astral e este no corpo físico. 
Eu cheguei a essa conclusão quando um dia estava deitado na cama e, de repente, saí do corpo físico. Este ficou na cama e eu mexia nele e ele estava duro como um pedaço de madeira. Aí eu vi que o corpo em que eu estava, o astral, era igualzinho ao corpo físico. Eu sentia o meu pé, as minhas mãos, mas apertava as mãos do corpo físico e não sentia nada. O mesmo acontece com a pessoa que desmaia diante de uma situação que ela vê como complicada ou dolorosa. Ela larga o corpo físico para conter o impacto da dor ou da situação.
Acredito que você conhece pessoas que estando numa situação ruim fogem dela de muitas maneiras. Por exemplo, se drogando, se alienando, dormindo, etc.
Elas acreditam que fugindo vão se safar da situação. Só que quando retomam está tudo igual. E vai estar mesmo, porque não fizeram nenhum trabalho de modificação.
Então, para não ter sensações e sofrer o impacto da dor, as pessoas se reprimem, se encolhem, e a energia começa a deixar de circular. Junto com o encolhimento, distraem a cabeça de vários modos, porque tudo isso é instintivo e não precisa ser ensinado para ninguém. 
Agora, você acredita que o material que você recalcou desaparece de você? 
 Sinto avisar que ele não deixou de existir.
Luiz A. Gasparetto.

Prepare "o solo"... e CONFIE

Quando Jesus disse: "O Reino de Deus é como a semente de mostarda", estava dizendo milhões de coisas. Esta é a beleza da parábola: com quase nada, quanta coisa pode ser dita!
Quando a semente morre, surge o universo, a árvore, o Reino de Deus. Se você estiver procurando este reino em algum outro lugar, estará procurando em vão. Se quiser encontrar o Reino de Deus, terá de ser como a semente e morrer. Então, de repente, a árvore surgirá. Você não mais existirá, apenas Deus, você nunca encontrará Deus. Se você estiver presente, Deus não estará. Quando você desaparecer, Deus surgirá. Na realidade, o encontro não acontece.
Quando VOCÊ não existe, Deus está presente — o vazio em suas mãos. Quando você não é mais ninguém, Deus está presente. Novamente um paradoxo: a semente contém a árvore, mas a semente também pode matar a árvore. Se a semente ficar com medo da morte, então o próprio invólucro tomar-se-á uma prisão; a própria casca que estava protegendo a árvore antes dela encontrar o solo certo tornar-se-á uma prisão — então a árvore morrerá na semente.
Vocês são como sementes que se tornaram prisões. Buda é uma semente, Jesus é uma semente, cuja casca não é mais uma prisão; é uma semente, uma casca que morreu, dando origem a uma árvore.
Ele lhes disse: "É como a semente da mostarda — a menor entre todas as sementes, mas que quando cai em terra fértil deu origem a uma grande árvore que se torna abrigo para todos os pássaros do Céu."
"... mas quando cai em terra fértil..." A terra certa é necessária. Apenas a morte da semente não é suficiente, porque ela pode morrer numa pedra e então nenhuma árvore nascerá; haverá apenas a morte. É preciso encontrar o solo certo, a terra certa — este é o sentido de ser discípulo. Ser discípulo implica em preparo, em aprendizado para tornar-se terra fértil. A semente existe, mas a terra certa, a terra fértil tem de ser encontrada. A árvore já está em seu interior; a única coisa que o Mestre pode lhe dar é a terra certa. Ele pode cultivá-lo, pode jogar fora as ervas daninhas, pode tornar o solo rico para recebê-la. Pode enriquecer o solo com fertilizantes — ele é um jardineiro.
Você já contém tudo, mas precisa de um jardineiro; do contrário, jogará as sementes em qualquer lugar. Elas poderão cair no asfalto e morrer, poderão cair na calçada e as pessoas pisarão sobre elas e as matarão. É necessário alguém para protegê-lo quando você estiver morrendo. Observe o que acontece quando uma criança vai nascer: ela precisa de uma parteira. A parteira é necessária porque o momento é delicado. E o momento em que a Verdade nasce é o maior, o momento em que Deus nasce em você é o maior — o maior de todos os momentos. O Mestre é apenas a parteira.
Sem um Mestre muitas coisas podem acontecer: pode haver um aborto e a criança morrer. O Mestre é necessário para protegê-lo porque o novo broto é muito delicado, indefeso — algo pode lhe acontecer. É muito perigoso. Mas se você confiar — a confiança é necessária; caso contrário, você poderá ficar tenso e a semente nunca morrerá — mas se confiar, a semente morrerá. A confiança é necessária porque a semente não pode conhecer a árvore. A semente quer ter certeza de que ao morrer tornar-se-á uma árvore. Mas o que se pode fazer para que a semente tenha certeza? Este é o absurdo da fé. A fé é absurda.Você quer ter certeza de que poderá tornar-se um sannyasin, que poderá renunciar a tudo, que estará pronto para morrer. Mas quem lhe garante que quando a semente morrer a árvore surgirá? Quem pode lhe dar essa garantia? Como essa garantia pode ser dada? E mesmo que seja dada, quem irá cobrar essa garantia quando a semente não mais estiver aqui? Quem poderá provar para a semente que quando ela morrer a árvore surgirá? Nenhuma garantia é possível.
É por isso que a fé é absurda: ter fé significa crer naquilo que não pode ter crédito; não existe nenhum jeito de acreditar e ainda assim você crê. A semente morre com uma profunda confiança e a árvore nasce. Mas uma "terra fértil" é necessária, o solo certo é necessário. Todo o aprendizado do discípulo é justamente no sentido de tornar-se uma terra cultivada.
OSHO, “A Semente de Mostarda”.

XIX - O SOL

segunda-feira, 27 de junho de 2011

O SOL representa a claridade que revela todos os segredos, aguça a capacidade de ver claramente, a energia da liberdade, a criatividade, a fertilidade.
O SOL em seu trajeto diário e anual representa os ciclos naturais da vida e em sua potência criativa temos o princípio da organização e da continuidade. O SOL como símbolo da força vital psíquica, é a imagem que traduz o espírito masculino, a realização plena dos ideais, a claridade da consciência, a fertilidade e a renovação da vida.
No plano divinatório, a carta do SOL indica um período de mais clareza e confiança, pois o medo e a escuridão ( sugeridas pela carta da Lua) já se foram. A vibração emitida por esse arcano é de individualidade acrescida de intensa autoconfiança.
No entanto, para que tais predicados pessoais se sobressaiam sem ferir ou anular as qualidades de quem nos cerca, o ideal é compreendermos de que somos apenas parte de um todo, e que o brilho de cada ser é que faz realçar o arco-íris da coletividade.
A aparição do Sol surge como um singelo convite fraterno a vivenciarmos em perfeita comunhão com o amor-próprio e com as boas relações; ativando em nossa volta a generosidade, a concórdia, o companheirismo a as alianças saudáveis que tanto contribuem para uma boa harmonia no universo em que estamos positivamente inseridos.
As influências solares fazem resgatar as descobertas diárias pelas coisas simples, genuínas e desprovidas de segundas intenções. Trata-se da ocasião indicada para reavermos com entusiasmo os sentimentos de alegria, de vigor e disposição para enfrentarmos o cotidiano como uma verdadeira ressurreição de otimismo e claridade que certamente nos farão muito bem.
O perigo de não conseguirmos levar em frente os intentos ficam por conta da autosssuficiência, da presunção, do egoísmo, da vaidade excessiva e da necessidade de aparentar bem além do que tem; ressaltando assim as energias inferiores que também podem ser despertadas por meio desse arcano.
O arcano aponta para a lucidez, traz de volta a confiança no futuro, a fé e a autoestima que acompanham aqueles que veem com clareza o seu destino, aqueles que não se iludem mais com as aparências.
O SOL aponta para o futuro, um tempo de otimismo, de realização de planos e de sucesso, de vitalidade e renovação; algo novo que nasce em nossas vidas.
Nos relacionamentos somos invadidos por sentimentos de altruísmo e devoção, pois ele gera amores fortes e harmoniosos. Patrocina o companheirismo, a troca e o crescimento mútuo. São relacionamentos baseados na admiração recíproca.
Negativamente, leva ao domínio e ao excesso de controle, à falta de reciprocidade, o querer valer suas opiniões de desejos a qualquer custo.
Não há doenças ligadas ao SOL, é um arcano de cura, boa saúde, beleza e plenitude. Em caso de doença já instalada, o aparecimento do SOL indica a cura total, a renovação da saúde.
O SOL é o arquétipo da vida. A sua força é imensa, pois representa a criação; sem ele nada existiria. 
http://carmenarabelabp.wordpress.com/2011/06/21/xix-o-sol/

A VIBRAÇÃO Mental É ENERGIA

Tudo passa a ter um porquê, uma causa e uma origem e nos leva sempre a um aprendizado, por pior que pareça ser. O mundo não é regrado pelo bem ou pelo mal, e sim pelos potenciais intencionais inseridos em cada pensamento e em cada desejo latente da pessoa.
Nossas ações, nossas manifestações, tudo, inclusive o que pensamos, provoca uma reação contrária que se lança ao alvo desejado e volta ao ponto de origem com a mesma intensidade.
Por isso, é de suma importância que você tenha consciência total ou ao menos parcial sobre o que está desejando e, consequentemente, vibrando, uma vez que em nossos pensamentos estão intrínsecas muitas inteções. Pode estar consciente ou inconsciente disso, mas saiba que tudo o que fizer aqui retornará aqui mesmo. Que fique claro que isso não significa castigo ou penitência por um pecado cometido ou algo parecido. Isso não existe, pois não há julgamento; existe, sim, perfeição e esta se manifesta por meio das leis da Criação.
A força das intenções age no Universo, nas pessoas e em tudo o que existe. Tendo essa percepção, você pode priorizar os bons pensamentos e, por decorrência disso, acaba atraindo tudo de melhor para você e para as pessoas com as quais convive. Do contrário, se estiver inconsciente e não se preocupar em identificar suas reais intenções, deixando suas ações serem decididas somente pelo mundo exterior (ego), pelas aparências, pelo apego, pelo status, pelo poder ou simplesmente pela ganância ou por acomodação e pela preguiça mental, então em um certo ponto não estará mais no controle e poderá ser facilmente tragado pelas decisões de outras pessoas ou por um ambiente coletivo maior.
Deseje com consciência sempre,
pois seus pedidos são sempre atendidos.
Tudo o que se pensa se torna vibração e vibração mental é real; não é porque não a vemos que não podemos acreditar que ela exista. As ondas de rádio, televisão, telefonia e muitas outras formas de vibração estão passando entre nós a todo instante, não podemos vê-las, mas acreditamos piamente que elas existem. Todas são meras vibrações, umas elétricas, outras magnéticas, eletromagnéticas, radioativas, sonoras ou mecânicas. Elas viajam dentro do campo material e obedecem às leis tradicionais da física. A diferença fundamental entre essas vibrações já conhecidas em nosso dia a dia e as vibrações mentais que ainda não podemos comprovar é:
As vibrações geradas por nós, por nosso cérebro, são ondas que não se propagam através da matéria, elas ultrapassam o tempo e o espaço. Não têm massa. Não se alteram pela matéria, pois coexistem em um Universo chamado de ‘O Universo de possibilidades’, o Universo do mundo astral”.
A vibração mental é energia, a qual é a mais poderosa que existe: a energia do pensamento, a da consciência. Essa energia é chamada de energia taquiônica (táquion= rápido; ônica= energia), ou seja, a energia mais rápida que existe. Tem uma velocidade 27 vezes mais rápida que a velocidade da luz (300.000 km/s), já comprovada pela Teoria da Relatividade de Einstein. Ele provou que, se conseguíssemos construir uma nave espacial que viajasse acima da velocidade da luz e mantivéssemos essa velocidade constante por algumas horas, retoragiríamos no tempo e, quando voltássemos à Terra, retornaríamos no passado, pois ocorreria uma desaceleração do tempo em relação à massa molecular. Essa teoria foi aceita e comprovada no início do século XX.
A energia do pensamento viaja 27 vezes mais rapidamente que a velocidade da luz, então, por seu intermédio podemos viajar no espaço e no tempo. Essa energia se manifesta dentro da realidade, é dinâmica e estabelece uma relação direta na criação e em tudo o que existe, alterando os seres e tudo o que está vivo e vibrando. Essa energia é real e somos nós que a produzimos por nosso próprio poder de imaginação. Podemos entender que temos o poder de ir e vir do passado para o futuro em um piscar de olhos, e também a qualquer lugar do Universo em questã de segundos. Por isso, a partir desse princípio, concluimos que você cria o seu futuro pela força do pensamento e das intenções. Quando visualiza algo para o seu futuro, na verdade está adentrando o espaço temporal, por meio da energia taquiônia, está na verdade viajando no tempo e construindo lá no futuro; de forma orgânica e volátil, um porvir que vai se moldando perfeitamente a cada instante e que modifica seus desejos dentro de presente que é eterno.
Parece um pouco complicado?
Mas perceba que não é. Quando notar que sua imaginação (imagem + ação) no presente criou em um futuro uma realização (realidade em ação), então compreenderá que tudo é muito simples, basta AGIR e CONFIAR.
Energia consciente é a energia mais poderosa que existe, é LIVRE e PURA. Não se propaga através da matéria, não tem resistência nem polaridade, é energia livre e perfeitamente potencializável. Podemos dizer que cada um de nós é uma Usina de Energia que é alimentada pelas nossas intenções.
Fica claro que cada um pode construir a sua própria realidade presente e futura em razão de sua forma de pensar.
Essa é a mensagem principal que desejamos passar nesta obra: 2012 está chegando e mudanças radicais estão por vir; contudo, se acreditarmos em um futuro de destruição, pesadelos e regido pelo medo, então esse mundo se manifestará realmente; por outro lado, se acreditarmos em um mundo harmônico e próspero, assim será.
A energia taquiônica não se manifesta somente para o mundo exterior, ela age também sobre si mesmo(a) e com muita facilidade, enviando mensagens diretas a todas as moléculas do seu corpo. Por meio da energia consciente, pode escolher enviar para dentro de você, para cada uma dos bilhões de células do seu corpo que estã atentas AO SEUS COMANDOS pode enviar mensagens de força, vitalidade, vida e saúde, ou pode escolher enviar mensagens de fraqueza, fadiga, desânimo e doença. Assim preste atenção com o que está fazendo consigo mesmo(a). Mais uma vez dizemos que QUEM ESTÁ NO CONTROLE DE TUDO É VOCÊ, pode reativar essa força interior, construindo um mundo melhor para si e para os outros.
Chegamos ao ponto de sermos monitorados 24 horas diárias por uma alavanche de doutrinas errôneas sobre nossa condição no mundo. Acreditamos realmente em um mundo regido pela violência e pelo pesadelo, estamos nos acostumando a isso e começando a acreditar que essa condição é realmente normal. Estamos acreditando que imaginar um mundo melhor é perda de tempo, pois tudo está perdido. Estamos acreditando que as pessoas são todas egoístas e gananciosas e só pensam em dinheiro e bens materiais, que o trabalho e a carreira profissional são mais importantes que o amor e a compaixão, que o mercado financeiro rege nossas vidas e dele dependeremos eternamente, já que o capitalismo é a solução final e o grande topo da evolução humana. Esse tipo de doutrina já foi feito na época da Inquisição e muito se perdeu com isso.
“Tudo aquilo em que acredita o aprisiona.”
Tim Lerry
Portanto, SEJA LIVRE PARA PENSAR, não acredite mais nas falsas verdades. Não acredite nem mesmo no que está lendo. Ao contrário, preferimos que absorva tudo o que está lendo e TOME SUAS PRÓPRIA DECISÕES, não existe dogma, não existe verdade completa. SEJA VOCÊ mesmo(a), o(a) juiz(a), o(a) jurado(a) e o(a) julgado(a), e SINTA-SE EM PAZ.
C. Torres e S. Zanquim, “2012 - A Era de Ouro”.

Meu nome é FELICIDADE

domingo, 26 de junho de 2011

Oi... Meu nome é FELICIDADE!!!
Faço parte da vida daqueles que têm amigos, porque quem tem amigos é Feliz...
Faço parte da vida de pessoas como você, pois viver assim é ser Feliz!
Faço parte da vida daqueles que: ontem é passado, amanhã é futuro... Hoje é uma dádiva, e por isso é chamado PRESENTE.
Faço parte daqueles que acreditam na força do Amor, que acreditam que para uma história bonita não há ponto final.
Eu sou casada, sabiam ? Sou casada com o TEMPO.
Ele é responsável pela resolução de todos os problemas. Ele constrói corações, ele cura machucados, ele vence a tristeza.
Juntos, eu e o Tempo, tivemos três filhos: a AMIZADE, a SABEDORIA e o AMOR...
A Amizade é uma criança linda, sincera, alegre. Brilha como o sol. Une pessoas, pretende nunca ferir, sempre consolar.
A do meio é a SABEDORIA, culta, integra, sempre foi a mais apegada ao pai, o Tempo. A sabedoria e o Tempo andam sempre juntos !
O caçula é o AMOR. Ah! como esse me dá trabalho! É teimoso, às vezes decide encantar apenas um coração. Eu vivo dizendo: Amor, você foi feito para unir dois corações e não apenas infiltrar-se em apenas um!
O Amor é complexo, mas é lindo, muito lindo!
Quando ele começa a fazer estragos eu chamo logo o pai dele, o Tempo, e aí o Tempo sai fechando todas as feridas que o Amor abriu !
Tudo no final sempre dá certo, se ainda não deu, é porque não chegou ao seu final.
Por isso, acredite sempre na minha família!!! Acredite no Tempo, na Amizade, na Sabedoria e, principalmente no Amor. Aí com certeza um dia, eu, a Felicidade, baterei à sua porta!!!
Tenha tempo para os sonhos. Eles conduzem sua carruagem para as estrelas!!!
http://arcadoconhecimento.blogspot.com/2010/08/meu-nome-e-felicidade.html

Com o tempo

Com o tempo... Você aprende que estar com alguém, só porque esse alguém lhe oferece um bom futuro, significa que mais cedo ou mais tarde você irá querer voltar ao passado...

Com o tempo... Você se dará conta que casar só porque “está na hora”, é uma clara advertência de que o seu matrimônio será um fracasso...

Com o tempo... Você compreende que só quem é capaz de lhe amar com os seus defeitos, sem pretender mudar-lhe, é quem pode lhe dar toda a felicidade que deseja...

Com o tempo... Você se dará conta de que se você está ao lado de uma pessoa só para não ficar sozinho(a), com certeza uma hora vai desejar não voltar a vê-la..

Com o tempo... Você se dará conta de que ter amigos vale mais do que qualquer montante em dinheiro... e entende que os “verdadeiros amigos” se contam nos dedos, e que aquele que não luta para tê-los, mais cedo ou mais tarde se verá rodeado unicamente de amizades falsas...

Com o tempo... Você aprende que as palavras ditas num momento de raiva podem continuar a magoar a quem você disse durante toda a vida...

Com o tempo... Você aprende que desculpar todos o fazem, mas perdoar, somente as “almas grandes” conseguem...

Com o tempo... Você compreende que se você feriu muito um amigo, provavelmente a amizade jamais será a mesma...

Com o tempo... Você se dá conta de que cada experiência vivida com cada pessoa é insubstituível e única...

Com o tempo... Você se dá conta de que aquele que humilha ou despreza um ser humano, mais cedo ou mais tarde sofrerá as mesmas humilhações e desprezos, só que multiplicados...

Com o tempo... Você aprende a construir todos os seus caminhos hoje, porque o terreno do amanhã é demasiado incerto para fazer planos...

Com o tempo... Você compreende que apressar as coisas ou forçá-las para que aconteçam, fará com que no final não sejam como você esperava...

Com o tempo... Você se dará conta de que, na realidade, o melhor não era o futuro, mas sim o momento que estava vivendo naquele instante...

Com o tempo... Você aprende que tentar perdoar ou pedir perdão, dizer que ama ou dizer que sente falta, dizer que precisa ou que quer ser... Junto de um caixão, deixa de fazer sentido...

Por isso, recorde sempre estas palavras: “O homem torna-se velho muito rápido e sábio demasiado tarde”, exatamente quando: já não há tempo”.
LUZ & Sorrisos... AGORA! :)

http://arcadoconhecimento.blogspot.com/2010/06/com-o-tempo.html