Tome posse do SEU Poder!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011


Levante-se!!!


por Calunga

Princípios da prosperidade (6)

O princípio da união
A vida não faz por nós, mas através de nós. Ninguém pode fazer nada por você a não ser você mesmo. Por isso, o pressuposto básico do princípio da União é sentir-se integrado com o Todo, com a Vida.
Os 100% só funcionam quando há uma integração do arbítrio do homem com a vida. Para estar integrado com o Todo, é preciso estar centrado em seu eu mais profundo, pois só assim percebe-se as reais necessidades. Esse é o caminho para obter tudo o que se deseja. Quando os 10% dão condições para os 90% atuarem, coisas maravilhosas começam a acontecer na vida.
É preciso expandir nossas ideias para desenvolvermos nossos talentos, nossa sensibilidade, até chegarmos na crença do eu posso tudo que realmente sinto que quero. Como? Ligando-se à essência que é ilimitada e poderosa. Quando consegue essa conexão, você se sente amparado, protegido e preparado para arranjar um sócio perfeito pra tudo na vida: Deus, o Universo, o Poder Cósmico, ou o nome que você quiser dar.
Faca uma sociedade com Deus, onde você entra com 10% e Ele com 90%. Faça a sua parte, os 10%, da melhor maneira que puder e entregue os 90% para seu sócio. Mas entregue mesmo, confiando que a melhor solução aparecerá.
Faça a sua parte e entregue o resto a Deus. Você faz o possível, e Ele, o impossível. Quem na Vida não confia, perde o contato com o fio desse poder, e ele nada poderá fazer.
Visualize-se entregando para a Vida, para os 90%, o que você quer. Tenho certeza de que sua confiabilidade na Vida fará, num tempo bem curto, sua solicitação ser atendida.
Como recriar seu destino
Para muitas pessoas o destino é fatal, determinado. Esse conceito nos dá a ideia de que somos meros fantoches, manipuláveis por uma Força inacessível. Mas não é desse modo que a vida nos trata. Ela não tem essa prepotência, nem quer exercer um domínio inflexível sobre nós, pois somos a própria vida em forma de gente. Tudo o que ela fizesse contra nós, estaria fazendo contra si mesma.
A vida nos trata, respeitando aquilo em que acreditamos. Se acreditamos que o sofrimento repara erros, ao errarmos certamente sofreremos.
As crenças e os padrões de pensamentos negativos são obstáculos às afirmações positivas. Podemos passar anos fazendo mentalização, mas, se não mudarmos nossas crenças, nada se resolve.
O objetivo da vida é ensinar de forma sutil e delicada. Se levamos choques diante de algumas situações, é por necessidade de aprendizado. A vida tenta primeiro de modo sutil, para depois ampliar a experiência para que vejamos claro, caso insistamos em continuar do mesmo jeito.
Costumamos pensar muito no mal que nos atinge e normalmente não levamos em conta o que desfrutamos. Aproveite agora para criar um destino alegre e próspero para você. Posso lhe dar uma dica muito simples, como referência para suas atitudes no dia-a-dia, que tem o poder de transformar seus caminhos pela vida. Faça aos outros apenas aquilo que você gostaria que lhe fizessem, se estivessem em sua situação.
Você pode estar perguntando: por que colocar agora tamanha consideração pelos outros? Qual é o verdadeiro motivo para isso? Será que não posso “pagar na mesma moeda” quando alguém me faz um desaforo? Sim, é claro que pode. A escolha é sua. Mas, não se esqueça de que o seu subconsciente assume como um programa às atitudes que você toma. Assim, qualquer praga que você jogar nos outros, cairá sobre você. Conhecendo esse princípio, você sabe que o feitiço vira contra o feiticeiro, quer para o bem, quer para o mal. Veja lá o destino que você está criando para você
Luiz Antônio Gasparetto, “Faça Dar Certo - Cap. 3”.

Acordar do "sonho"

terça-feira, 29 de novembro de 2011

O ser humano é parte de um todo, chamado por nós de universo. É uma parte limitada em tempo e espaço. Nós experimentamos a nós mesmos, aos nossos pensamentos e sentimentos como algo separado do resto. Isso é um tipo de ilusão de ótica, um tipo de prisão que nos restringe aos nossos desejos pessoais e afeições às poucas pessoas que nos são próximas. Nosso dever deve ser libertar-nos dessa prisão, ampliando nosso círculo de compaixão, até que abrace todas as criaturas viventes e toda a natureza em sua beleza.” 
Einstein

Princípios da prosperidade (5)

Inveja
Um outro lixo interior que ocupa muito espaço dentro de nós é a inveja, e no ache que deste mal eu não sofro, todos nós sofremos. Inveja é pobreza de auto-apoio, e a todo momento quando gostamos de fazer as famosas comparações.
Inveja é ver a capacidade no outro, que você não consegue ver em si mesmo.
Ao não acreditar em suas capacidades, você inventa uma série de desculpas: não vou conseguir, não posso fazer porque não tenho habilidade; o outro é mais capaz e por isso conseguiu. Desculpas não resolvem a situação.
Aceite a inveja e aprenda a aplaudir o sucesso alheio. Não critique o bem-sucedido, já que a crítica não é o caminho do sucesso. Deixe que seus olhos vejam só o sucesso, a beleza e o que é bom em você e nos outros.
Medo
O medo também ocupa espaço em você. O medo de arriscar age como defesa de algo que você considera perigoso. Quando você teme aquilo que quer realizar, estará caminhando para o fracasso.
Algumas pessoas acreditam que só se tiverem medo e tomarem todas as precauções possíveis, tudo vai dar certo em suas vidas. Esse é o tipo de condicionamento que pode levá-las ao sucesso, mas só se elas realmente tomarem todo o cuidado que acreditam ser necessário.
É a fé que move sua vida. O medo e os rituais míticos são inúteis quando você crê no merecimento.
Arrisque-se, pense na possibilidade de obter um “sim”, porque o “não” você já o tem, não é mesmo?
Em minha experiência pessoal, vejo que nunca perco. Sempre vou para ganhar e se não ganho, analiso todos os fatores para conseguir ganhar da próxima vez. Nunca desisto e por isso sempre ganho.
O que muitos chamam de fracasso, para mim é uma oportunidade de estudo e de mudança de tática rumo ao sucesso. Se ainda não ganhei, é porque não estava pronto mentalmente para o sucesso.
Queixas e preocupações
Queixar é dizer para a vida que as coisas nunca dão certo. É programar a vida para que ela fique emperrada. Por esse motivo, a vida não flui da maneira como deveria e, realmente, nada dá certo. Esse é um círculo vicioso que leva o queixoso a fazer constantes afirmações negativas ao subconsciente e a receber em troca constantes fracassos.
O queixoso está sempre paralisado, não evolui na vida, pois sua crença no fracasso impede que o sucesso o alcance. Se isso acontece com você, troquea queixa pelo bom humor. Ria e brinque até descobrir uma maneira de ajustar a situação que parece inadequada. Nunca deixa uma energia negativa tomar conta de você.
Vaidade
Ainda com relação à limpeza do subconsciente há o lixo da vaidade. A vaidade se instala em nós quando existe a preocupação com a imagem social, com consideração e desconsideração social.
O vaidoso perde muitas chances na vida por medo de se comprometer, pois está preocupado com o que os outros pesam e falam dele. Ele está ligado nos outros e não em si mesmo. Com isso se sente rejeitado e infeliz, porque não faz o que quer por medo de não ser aceito. Ele mantêm uma imagem e nega a si mesmo.
A sua realização só ocorre quando você está com você, sem se preocupar com o que os outros esperam de você. O caminho para uma vida mais próspera é ser você mesmo. Aprenda a se ligar em você, a cultuar o que é bom em você para atrair o melhor em sua vida. As experiências ruins que você já enfrentou já passaram; esqueça-as, não fique enchendo seu subconsciente com padrões negativos.
O mal tem caminhos curtos. Basta acreditar que o bem flui em você e que o sucesso, a beleza, a prosperidade e a solução de problemas são para você. Não acredite em perdas. Se perder hoje, você ganha amanhã. Essa postura é de segurança, de fé total na vida, da educação interior.
Não fique colocando sua atenção nas coisas que faltam em sua vida; concentre-se no que você já tem e valorize e agradeça, assim você estará abrindo portas para a prosperidade.
Saber dar e saber receber
Todos nós temos potencial para materializar riquezas incríveis. Há riquezas para todo mundo, não é preciso tirar nada de ninguém.
Todo bem que você circula, volta multiplicado em sua vida. Se tiver atitudes mesquinhas, a escassez se manifesta em sua vida.
Quando dou algo pelo prazer de dar, sem pensar se amanhã terei compensação, as coisas voltam para mim multiplicadas. O retorno nem sempre vem através da pessoa que ajudei; normalmente, vem de outras pessoas ou daquela que é mais adequada para me dar da maneira que preciso.
Ocorre também do retorno não ser da mesma espécie. Se dou dinheiro, o retorno pode vir na forma de uma oportunidade melhor de trabalho, ou de qualquer outro modo que resulte em lucro financeiro.
Percebi, que existe também uma outra forma de dar, sem paternalismo. É o dar da troca. Quando dou algo para uma pessoa, penso que a vida está fazendo algo por ela através de mim, eu sou o instrumento. Para que a ajuda seja efetiva, peço à pessoa que me ajude em algo. Desse modo, ela mantém sua dignidade, não se sentindo inferior por precisar de auxilio em certo momento de sua vida, trocamos trabalho.
A ideia de que os bens precisam circular é bem antiga. Jesus se referiu a ela quando disse “aquele que tem, mais será acrescentado e para aquele que nada tem, tudo será tirado.” Quando você dá, recebe mais, porque é generoso no sentido de acreditar que pode fazer sua riqueza circular, sabendo que ela não fará falta e será multiplicada.
A maledicência
A maledicência é, sem sombra de dúvidas, o pior e mais perigoso tipo de lixo psicológico.
Falar mal dos outros, desenvolver o hábito de criticar constantemente pessoas ou situações são atitudes que trazem, para quem as pratica, duas consequências: a primeira, é o acúmulo de ódio e negativismo inúteis, pois em nada melhoram o mundo. A segunda, talvez a pior, é que essas atitudes se tornam programas que o subconsciente adota para a vida das pessoas que agem assim.
Quando você dá uma de justiceiro e critica a atitude dos outros, pense bem se já não cometeu erros semelhantes. Quando você diz qualquer coisa que comece com “tem gente que não se manca...” com certeza, você ainda vai dar uma porção de mancadas iguais. Quem fala mal da vida sexual dos outros, se ainda não tem problemas nessa área, em breve terá.
Cuidado! Veja lá onde você coloca a sua atenção e emoção, pois o seu subconsciente acaba assumindo como importante tudo o que você valorizou.
Para se livrar desse tão terrível hábito, o melhor é aprender a não ser intrometido. Comece a usar a expressão: “EU NÃO TENHO NADA COM ISSO” pelo menos umas 50 vezes por dia, durante uma semana, com a rigidez de um general. Caso contrário, eu não vejo possibilidade de você realizar seus planos de vida.
Drama
A pessoa dramática cultiva as desgraças e colhe desgraças. Gosta de curtir desespero, ansiedade, aflição, medo, agressividade. Envolve-se sempre com os dramas alheios, tomando partido e complicando a própria vida.
Uma das características dos milionários é a indiferença a tudo que é dramático. Por isso, são chamados de indiferentes e frios pelas pessoas vitimescas e dramáticas. Elas confundem equilíbrio emocional com frieza.
Quem é dramático já espera o pior, e essa certeza do pior faz acontecê-lo em sua vida. Vacine-se contra esse mal. Use o bom humor, aprenda a rir da vida. Discipline as suas observações. Cheque várias vezes antes de assumir uma opinião. Conte suas histórias com um certo rigor aos fatos, cuidando sempre para que você não se coloque em posição do “pobre de mim”. 
Luiz Antônio Gasparetto, "Faça Dar Certo - Cap. 3".

Terceira Mensagem de Joahdi

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

“Se estiver em harmonia consigo mesmo(a),
todo o restante também estará.”
A cada passo que dermos para dentro de nós mesmos, mais perto estaremos da Verdade e da Paz, pois Deus não está lá fora, sentado em seu trono de ouro, imponente e autoritário, como muitos de nós aprendemos a imaginar.
Um Deus amedrontador de crianças, que ordena o que deve e o que não deve ser feito, determinando o que é e o que não é pecado, construindo um mundo irreal, de terror e medo. Ele está, sim, dentro de nós, em todas as células, moléculas e átomos do nosso corpo, até mesmo dentro dos elétrons, dos prótons e no pequeno vazio que existe entre eles.
Está em tudo o que é vivo, em tudo o que já existiu, existe e existirá. Está em todos os lugares e a todo instante, no passado, no presente e no futuro. Nas plantas, nos insetos, nos minerais, nos cristais, na prata, no cobre e no ouro. No vácuo do espaço, no calor do Sol e na escuridão da Lua. Está presente na Galáxia, no Cosmos, no Infinito e na Luz Suprema, da qual todos vieram e para onde todos irão, a Grande Luz, a nossa verdadeira morada.
Pode parecer um tanto místico e surreal, mas a nossa mente e nosso cérebro não estão preparados para compreender o Todo como algo real, pois estamos vivendo em uma experiência físico-material, muito densa e diferente da leveza e da fluidez do mundo espiritual. Temos dentro da nossa consciência todo esse conhecimento integrado. Da Luz nós viemos e para a Luz voltaremos; o conhecimento supremo está inserido em nós como um grande catálogo universal, só é necessário acessá-lo.
Acredite, em cada instante desse leitura os nossos Amigos Espirituais estarão ao seu lado, amparando-o e intuindo-o a uma única direção, à sua realização. Isso é o que eles realmente desejam: que realize e sonhe e tenha ideias definidos e, perseguindo-os independentemente das dificuldades. Querem que exerça o poder de desejar, que ouse sonhar, crie e modifique. Desejam que você mostre ao mundo e a todos ao seu redor a que veio, que realmente ocupe o seu verdadeiro lugar que lhe é de direito.
Eles estarão a partir de agora sempre ao seu lado, se assim permitir e solicitar. Se durante essa leitura se sentir confortado(a), sentir-se bem e inundado(a) por um sentimento de alegria, um despertar e de proteção interior, é porque foi ativado(a) e automaticamente estará conectado(a) de alguma forma com esses seres maravilhosos e com todos os seus semelhantes. Não tenha medo, só o bem estará presente, pois, os seres se atraem por suas semelhanças latentes e suas vibrações são construídas pela força das suas intenções. Funcionam independentemente de tempo ou espaço e isso não se prende somente ao mundo físico e material que estamos acostumados a ver. A Lei da Atração é uma Força Divina que rege nossas emoções e principalmente nossas intenções. E foi criada para todos os seres, tantos físicos como espirituais, e para todas as Dimensões existentes.
Seja bem-vindo(a) a esse maravilhoso grupo de Seres que querem nosso bem, nossa expansão, nossa evolução e nunca mais se sinta sozinho(a) e desamparado(a). Eles estarão com você. Sempre que sentir necessidade de uma Presença Superior, não hesite em chamá-los, logicamente, se desejar.
Lembre-se: nada a você é imposto a não ser que permita.


C. Torres e S. Zanquim, “2012 - A Era de Ouro”.

Princípios da prosperidade (4)

Princípio do vácuo
Você tem o hábito de guardar coisas? Você tem o hábito de juntos objetos inúteis no momento, acreditando que um dia (não sabe quando) poderá precisar deles? Você tem o hábito de juntar dinheiro só para não gastá-lo, pois no futuro poderá fazer falta? Você tem o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outros tipos de equipamentos que já não usa há um bom tempo?
E dentro de você? Você tem o hábito de guardar mágoas, ressentimentos, raivas e medos?
Não faça isso. É antiprosperidade. É preciso criar espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem em sua vida. É preciso eliminar o que é inútil em você e na sua vida para que a prosperidade venha.
É a força desse vazio que absorverá e atrairá tudo o que você almeja. Enquanto você estiver material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades.
Quando se guarda, considera-se possibilidade da falta, da carência. É acreditar que amanhã poderá faltar, e você não terá meios de prover suas necessidades.
Com essa postura, você está enviando duas mensagens para a vida: primeira, você não confiar no amanhã e, segunda, você acredita que o novo e o melhor não são para você, já que se contenta em guardar coisas velhas e inúteis.
A ordem Universal
A ordem Universal possui uma força extraordinária. Ela coloca os fatos numa sequência mágica, criando sincronicidade onde você quer ou necessita, aparece na sua vida no momento preciso. Se você quer um emprego onde possa progredir, e está confiante na Ordem Universal, certamente uma pessoa irá lha oferecer um emprego dentro das condições que você quer.
Certas pessoas têm a vida em desordem, pois estão na frequência da lei do caos, atraindo situações confusas para suas vidas. No caos há displicência e negligência. A pessoa numa situação caótica tem dificuldade para tomar decisões, gasta mais tempo e energia para fazer as coisas e o dobro de esforço para conseguir o que quer.
Mas, na sua maioria, os brasileiros não têm uma postura sadia em termos de ordem. São negligentes, displicentes, desatentos, esquecem coisas. Essa falta de organização gera atitudes extremamente complicadas que emperram a prosperidade de todos.
A pessoa que tem a ordem como princípio, tem perspicácia, tem noção da sequência e da profundidade do objetivo que quer alcançar. Ela funciona dinâmica e prosperamente na parte operacional da mente e, portanto, planeja e executa com bastante prosperidade.
Limpeza interior
Além da faxina externa que você deve fazer para criar um vazio destinado ao sucesso e à prosperidade, há também a necessidade de se criar um vazio interno. Existem muitas sensações inúteis que estão ocupando um grande especo dentro de você. Cultivar mágoa, ressentimento, raiva, ódio, medo e inveja, impede que a prosperidade corra em sua vida.
Ressentimentos
Existe uma crença de que pessoas que perdoam uma ofensa estão fazendo papel de bobas. Parece que o lema preferido é “pagar na mesma moeda”, ou “olho por olho, dente por dente”. Por isso, muitos escolhem acumular um monte de lixo interior, como a mágoa e o ressentimento, e deixar de lado o perdão.
Energias negativa e destrutivas, como a raiva e o ódio, ficam acumuladas no subconsciente e não deixam espaço para energias novas e melhores se manifestarem.
É melhor investir na faxina interior, antes que o lixo acumulado comece a transbordar em forma de doença física ou emocional. Enquanto alimentamos os ressentimentos, não conseguiremos retirar do subconsciente os padrões de pensamentos inúteis à nossa prosperidade. Nesse estado, não adianta fazer pensamento positivo.
Será que esse é o seu caso? Se for, não deixe o ressentimento ocupar espaço em você. O perdão é o antídoto. Perdoe a si mesmo e aos outros. Seja próspero na generosidade. O ressentimento corrói você por dentro. O perdão, como remédio eficaz que cura as cicatrizes do peito, é a aceitação da realidade; a aceitação de si mesmo e dos outros. Os outros são como são. Nunca serão como você queria que fossem, nunca agirão de forma que você queria que agissem. Entenda isso e nunca mais você ficará magoado ou ressentido com os outros ou com você mesmo.
Destrua a ilusão de que os outros, a vida, o mundo, enfim, tudo deveria ser do jeito que você queria que fosse. Essa ilusão é a causadora de suas mágoas, raivas e ressentimentos. Pense nisso. Comece a fazer uma limpeza mental, perdoe o agressor. Livre-se da energia negativa do ressentimento e abra espaço para o novo.
- Verdadeiramente, eu estou disposto a deixar ir embora de mim todas as mágoas em relação a essas pessoas.
- Eu estou disposto a perdoa essas pessoas e a mim também por ter achado que essas pessoas deveriam agir comigo do jeito que eu esperava. 
Luiz Antônio Gasparetto, "Faça Dar Certo - Cap. 3".

SENTIR e movimento... SENTIMENTO

Enquanto houver um sopro de vida no planeta, "Ela" estará presente. Alavancar a Divindade interior deve ser uma constante na vida de todas as pessoas.
Somos escravos do "tem que":
- Tem que estudar e ser bom aluno;
- Tem que fazer faculdade, pós, mestrado;
- Tem que ser bem-sucedido;
- Tem que cuidar do visual;
- Tem que competir no mercado de trabalho;
- Tem que casar e ter filhos;
- Tem que, tem que e tem que.
Condicionados a tempo, compromissos, trânsito, ego, vaidade, poder, responsabilidades impostas e que nos impomos, seguimos como um robô no torvelinho da vida sem tempo para olhar as pessoas (e, principalmente, nós mesmos) e "enxergar" suas  (nossas) carências. 
Não há tempo para ouvir o outro. Não há tempo para estar perto de um filho e sentir suas angústias, não há tempo para o parceiro, não há tempo para ouvir as próprias necessidades, não há tempo para uma oração, negligenciamos a nós mesmos e assim passamos a ser mais um personagem no mundo teleguiado, só acordando quando a vida põe o "pé no breque" com uma grande frustração, crise de pânico, depressão ou uma doença que nos obrigue a (parar) refletir.
Por que não evitar tudo isso e cultivar a harmonia interior?
Como exercitar ou ativar essa Divindade interior?
Simplesmente tendo "atitudes", normas de conduta, de dentro para fora e nunca de fora para dentro. 
SINTA o que é “o melhor” PARA VOCÊ!
E AJA de acordo com esse sentir...
Recebido por e-mail.

UBUNTU

domingo, 27 de novembro de 2011

A jornalista e filósofa Lia Diskin, no Festival Mundial da Paz, em Floripa (2006), nos presenteou com um caso de uma tribo na África chamada Ubuntu.
Ela contou que um antropólogo estava estudando os usos e costumes da tribo e, quando terminou seu trabalho, teve que esperar pelo transporte que o levaria até o aeroporto de volta pra casa. Sobrava muito tempo, mas ele não queria catequizar os membros da tribo; então, propôs uma brincadeira pras crianças, que achou ser inofensiva.
Comprou uma porção de doces e guloseimas na cidade, botou tudo num cesto bem bonito com laço de fita e tudo e colocou debaixo de uma árvore. Aí ele chamou as crianças e combinou que quando ele dissesse "já!", elas deveriam sair correndo até o cesto, e a que chegasse primeiro ganharia todos os doces que estavam lá dentro.
As crianças se posicionaram na linha demarcatória que ele desenhou no chão e esperaram pelo sinal combinado. Quando ele disse "Já!", instantaneamente todas as crianças se deram as mãos e saíram correndo em direção à árvore com o cesto. Chegando lá, começaram a distribuir os doces entre si e a comerem felizes.
O antropólogo foi ao encontro delas e perguntou por que elas tinham ido todas juntas se uma só poderia ficar com tudo que havia no cesto e, assim, ganhar muito mais doces.
Elas simplesmente responderam: "Ubuntu, tio. Como uma de nós poderia ficar feliz se todas as outras estivessem tristes?"
Ele ficou desconcertado! Meses e meses trabalhando nisso, estudando a tribo, e ainda não havia compreendido, de verdade, a essência daquele povo. Ou jamais teria proposto uma competição, certo?
Ubuntu significa: "Sou quem sou, porque somos todos nós!"
Atente para o detalhe: porque SOMOS, não pelo que temos...
UBUNTU PARA VOCÊ!

Recebido por e-mail.
LUZ & Sorrisos!  :)

Princípios da prosperidade (3)

A noção do melhor sempre esteve em nós
O que eu mereço na MINHA vida?
O mais comum de todos os padrões de pensamentos que as pessoas alimentam interiormente é sem dúvida o “eu não sou bom suficiente”.
Quando você vê as coisas pelo ângulo da reencarnação, as situações presentes na sua vida encontram justificativas e a ideia de devedor é descartada, pois tudo o que você faz, está certo dentro da sua ideia astral.
O conceito do que é melhor e mais adequado para nós, vai crescendo e se modificando com o uso do arbítrio e do fluxo de inteligência. Vamos descobrindo como obter melhores respostas
com mais rapidez e com menos consequências desastrosas.
Essa noção de melhor sempre esteve com o homem, porque é inerente da sua natureza. Ninguém escolhe o pior.
Você sempre escolhe o melhor, mesmo quando opta por agir por crueldade em determinadas circunstâncias, é porque pensa que é o melhor caminho no momento. Quando você briga, xinga e toma atitudes que levam ao sofrimento, você ainda assim está acreditando que é a melhor solução.
Depois de experimentar situações dolorosas, você acaba aprendendo a agir de forma mais benéfica. A base do impulso vital é o bem. E a noção de bem vai variando de acordo com a sua vivência, com a sua experiência.
Faça uma experiência. Diga interiormente: “eu sou bom, eu sou perfeito”. A seguir, repare na voz que surge dentro de você. O que ela diz? Ela concorda com você? Ótimo, você já se aceita como é, com suas habilidades e limitações. Ela discorda de você? É... parece que seu crédito está em baixa. A voz, possivelmente, pode estar dizendo coisas do tipo “você! Se acha bom e perfeito! Que presunção. Você sabe que é cheio de defeitos. É invejoso, egoísta, crítico, etc. Quantas vezes já errou e se deu mal? Então, como pode achar que é perfeito e merecedor das riquezas da vida?”
O que eu estou emanando?
Percebe que o subconsciente está carregado com um programa de baixa estima por você? Esse exercício mostra que toda vez que você jogar um novo programa no subconsciente, imediatamente emerge para a consciência os velhos padrões de pensamentos para serem avaliados. Por exemplo, o seu novo programa com relação ao dinheiro afirma que ele flui facilmente na sua vida, mas o anterior dizia que ter dinheiro é difícil, pois depende de muita luta e trabalho. O subconsciente traz à consciência esse velho padrão para você optar com qual quer ficar, para qual padrão quer dar crédito.
O mecanismo é o mesmo para qualquer tipo de padrão de pensamento que você esteja querendo mudar. Pense no que você quer: seguir essa voz que surge na sua cabaça e que emperra a sua vida, ou firmar seu crédito num padrão que possibilita crescimento e progresso? Você que continuar pensando que as mudanças são difíceis e que é preciso sofrer muito para mudar?
Talvez você sinta que essa voz interior oferece resistência por achar que é preciso crer no mal e ficar atento para que ele não apareça em sua vida. Ela crê que é necessário se defender do mal, por isso, não deixa você pensar em noutra coisa senão no mal.
A vida lhe trata como você se trata; os outros também lhe tratam como você se trata
Muitas pessoas acham desnecessário considerar novos conceitos. Acreditam que suas vidas estão bem estruturadas, que seria perda de tempo pensar em reformular velhas ideias. Talvez pensem que esse assunto seja interessante para teólogos, esoteristas, e não para pessoas que precisam se preocupar com questões práticas do cotidiano. Talvez pensem ainda que a crença religiosa nunca exerceu influências em sua vida.
Pense nisto agora: no contraponto da ideia de vítima, sempre está a de herói. Ou seja, quando o indivíduo que se vitimiza consegue obter algo, ele se vê como herói. Na verdade, ele pensa que enganou a vida o suficiente para tirar dela o que queria. Ele não percebe que apenas obteve o que já lhe pertencia por direito natural. Não houve drible e nem engano. A vida correspondeu de acordo com o crédito dele.
Como você ocorre a mesma coisa. Você pode se considerar vítima em algumas áreas da vida e em outras, não. Nas que você se vê como vítima, os acontecimentos ficam emperrados; mas quando você se dá crédito e apoio, sente-se merecedor, as oportunidades aparecem sem obstáculos.
Pois é, os valores que você incorporou ao longo da vida atuam em você como um programa que é executado pelo mecanismo de funcionamento da mente. Aproveite agora para mentalizar novas ideias que possam ficar impressas em seu subconsciente.
Vou dar-lhe algumas sugestões, mas crie também suas próprias frases e repita-as por vários dias até que elas se transformem em sensações naturais em você...
- Estou aberto a novas ideias.
- Sou flexível, posso mudar minha forma de pensar.
- É seguro eu ser eu mesmo. Não preciso ser maravilhoso.
- Eu me aceito do jeito que sou.
- Eu sou bom por natureza. Por isso, eu mereço o melhor.
- Eu mereço ser próspero em tudo.
- As boas oportunidades de trabalho, de negócios, chegam na minha vida agora, porque eu mereço.
- Eu mereço o melhor sempre. 
Luiz Antônio Gasparetto, "Faça Dar Certo - Cap. 3".

Princípios da prosperidade (2)

sábado, 26 de novembro de 2011

Tudo é justo na vida
Por que há pessoas que trabalham muito e não chegam ao sucesso? Por que há pessoas que têm tanto problemas de saúde? Por que há pessoas que, aparentemente, não tem nada para serem sucesso e são? Por que há pessoas que nascem em berço de ouro e acabam na miséria? Por que há pessoas que sofrem tantas decepções afetivas?
A resposta é simples. Não há vítimas nem injustiçados, mas sim o que cada um faz com o poder de escolha. É preciso acreditar verdadeiramente que se pode ter.
Um exercício eficaz para se desenvolver uma mente próspera é: aprecie tudo que é belo, assim você estará dando importância à prosperidade.
Até mesmo lavando louça, como dizia Caetano Veloso, “é lindo ver a passagem do sujo para o limpo”.
Princípio do merecimento
Vamos refletir um pouco sobre os padrões de pensamentos que geram ou geraram em nós a forte impressão de não sermos merecedores das dádivas da vida.
Normalmente, defende-se a ideia de que algumas pessoas nascem em total privilégio, enquanto outras nascem desprivilegiadas. Você já não acredita nisso, não é mesmo? Porém, essa noção de privilégio e desprivilegio vem acompanhando o homem há muito tempo e está relacionada com a crença na existência de um ser superior.
É importante entendermos que a filosofia de vida do ser humano é determinada pela religião, pois dela decorrem as regras sociais e morais. A religião exerceu influência marcante na imagem que o homem tinha de si mesmo.
O mito da separação
A visão de si mesmo como vítima está arraigada no homem há milênios. No ocidente, essa visão contou com o reforço de algumas crenças religiosas. A filosofia de Cristo, por exemplo, nunca foi suficientemente bem entendida. A ideia da integração com a fonte de vida sempre esteve implícita em seus ensinamentos – “Eu e o pai somos um”, Vós também sois deuses” . – anulando a noção do homem separado de Deus e consequentemente vítima desse ser.
Essa imagem de um Ser distante que julga e castiga, aliada à concepção da impureza do homem, fortalecem o mito da separação, ou seja, mantém o homem na ilusão de estar separado de Deus e de toda a natureza.
Quando o homem está na dependência externa, são os outros que comandam sua vida. Ele não desenvolve a capacidade de usar as habilidades interiores para criar resultados benéficos. Como a pressão externa é muito forte, o homem, incapaz de corresponder a todas as normas impostas começa a sentir: revolta, porque se vê tolhido na liberdade de ação. Culpa, porque não consegue cumprir as exigências absurdas e perfeccionistas impostas. Medo de viver e errar, porque acredita em punição e castigo (e somos nós que sempre nos impomos punições). Medo da reprovação alheia e da rejeição (na verdade nós estamos rejeitando a nossa própria essência)
Em suma, o paternalismo não deixa o indivíduo crescer. Paternalismo e competência não andam juntos.
Ao romper com a dependência externa, o homem faz do eu interior o seu guia. O eu interior é a essência que capta a vida como ela realmente é e não como parece ser.
Nessa postura, o homem discerne o real do ilusório, porque está ligado na essência, no sentir, e não nas distorções da mente. A mente distorce o verdadeiro, pois está repleta de valores morais, sociais e condicionamentos que nos levam a ver a vida de acordo com o senso de realidade que criamos para nós.
Tudo é uno
Nós, reencarnacionistas, acreditamos que nascemos várias vezes, entre outras razões, para adquirir o controle da mente e não pagar débitos ou resgatar erros de outras vidas.
“Partimos estados inferiores de consciência e vamos ganhando clareza e complexidade. No atual estágio, a disciplina e a estreiteza do mundo físico possibilitam o ganho, o controle e o adestramento de nossos poderes.”
Ainda criamos muitas ilusões que invariavelmente resultam em sofrimento. Porém, podemos fazer bom uso da imaginação no sentido de despertar a criatividade e a mobilização para atitudes que abasteçam nossas verdadeiras necessidades.
No estado de maturidade, o indivíduo se interessa em desenvolver seus potenciais e torna-se disposto para aprender tudo que lhe é possível. 
Essa atitude benevolente está aliada à compaixão, que é a capacidade de aceitar os outros como são, entendendo que cada um tem seu tempo para perceber as coisas que lhe beneficiam ou prejudicam na vida.
Integrado com o todo, o homem não sente mais o medo da solidão e do desamparo. Começa a se sentir interiormente mais firme e corajoso, recuperando o poder que sempre foi seu: o de comando da própria vida. 
Deduções Integradoras
Se somos um com a Inteligência Universal, logo só há uma inteligência. Não existe a sua ou a minha inteligência isoladamente. O que existe é o quanto você está permitindo que a inteligência Universal flua. Se ela flui em todos nós, isso significa que temos a infinita Sabedoria à nossa disposição para criar soluções e descobertas no momento que precisamos.
O mesmo é válido para o amor. O amor é eterno e ocorre em nós de acordo com o grau de limitação que cada um impõe. Normalmente, essas limitações aparecem em forma de condições: eu só amo se ....................”
A força é uma em todos, logo não existe pessoa fraca, existem apenas aqueles que acreditam que são. Muitas vezes, passamos por uma situação que nos exige um esforço extremo e quando tudo se resolve, percebemos com espanto o que fomos capazes de realizar.
Luiz Antônio Gasparetto, "Faça Dar Certo - Cap. 3".

Sexo

 O sexo é tão importante porque é a fonte de toda a vida. É algo tão significante que, se você o reprimir, terá que reprimir também muitas outras coisas. Por exemplo, a pessoa que está sexualmente reprimida não conseguirá ser criativa, porque a criatividade em si é um tipo de atividade sexual.
Segundo o que eu tenho observado, se uma pessoa é completamente criativa, ela irá transcender o sexo sem reprimi-lo, porque sua própria energia terá se tornado criativa. Essa pessoa não vai precisar do sexo, embora também não vá tentar evitá-lo, mas a própria necessidade desaparecerá. Ela terá atingido um êxtase muito superior, e as coisas menos elevadas tendem a desaparecer quando você tem coisas mais elevadas em suas mãos.
Tente entender minha aritmética: nunca deixe de lado aquilo que é menos elevado, mas tente obter o mais elevado. Quando o mais alto for conquistado, o menos elevado tende a desaparecer por conta própria. E quando este desaparece em função do que é mais elevado, então a vida se torna mais bela, mais saudável e completa.
Um verdadeiro poeta, enquanto produz, cria, compõe, se esquece completamente de sexo. Um verdadeiro escultor, concentrado em seu trabalho, se esquecerá completamente de sexo. Mesmo que uma mulher nua passe por perto, ele não irá olhar para ela, pois sua concentração está inteiramente voltada para sua criatividade. Um verdadeiro dançarino desaparece em sua dança: seu ego, seu sexo, tudo é dissolvido por sua dança.
Mas, se o sexo for reprimido, então acontecerá justamente o contrário: sua criatividade ficará reprimida, e uma criatividade reprimida significa muitas coisas. As implicações disso são muito grandes, porque há uma multidimensionalidade presente. Se sua criatividade for reprimida, sua ciência e o pensamento científico desaparecerão...
Se sua vida sexual estiver fluindo com alegria, você terá um enorme interesse por tudo o que está fazendo.
Na minha opinião, o sexo é a semente: o prazer. Se você permite que o sexo cresça de forma natural, que ele seja respeitado, valorizado, então há uma transformação, uma metamorfose. O sexo começa a se expandir em uma folhagem de arte, música, poesia, dança e mil outras dimensões criativas.
Ele é apenas a semente, ou as raízes, mas, se for sustentado, alimentado, irrigado, cuidado, então muitos galhos crescerão, muitas folhas surgirão, muitas folhas verdes se espalhando em todas as direções, dançando ao vento, na chuva, no sol... Esse é o mundo da arte, o mundo da estética. E se você permitir que o mundo da estética atinja seu pico mais alto, então as flores surgirão.
Osho, "Osho de A a Z: Um Dicionário Espiritual do Aqui e Agora".

Princípios da prosperidade (1)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

A cada momento uma nova escolha
Primeiro passo: o princípio do subconsciente
Nunca é demais repetir que a vida flui em função do que você acredita.
Talvez você concorde com a ideia de que seus pensamentos criam sensações em você, mas o que isso tem a ver com as condições ao seu redor? Como pode o pensamento influenciar o destino? Nós não nascemos com um destino, segundo a vontade de Deus?
Todas as crenças que temos repercutem na nossa vida tanto de modo favorável como desfavorável. Se uma pessoa, por exemplo, acredita que na vida é preciso lutar muito para conseguir alguma coisa, toda sua ação será dificultosa e exigirá muito empenho e esforço, porque é nisso que crê. Ela não acredita que as coisas possam vir facilmente em sua vida. Porém, assim como um dia essa pessoa formulou suas crenças e acreditou nelas, pode mudá-las no momento que quiser.
A questão das escolhas que fazemos está estritamente relacionada com a mente, por isso, é significativo abordar seu mecanismo.
A mente possui três níveis: o consciente que é lúcido, limitado; o inconsciente que é profundo e sem limites, e o subconsciente que funciona como uma porta entre o consciente e o inconsciente.
Na mente consciente, você tem o poder de escolher, de optar pelo que quer. Na escolha, é o querer que movimenta a atenção; a vontade é a força que move o foco da atenção. E onde estiver sua atenção, estará sua consciência – a atenção – que focaliza e que tem vontade, tem também o poder de dar maior ou menor importância às situações observadas.
O subconsciente tem a habilidade de materializar na sua vida tudo aquilo que você estampou nele. Por exemplo, quanto mais você presta atenção nos comentários dos outros a seu respeito, mais você se impressiona e quanto menos atenção você dá, menos existe impressão. A parte consciente da mente é que faz tudo isso. Ela observa, raciocina, discrimina, escolhe e faz uma síntese para depois lhe atribuir, ou não, validade e importância.
Ao se impressionar com algo, você põe vida, crença e força nesse algo, e essa força vai tomando o molde de um pensamento que você esta acreditando e torna-se um padrão, um programa em seu subconsciente. A energia de vida passa pelo subconsciente, assume os programas ali gravados e os utiliza para criar as diversas situações em sua vida.
Tudo começa em uma escolha. Se a atitude de dar enorme importância às coisas foi ativada, é porque você a preferiu por lhe parecer a melhor no momento. Com isso, essa escolha se torna uma impressão que irá ficar estampada no seu subconsciente. Mesmo que com o tempo você se esqueça dessas impressões, esse material supostamente esquecido vai ficar ali gravado.
Você é 100% responsável pelo modo como o seu destino caminha. Todos nascemos como bebês, passamos pela infância, e é como a vida manda. Mas o tipo de bebê que você foi, e o que passou na infância e como vai viver a fase adulta é você quem escolhe. Portanto, cuidado para não dar importância às coisas que não vão lhe trazer benefícios.
O senso de realidade
Já que você vive em cenários construídos de acordo com seu senso de realidade, não existe realidade externa, independente de você. O que existe é a capacidade de validar as coisas como reais para você.
Tudo é como VOCÊ CRÊ!
O senso de realidade é determinado pelos seus padrões de pensamentos, sejam eles positivos, neutros ou negativos, que constroem o cenário da sua vida. Você pode ter criado, por exemplo, um cenário de dificuldades e problemas, onde nada dá certo, ou pode ter criado um cenário de sucesso e prosperidade onde tudo é abundância.
Por isso é importante observar onde estamos colocando nossa atenção e quais crenças que aceitamos como verdadeiras e que fizeram e continuam fazendo nosso destino.
Você, consciência, é que escolhe; o subconsciente não pensa, não escolhe e não tem senso de humor; ele só executa o que você escolheu, não diferenciando o real do ilusório. Se você, por exemplo, se imaginar com medo, vai provocar no organismo todas reações de medo como se tivesse frente a um perigo real.
Para o universo tudo é sempre agora
O eu consciente tem a noção de tempo e espaço, mas o subconsciente não. Para ele, o tempo é sempre o presente, o aqui e agora. Por isso, um programa que você aceitou há vinte anos pode ser mudado no momento que você quiser. O tempo de duração de um programa não o faz mais forte que a sua capacidade de mudança, de impressionar-se positivamente.
O poder de mudar está no agora. Sua verdade passa a ser o que você acredita agora. Não adianta responsabilizar os pais, a família, Deus, os espíritos ou qualquer pessoa, porque um dia você fez uma escolha que ficou estampada em seu subconsciente, validando programas para sua vida.
AGORA, o que eu escolho p/mim?
Tendo o poder de escolha, é somente sua a responsabilidade de criar respostas hábeis em sua vida e de mudá-la quando bem entender. Você tem o poder de conduzir sua vida para o lado que quiser. Todos nós temos esse poder, o importante é o quanto cada um acredita que tem. Você anseia por ter mais dinheiro, por exemplo, mas o quanto acredita que pode consegui-lo, o quanto acredita que possa materializá-lo facilmente em sua vida?
Nós temos um poder de sugestão extraordinário. Se você se sugestiona com ideias de sucesso, os negócios que estavam amarrados começam a se desenvolver, pois as amarras decorrentes das ideias de fracasso soltaram-se diante dessa nova postura mental. É só ai que as coisas podem dar certo.
Conhecendo, agora, o funcionamento do subconsciente, jamais se sinta vítima do destino ou das circunstâncias, porque a vítima não tem o poder de transformar a própria vida. Ela se vê pequena, incapaz e sozinha no mundo. Sente-se injustiçada e vê a vida como uma grande adversária que coloca em seu caminho uma série de obstáculos que a impedem de ser feliz. Sua vida é miserável, porque com esse tipo de pensamento ele se transforma numa lata de lixo que só atrai desgraças. Agindo dessa forma, vive com a cabeça cheia de problemas e insiste em não assumir a responsabilidade pela postura que tem diante da vida.
E é somente quando ela se cansa de viver o papel de vítima e resolve olhar de outra forma para a vida, que o sucesso que lhe cabe encontra lugar para ficar.
Uma pessoa que não se considera vítima sente-se parte integrante da natureza. Vê a vida como uma grande aliada, desenvolve uma auto-estima satisfatória e valoriza seu corpo e suas emoções. Sente que a vida está pronta para lhe dar tudo que é importante para seu crescimento. Jamais põe limites e acredita sempre no melhor. Imbuída de um sentimento espiritual profundo, reconhece que suas mãos podem produzir fartura em tudo que tocam. Para ela, não há problemas. Toda situação é uma aventura cheia de lições interessantes para aprender. Embora seja prudente, não tema a vida, ao contrário, sente que ela é cúmplice de seus desejos. Tudo que faz é em nome da vida. A não-vítima é uma pessoa nutritiva. SEJA VOCÊ TAMBÉM UMA PESSOA NUTIRITVA.  
Luiz Antônio Gasparetto, "Faça Dar Certo - Cap. 3".

O ego é um fenômeno falso

Quem sou de verdade? Quem?
O ego é o único problema, porém ele cria mais mil e um problemas. Ele cria ganância, cria raiva, cria luxúria, cria ciúme, e assim por diante.
E as pessoas vivem brigando, cheias de ganância, de raiva, de luxúria, mas é tudo fútil. Se a raiz não for cortada, novos galhos continuarão a nascer.
Você pode podar os galhos e as folhas, mas isso não basta. Na verdade, com a poda a árvore fica cada vez mais grossa. A folhagem fica cada vez mais espessa. A árvore fica mais forte.
Minha insistência é: não lute contra os sintomas, vá até a raiz do problema, que é só uma - o ego.
Se você aprender a ficar sem o ego, a viver como se você não existisse, a ser ninguém, um nada, então chegará ao supremo. Não há meta mais alta. E ela pode ser facilmente alcançada, porque o ego é um fenômeno falso, portanto pode ser abandonado.
Ele não é uma coisa real - é imaginário, é uma sombra. Se você continuar acreditando nele, ele vai existir. Mas, se olhar fundo, perceberá que ele não pode ser encontrado.
Meditar significa simplesmente olhar no fundo do ser procurando o ego, examinando cada cantinho do ser para encontrá-lo. Mas ele não estará em lugar algum. E, no momento em que você não o encontra em lugar algum, o ego acaba e você renasce.
Osho, "Meditações Para a Noite".