Você cria a abundância na sua vida?

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Rico é quem acredita que é!

A riqueza existe dentro e fora de você, mas só vai se manifestar em sua vida quando você acreditar que tem direito a ela, criando pensamentos prósperos, saudáveis e harmoniosos com a Natureza.
Acredito que se houvesse uma distribuição igualitária da riqueza, a questão da pobreza não seria resolvida. As pessoas usariam a riqueza de acordo com suas capacidades e após algum tempo haveria novamente ricos e pobres. Os de mentalidade próspera multiplicariam o dinheiro, enxergariam chances de progredir; os demais, com certeza, perderiam tudo.
No Brasil, parece que só o pobre é considerado trabalhador, sofredor e oprimido; o rico não. Parece, também, que os esforços por todo trabalho que levou a pessoa à prosperidade, não são reconhecidos. Os valores estão invertidos. Neste país, faz-se mais críticas do que elogios às pessoas prósperas e bem-sucedidas.
Ouço muitas pessoas dizerem que gostariam de ter uma vida mais abastada, com mais dignidade e mais liberdade. Mas o que fazem para obter o que desejam? Será que creem firmemente que podem ter o que anseiam? Na verdade, todos nós temos muitas maneiras de condicionar a mente e alcançar tudo o que queremos, mas como preservar o que vamos conquistar?
As leis são exteriorizações de um sentimento interno. Se as pessoas não tiverem maturidade para compreender os benefícios advindos das leis e teimaram em viver “levando vantagens” em cima dos outros, essas leis permanecerão sendo apenas frases impressas no papel.
No Brasil acreditamos que o pobre está no reino de Deus, pois Seu reino é dos pobres. Ser pobre é ser considerado bondoso, espiritualizado; viver na pobreza nos faz dignos de ingressar no reino dos céus. Quem é rico é visto com desconfiança e desprezo, pois vive entregue às tentações da riqueza e, por isso, corre o risco de ser desviado do caminho dos céus.
Riqueza é espiritualidade!

Outro conceito enganoso, mas bastante difundido, é o de que o pobre é humilde, e o rico, arrogante, Ser humilde não é ser o último da fila, não é ser servil. Isso é degradação.
A humildade independe da condição financeira. Ser humilde é saber observar as coisas sem ilusões, é desenvolver uma percepção objetiva e um senso de ordem, espaço, tempo e medida. É, enfim, a capacidade de focalizar a consciência integralmente.
Cada um de nós atrai um lar, um momento ou uma situação de acordo com a qualidade de nossos pensamentos. Por isso, ninguém nasce em berço esplêndido, ou em favelas, por acaso.
Porém, alguns ainda persistem com a visão de que carma significa pagar por crimes, ou pecados, e que a miséria é uma punição de Deus pelos abusos cometidos em outras vidas e que nada se pode fazer até que se salde a dívida.
A vida não quer abstinência, sofrimento, nem escassez. Ela nos proporciona os meios para evitarmos isso. Permita, então, que as riquezas entrem em sua vida. Riquezas intelectuais, artísticas, criativas e também financeiras. Riquezas são conquistas alcançáveis quando você possui em mentalidade próspera.

E nunca se esqueça de que CRER É CRIAR.

Luiz Gasparetto, "Faça Dar Certo".

A importância da auto-estima

Nossas reações aos acontecimentos do cotidiano são determinadas por quem e pelo que pensamos que somos. Os dramas da nossa vida são reflexo das visões mais íntimas que temos de nós mesmos. Assim, a auto-estima é a chave para o sucesso ou para o fracasso. É também a chave para entendermos a nós mesmos e aos outros.
Desenvolver a auto-estima é desenvolver a convicção de que somos capazes de viver e somos merecedores da felicidade e, portanto, capazes de enfrentar a vida com mais confiança, boa vontade e otimismo, que nos ajudam a atingir nossas metas e a sentirmo-nos realizados. Desenvolver a auto-estima é expandir nossa capacidade de ser feliz.
Se entendermos isso, poderemos compreender o fato de que para todos é vantajoso cultivar a auto- estima. Não é necessário que nos odiemos antes de aprender a nos amar mais; não é preciso nos sentir inferiores para que queiramos nos sentir mais confiantes. Não temos de nos sentir miseráveis para querer expandir nossa capacidade de alegria.
Quanto maior a nossa auto-estima, mais bem equipados estaremos para lidar com as adversidades da vida; quanto mais flexíveis formos, mais resistiremos à pressão de sucumbir ao desespero ou à derrota.
Quanto maior a nossa auto-estima, maior a probabilidade de sermos criativos em nosso trabalho, ou seja, maior a probabilidade de obtermos sucesso. Quanto maior a nossa auto-estima, mais ambiciosos tenderemos a ser, não necessariamente na carreira ou em assuntos financeiros, mas em termos das experiências que esperamos vivenciar de maneira emocional, criativa ou espiritual.
Quanto maior a nossa auto-estima, maiores serão as nossas possibilidades de manter relações saudáveis, em vez de destrutivas, pois, assim como o amor atrai o amor, a saúde atrai a saúde, e a vitalidade e a comunicabilidade atraem mais do que o vazio e o oportunismo.
Quanto maior a nossa auto-estima, mais inclinados estaremos a tratar os outros com respeito, benevolência e boa vontade, pois não os vemos como ameaça, não nos sentimos como “estranhos e amedrontados num mundo que nós jamais criamos”, uma vez que o auto-respeito é o fundamento do respeito pelos outros.
Quanto maior a nossa auto-estima, mais alegria teremos pelo simples fato de ser, de despertar pela manhã, de viver dentro dos nossos próprios corpos. São essas as recompensas que a nossa autoconfiança e o nosso auto-respeito nos oferecem.
Auto-estima, seja qual for o nível, é uma experiência íntima; reside no cerne do nosso ser. É o que EU penso e sinto sobre mim mesmo, não o que o outro pensa e sente sobre mim. Ninguém pode respirar por nós, ninguém pode pensar por nós, ninguém pode nos dar autoconfiança e amor-próprio.
De qualquer forma, a auto-estima está em nossas próprias mãos. É uma responsabilidade exclusiva de cada um.  Assuma o controle de si. Não existe força no universo capaz de anular o SEU arbítrio - a não ser você mesmo. Pare de reagir e retome a posse da sua vida. VOCÊ é o poder!


Louise Hay, "Como Aprender a Gostar de Si Mesmo".

... energia (4)

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

O homem não pode ser saudável e feliz na maldade. Ele sofre. Apaga a luz dele e ele sofre. No mínimo, fica um tédio, um vazio, uma coisa amarga dentro dele. Perdido, cheio de ansiedade, na busca sem nunca ter encontro. Qual é o encontro do homem? O único encontro do homem é dentro de si, é o encontrar-se. Seu compromisso nesta vida é encontrar-se, acendendo a luz dentro de você, porque só você tem o botãozinho que liga e desliga. E finalmente aprender a manter a sua luz acesa.
Por isso, estou eu aqui. Eu preferi, porque já fui muito encrenqueiro. Agora quero viver na paz, no amor. Ah, o amor lava a multidão de pecados. Ah, que se dane que você é ruim para mim, pois eu gosto de você! Ah, você brigou comigo? Mas eu gosto de você. Pode ficar me cutucando aí três horas com o dedo nas minhas costas, que não vou perder o meu amor por você. Pode xingar, pode bater, mas não vou perder o meu amor por você.
Não tem mais obsessor interior que me vença, que me domine, porque eu não permito. Só a luz do bem. Vou vencer você. Você vai ficar manso e vai me amar. Ah, como você vai me amar! Pode me odiar bastante, porque eu vou pôr tanto amor que você não vai aguentar. Quanto mais malvado você for, mais vai estar na secura. E quanto mais estiver na secura, mais precisa do meu amor, e quanto mais precisar, mais você vai se aproximar de mim. E quanto mais se aproximar de mim, mais vou te amar. E quanto mais eu te amar, mais você vai ter que ceder um dia. E no dia em que você ceder, nós vamos ser muito queridos. Vamos nos querer muito bem, nos respeitar muito e vamos ter uma torrente de coisas boas entre nós. E assim será, pois já é em mim!
É assim que eu vou pensar mesmo, porque agora sou um guerreiro do bem. Você vem com a agressão e eu vou com a luz. Você vem com a palavra ruim e eu vou com a palavra bonita. Você vem com a desconfiança e eu vou com a confiança. Você vem com os medos e eu vou com a coragem. Você vem com a choradeira, eu vou com a alegria. Você vem com a queixa, eu vou com o elogio. Aí ninguém me pega. Que coisa ruim pode me pegar, se meu campo é positivo? O que eu posso atrair? Só coisa boa. Só as pessoas que se sentem bem do meu lado. Já querem me fazer tudo, já querem me dar tudo. E tudo fica facinho na minha vida, nos meus negócios, na minha casa. Tudo fica bom.
Se está tudo tão bom é porque está mesmo e vocês é que não veem. Por isso que eu digo: está tudo bom, minha gente! Olhe para as coisas. Está tudo bom, de verdade verdadeira. Entre no bem de coração, minha filha, que você vai ver como tudo melhora. Largue a aflição com a família, largue a aflição com o trabalho, com o emprego, com o dinheiro, largue o medo. Recuse-se a dar ouvidos a essas vozes negativas:
- Não quero, assim não vou! Vou pôr uma energia boa, vou tomar um pouco de sol, vou botar uma música que eu gosto, porque vou me pôr no bem. O mundo vai se resolver se eu mudar a minha energia. Então, vou mudar, vou seguir o que o Calunga falou. Vou experimentar.
Aí, você põe um samba e canta, canta, canta, canta de tudo. Vai fazendo aquele mantra, vai fazendo o pensamento no seu peito, vai pondo luz para todo mundo. Ah, que bênção! Vamos pôr luz, porque para mim está tudo bom, tudo é beleza!
Passa um ali, vem reclamando, e você diz: tudo bem, abençoada reclamação! Não encrenque com nada. Vem outro chato fazer outra reclamação e você: que beleza, como você está bem! A pessoa reclamando e você dizendo: que beleza, como você está bem! E a pessoa vai parando: que beleza, que luz que você tem hoje! Pronto. Ela já parou de reclamar e ficou assustada. Já começou a mudar a energia dela. Pois você pensou: eu não vou deixar aquela energia ruim em casa.
- Ah, mãe, porque eu estou preocupado com a prova. Ai, meu Deus!
- Meu filho, você está ótimo. Vejo uma luz forte com você. - Pode falar, porque se você não vir com os olhos, então está vendo a luz da alma dele só precisando de um pouco de energia para pegar o arranque e depois o seu filho vai continuar a manter tudo aceso. - Ai, que beleza.
- Ah, mãe, repeti de ano. - Ah, que bom! Vai fazer tudo de novo, mais devagar. Tudo é bom, minha filha. - Ah, bati o carro. - Que bom. Agora, vamos dar serviço para o mecânico. Tudo é bom! O mecânico também precisa viver. Então, está bom. Vamos ajudar a família do mecânico. Tudo é assim na vida: tudo é bom. Para mim, tudo é bom. Tudo! Aí fico no bem e tudo vira bem, tudo se acerta.


Calunga, "Tudo pelo Melhor".

... energia (3)

Todo mundo que está com problema está com o campo negativo. Se você não positivar o seu campo, não vai ter uma vida boa. Não adianta brigar com o mundo, com as pessoas, ficar com raiva de Deus. Não adianta ficar na revolta, porque, quanto mais você ficar, pior fica seu campo, pior fica sua vida. Você tem que ceder e perceber que tem que mudar a sua energia. Não adianta correr atrás de centro, de passe, de desobsessão, disso, daquilo, de psicólogo, de quem quer que seja, se você não tiver a boa vontade de mudar a sua energia. Não adianta correr, fazer massagem, correr em curso, correr para cima e para baixo, trabalhar feito um louco, rezar feito um doido, não adianta, se você não estiver a fim de mudar a sua energia no dia-a-dia.
A energia forma um campo de atração e de repulsão em volta de você. É um campo de um certo teor assim ou assado. De um jeito atrai uma coisa; de outro atrai outra. Então, você é responsável pelo que está atraindo na sua vida, pelo teor vibratório de seu campo.
Então, amolece o coração, homem de Deus, você é bom lá dentro. - Ah, Calunga, eu não quero ser bom, senão eu vou ser bobo. E por isso vai criar um campo negativo para atrair uma porção de desgraceira na sua vida? Pelo amor de Deus, seja bom! Ser bom não quer dizer que você é bobo. Pelo contrário, quer dizer que você é esperto, porque já compreendeu que só o bem cria o bem. Não tenha medo da ignorância humana. Não tenha medo da violência humana, não tenha medo das ameaças. Não tenha medo das consequências, pois elas só podem ser boas. Siga em frente e feche os olhos para o mal. Destrua o poder que você deu para o seu obsessor interior que os obsessores exteriores também desaparecerão. Não escute o medo, pois ele é a voz do mal. Sai disso, minha filha!

Quem pode temer a escuridão, se tem a luz dentro de si?
Quem está na luz só pode atrair a luz.
A escuridão nunca mais deve ter o poder de amedrontar você, porque onde você estiver terá a própria luz para iluminar o seu caminho. Mas você está inseguro, com medo; porque a sua luz está apagada. Você não está se responsabilizando pela luz que você tem. Está acreditando nas coisas ruins, na perdição da mente, e se não está mantendo com firmeza a sua luz no peito, então você teme. Sabe que chegando o momento em que, se a luz apagar, se a situação ficar difícil, você vai sofrer porque não confia na própria luz. Mas se não confiar, como você pode seguir, minha filha? Vai ficar se acovardando dentro de casa, presa no seu coração, nessa pobreza que é a sua vida, com a secura do amor?
A luz atrai as coisas e as pessoas iluminadas ou que sustentam as suas luzes acesas. Se você não se mantém iluminada, então não pode receber a ajuda da luz quando você precisar dela.
Meu Deus, quem pode sobreviver na secura do amor? Ninguém sobrevive, nada tem gosto, a comida não tem gosto, o dia e o sol bonito não o afetam, suas qualidades desaparecem, seus bens de nada lhe valem, você fica na miséria do vazio, porque a sua vida não tem gosto. E não adianta arranjar compromisso de filho, marido e trabalho. Não adianta, minha gente, porque a sua alma está apagada e a sua vida é sem graça. Você está mortinha, está ruim e está pronta para receber a escuridão, porque a sua alma está na escuridão. E não pense você com toda a sua vaidade:
- Ah, eu sou espiritualista. Vou na igreja, vou no centro ...
- E não é por isso que a sua alma está apagada, minha filha? Você acha que a igreja salva? Centro salva?
- Ah, Calunga, vai dar certo porque eu rezo. - Sua alma se acende na hora em que você reza, mas e depois, continua acesa? Não se iluda, minha gente, com essa imagem de que você é maravilhoso. Olhe para você no dia-a-dia. Veja se no contínuo dos momentos você está na sua luz interior, na sua bondade, sempre optando pelo bem, sempre optando pela bondade. E se está bem confiante nessa luz, você não tem medo de nada. 
Mas é pelo tamanho do medo que a gente sabe o quanto a luz está diminuída. Pois quem está no medo está com a luz fraca.
- Ah, Calunga, tenho medo de dirigir, de sair, medo de me arriscar, tenho medo de doença, tenho medo disso, tenho medo daquilo.
- Tem medo de tudo. Por que você está com medo, ó mulher? Ó homem de Deus, por que você tem medo? Por que a sua luz está sem energia? Você não é bom. Você confia nas vozes do medo, confia nas vozes desse monstro que é o seu obsessor interior e você não mais dá força para o bem que mora em seu coração. Não acende a luz do grande bem em você. Então não há salvação, não há resolução, não há prosperidade, não há alegria, não há paz, não há saúde. Não há!



Calunga, "Tudo pelo Melhor".

... energia (2)

A maior conquista e a única real conquista é a de si mesmo. Tomar posse de si e trabalhar no seu desenvolvimento e evolução. Assumir os seus pontos fracos e com amor e dedicação se dar a oportunidade de melhorar. A vida o ajuda sempre sem falhar.
Se você não tomar posse de si, outros irão invadir e dominar você. Talvez este já seja o seu caso. Talvez você já esteja invadida por energias negativas ou hospede em seu campo vibratório pessoas desencarnadas que simpatizaram com você e se encostaram tornando-se verdadeiros companheiros inseparáveis. Você os chama de obsessores e eu de companhia. Ele a atormenta e pesa, e é sua a responsabilidade de tudo.
É, minha filha, ele está sempre ali pronto para arrumar encrenca, para ser negativo, para ter medo. Está sempre pronto para duvidar e para botar, enfim, dificuldade na sua existência. Enquanto você não doutriná-lo, não acalmá-lo, ele fica ali.
A primeira coisa que você precisa fazer é compreender que ninguém pode fazer nenhum mal para você se não for através do mal em você. Como também ninguém pode fazer nenhum bem se não for através das suas virtudes, do seu bem. Se você tem um coração bom, se está ligado no seu coração bom, com a luzinha acesa, e eu chegar com a bondade, a bondade bate no seu coração e você se sente muito bem. Então significa que eu consegui lhe fazer um bem.
Se você tem lá dentro a perversidade, a mágoa, a agressão, o mimo e a condenação crítica e eu chegar perto de você dessa maneira bruta, nós também vamos nos entender. Porque vamos ter afinidade. Se eu chegar estúpido para você e, no entanto, você estiver ligada no seu coração, a minha estupidez não a afeta, não, minha filha. Não tem jeito, porque não há afinidade.
Às vezes, eu chego até com amor e carinho, mas você está na brutalidade, então você também não está afinada e não vai querer meu carinho. Mas se eu insistir na minha posição, você pode até mudar de idéia. Agora, se é você que está me atormentando e eu estiver no bem, você nem consegue chegar perto, pois a desafinidade funciona como uma força repulsiva.
A maioria de nós tem um obsessor que nós mesmos fazemos com nosso poder mental e que pode vir a atrair os desencarnados iguais a ele.
Com nosso medo de ser o que somos achamos que devemos fazer o mal para se defender do mal e com isto criamos um monstro dentro de nosso campo vibratório. Quando você entra na maldade dos outros você alimenta esta possibilidade. Aí quando quer agir no bem ele vem e a convence a ser perversa em nome do bem.
Você está plantando e vai colher. Não me venha com conversa de que você está se defendendo, de que você é incapaz ou de que não dá.
- Tem hora que não dá, Calunga, eu fico nervoso. Ora, meu filho, se você se deixa ser possuído pelo seu obsessor interior, se você gosta da desculpa de que você é assim e que está sendo autêntico e continua a ser cruel, então você o mantém vivo em você.
Eu quero ajudar mostrando o que você está fazendo. A minha esperança é de que você ceda para essa coisa boa dentro de você. Minhas mensagens aqui têm sido só disso, só de falar disso de todas as formas que eu souber falar, alertando vocês de que vale a pena ser bom, de que a bondade tem força, de que a paz e a harmonia interior vêm dessa bondade e que todo mundo tem essa bondade. Qualquer homem, por mais cruel que lhe pareça, por mais desorientado e louco, ele tem bondade. Ele está fechado, porque resolveu se fechar. E quando a pessoa fecha a sua energia, não adianta nada. 
Você vê essas mulheres todas que reclamam que não têm homem:
- Ah, porque não tem mais homem na praça, como antigamente. Queria tanto arranjar alguém para mim. Queria tanto resolver a minha vida afetiva.
Tem homem também falando a mesma coisa, vocês não veem, mas tem. O homem é mais discreto, não costuma falar, enquanto a mulher já fala logo. Uai, fico pensando:
- Tem sempre gente muito interessante na vida. Depois, sempre tem uma porção que combina com a gente. Então o que está acontecendo? Foi essa pessoa que fechou sua energia. É como aquelas pessoas loucas por dinheiro. Mas elas não têm dinheiro, porque fecharam seus caminhos. Caminho fechado significa coração fechado.
Se você não abrir o coração na bondade, no bem, se não pensar que o relacionamento é bom, que tudo é fácil, que você é pau para toda obra, que seu coração é muito grande para deixar passar as bobagens do orgulho e da vaidade, que o bem é maior, que o amor é mais forte, se você não tiver o coração assim, não vai ter uma energia boa para atrair pessoas para você. Só atrai as coisas ruins. Por quê? Porque está com o coração fechado.
- Ah, porque assim não quero. Assim não gosto. Tenho medo disso, medo daquilo ... Porque sicrano me enganou. Não sei por que atraí essas coisas na minha vida ...
Tudo na revolta, tudo no medo, tudo na malícia. - Porque fulano mal chegou perto de mim, já foi falando isto e aquilo e eu não gostei...
Nem tentou entender a situação, pois já leva tudo para o mal. É gente ruim demais. Tem que ficar mesmo sozinha na vida ou se contentar com coisa ruim, pois ruim atrai ruim. E há as que até já assumiram:
- Ah, não quero ninguém na minha vida, não! Estou cheia. Não quero mais saber de amor. Qualquer coisa rapidinho ainda vai, mas amar mesmo, me empenhar? Não quero mais nada, não! É muito sacrifício, muita dor.
É a pessoa que está magoada, está ruim e sofre. Muitas das vezes, esconde de si mesma que está sofrendo: 
Não quero mais nada, passou. Eu estou muito bem assim. 
Mas está com problema no corpo, com dor de cabeça, com perturbação, com problema emocional, com feridas na pele. Tem problema porque está na maldade. Coração fechado é problema de saúde, limitação, obstáculo na vida, dificuldade. A energia divina não está fluindo, criando um campo maravilhoso. Se você cria um campo maravilhoso em volta de você, só pode acontecer coisa boa, só pode.



Calunga, "Tudo pelo Melhor".

... energia (1)

No mundo, tudo caminha bem. Tudo caminha para o bem, para a melhoria das coisas. A cada dia que passa, a vida traz novas oportunidades, renovação, e as pessoas, cada dia mais, estão entendendo e cooperando com a vida. O bem é muito forte, o bem tem resistido, o bem tem vencido. E nós estamos aqui numa prova de que o bem é forte. Estamos aqui nesse momento de aconchego da energia boa, da procura do bem.

Estou muito feliz porque tem muita gente entendendo tudo o que estou dizendo. As pessoas, às vezes, são difíceis de entender, mas quando você vê que elas estão refletindo, começando a entender as leis da vida, eu vou me dando a alegria de saber que estou conseguindo passar uma mensagem positiva, criando ao meu redor e ao redor das pessoas que estão ligadas comigo uma energia melhor. 
Você sabe que quando a gente amadurece passa a se preocupar muito com a energia. No mundo aí de vocês e no meu, tudo é energia. É nas leis da energia que você precisa pôr atenção, porque carece conhecer para saber lidar com o que acontece com a gente. E tudo o que está acontecendo agora mesmo é energia. A energia é criada pelas nossas atitudes, pelos nossos hábitos, pelo jeito de pensar, pelo jeito de falar, pelo jeito de se posicionar no dia-a-dia. A vida, então, só pode melhorar quando nós melhoramos a nossa energia.
É por isso que temos um centro onde as pessoas da Terra e nós, os desencarnados, vamos somando nossos conhecimentos e nossos dons para podermos exercer o poder energético sobre as pessoas, mudando assim o campo energético de cada um que nos visita. Chegam nesse centro pessoas com todo tipo de queixa: ai daqui e ai de lá, por causa disso, por causa daquilo.
Através da mediunidade ou da boa vontade das pessoas - que, às vezes, apesar de não terem muita mediunidade, têm um coração bom -, estamos ali somando as energias por meio de luzes e de outras técnicas para fazer com que o povo receba essa energia e mude o seu campo vibratório. Minha gente, precisamos começar a falar em campo vibratório.
Vocês precisam entender as coisas pelo lado da energia, se quiserem sobreviver. Se quiserem ter sucesso, precisam aprender a manipular a energia do bem através da sua mente, da sua atitude, do seu coração, para provocar o bem e para saber lidar com as energias negativas que estão à sua volta.
É muito fácil lidar com a energia negativa, porque ela é fraca, enquanto a energia do bem é forte. Se cultiva o bem, você vence. Mas se não está seguro no bem, se titubeia, o que acontece? Você cai na tentação do mal e, se cair na malvadeza, o mal pega. Você cria, então, um campo negativo e aí vai comer no prato que fez, vai dormir na cama que arrumou.
Sempre que as pessoas vêm com reclamação, já sei que alguma coisa elas aprontaram para estar onde estão. Não estou aqui para repreender ninguém. Nem estou aqui, minha gente, para criticar ou ficar infernizando ninguém. Já tem coisa ruim demais aí no mundo para eu somar com a ruindade. Minha expectativa é que vocês digam: "É verdade, Calunga, vamos aprender, vamos renovar". Esse é meu intuito.
A gente precisa saber se olhar com amor, com paciência. Se nós queremos estar firmes e fortes, precisamos de dedicação interior. Vocês ficam muito voltados para a vida de fora e, às vezes, esquecem da vida de dentro. Esquecem que o seu interior também precisa de dedicação e de cuidados. Ninguém pode exibir uma qualidade sem empenho no desenvolvimento dessa habilidade. Os dons, os potenciais, Deus deu, mas é preciso empenho para que a qualidade venha a servi-lo, porque tudo está aí para servir a você. É preciso antes investir para só então ser servido.
Assim funciona a lei para todos, seja de qualquer cor, qualquer raça, qualquer nível cultural, qualquer um. Não tem privilegiado no planeta, nem nunca teve. Não tem santo que tenha privilégios. Tudo é conquista.


Calunga, "Tudo pelo Melhor".

... a vida fala em cada experiência

domingo, 29 de agosto de 2010

A gente morre de medo da morte. Se começa a doer, a gente logo se rende. Mas, primeiro, grita de dor, se revolta e não aceita:
- Como eu estou doente? Como a minha vida está assim?

Chega o dia, no entanto, em que você se rende, porque a vida é mais forte. Então, você dá a mão à palmatória e diz a grande frase que todos nós deveríamos dizer sempre:
- Olha, Deus, seja feita a Sua vontade. Está tudo perdido mesmo. Eu vou morrer? Então vou morrer. Vou passar por uma cirurgia? Então vou passar. Vou ficar sozinho? Então vou ficar.

No momento em que você se rende, se rende à vida e deixa a vida guiá-lo. A vida é sempre muito gentil, muito leve, muito amorosa. A vida é uma grande mãe que o abriga no seio dela. E quando você cede para ela, quando sai da arrogância e das ilusões, a vida o dirige com nobreza, com profundidade, com uma elegância que só Deus tem, porque Deus é um ser de muita elegância, tem um senso de humor, de alegria e de leveza muito grande. É uma pena que a gente pense que Deus tem cara de homem. Por que será que não tem cara de mulher? É porque a gente está sempre achando que o homem tem que mandar.

Na espiritualidade, a gente vale o que é. Não é o sexo que conta. Claro que a gente continua com o sexo, mesmo depois da morte, porque estamos habituados com uma série de coisas que para nós ainda é importante. Mas a vida é muito grande. Deus tem a cara de todo mundo. Seria tão bom se a gente pensasse: "Ah, todo mundo tem a cara de Deus ... " Olhe para o seu filho, ele tem a cara de Deus. Olhe para o cachorro, tem a cara de Deus. Tudo o que você olhar em volta, até a barata, tem a cara de Deus, porque Deus é uma coisa muito grande que está em tudo. E a gente precisa sentir esse tudo, essa grandeza na vida da gente.

Por isso, se você está desesperado, é porque anda sozinho. Esqueceu de carregar consigo as forças da vida. Deus acompanha a gente constantemente. Nas nossas ilusões, contudo, a gente pensa que está só, pensa que está sem as forças divinas. Mas como você estaria vivo se as forças divinas não estivessem fazendo você viver, se não estivessem dirigindo o seu corpo, o seu metabolismo? Se não estivessem garantindo o dia seguinte, o sol no lugar dele, garantindo você aí no seu corpo, garantindo o seu dia-a-dia? Como se poderia sobreviver sem isso, minha gente? Impossível.

Às vezes, na nossa lucidez, somos arrogantes. No fundo, sabemos que somos Deus também, mas na consciência pensamos que temos que fazer tudo sozinhos. Então, quebramos nossas ligações com as forças divinas em nós e os obstáculos aparecem e tudo fica parado até você voltar-se para dentro e dizer:
- Espera lá. O caminho que estou seguindo não vai me levar à felicidade. Eu não posso ir sozinho. Eu e Deus somos um.
Nesta hora as forças do Universo voltam a fluir em sua vida e tudo começa a andar de novo. Mas não adianta só falar, é preciso agir de acordo com o que se crê.

Deus só faz através de você. Por isso, contar sempre com Ele é o segredo dos que parecem ter sorte. A sorte não existe, minha gente! Tudo é a gente que de uma ou outra forma faz acontecer. Para se sentir seguro é preciso contar com o invisível. Só o invisível dá alguma garantia. O visível é inconstante e passageiro, mas Deus que é o invisível é que garante o milagre.

Não existe este "eu isolado", pois tudo está integrado.

Se você pensa estar isolado e que por isto tem que fazer tudo sozinho, então está pondo de lado os poderes invisíveis e é por isto que tudo pára e se complica.


Calunga, "Tudo pelo Melhor".

A solitude é a sua natureza

O primeiro ponto a perceber é que, querendo ou não, você está sozinho. A solitude é a sua verdadeira natureza. Você pode tentar esquecê-la, tentar não ficar sozinho fazendo amigos, tendo amantes, misturando-se à multidão... Mas tudo o que você fizer fica apenas na superfície. No fundo de você, sua solitude é inatingível, intocável.
Um curioso fato acontece com todo ser humano: quando ele nasce, a própria situação de seu nascimento começa numa família. E não existe outra maneira, porque o recém-nascido humano é o recém-nascido mais frágil em toda a existência.
Outros animais nascem completos. O cachorro vai continuar sendo um cachorro durante toda a vida; ele não vai evoluir, não vai se desenvolver. Sim, ele ficará mais velho, mas não ficará mais inteligente, mais consciente, não se tornará iluminado.
Nesse sentido, todos os animais pertencem exatamente no ponto em que nasceram; nada de especial muda neles. A morte e o nascimento deles são horizontais — numa só linha.
Somente o ser humano tem a possibilidade de seguir na vertical, para cima, e não apenas na horizontal. Mas a maioria das pessoas se comporta como os outros animais: a vida é apenas um envelhecer, e não um amadurecer. Amadurecer e envelhecer são experiências totalmente diferentes.
O ser humano nasce numa família, entre seres humanos. Desde o primeiro momento, ele não está sozinho; portanto, ele adquire um certo padrão psicológico de sempre permanecer com pessoas. Em solitude, ele começa a ficar com medo... medos desconhecidos. Ele não está exatamente consciente do que está com medo, mas, quando ele se afasta da multidão, algo dentro dele fica pouco à vontade. Quando está com os outros, ele se sente aconchegado, à vontade, confortável.
Por essa razão, ele nunca vem a conhecer a beleza da solitude; o medo o impede. Por ter nascido num grupo, ele continua fazendo parte de um grupo. E, à medida que envelhece, começa a formar novos grupos, novas associações, novos amigos. As coletividades já existentes não o satisfazem — a nação, a religião, o partido político — e ele cria suas próprias novas associações, Rotary Club, Lions Club... Mas todas essas estratégias estão a serviço de um só objetivo: nunca ficar sozinho.
Toda a experiência de vida é a de conviver com outras pessoas. A solitude parece uma morte. De uma certa maneira, ela é uma morte, a morte da personalidade que você criou na multidão. Esse é um presente das outras pessoas para você. No momento em que você se afasta da multidão, também se afasta da sua personalidade.
Na multidão, você sabe exatamente quem você é; sabe seu nome, sua posição social, sua profissão, sabe tudo o que é necessário para o seu passaporte, para sua carteira de identidade. Mas, no momento em que você se afasta da multidão, qual é a sua identidade? Quem é você?
De repente, você fica consciente de que você não é seu nome — seu nome foi dado a você. Você não é sua raça — que relação tem a raça com a sua consciência? Seu coração não é hindu nem muçulmano, seu ser não está confinado à fronteira política de uma nação, sua consciência não é parte de alguma organização ou igreja. Quem é você?
De repente, sua personalidade começa a se dispersar. Este é o medo: a morte da personalidade. Agora você precisará começar a descobrir, precisará, pela primeira vez, perguntar quem você é. Você precisará começar a meditar sobre a questão, quem sou eu? — e existe o temor de que você possa não ser absolutamente nada! Talvez você não seja nada, mas uma combinação de todas as opiniões da multidão; nada, exceto sua personalidade.
Ninguém quer ser nada, ninguém quer ser ninguém e, na verdade, todo mundo é um ninguém.
Osho, em "Amor, Liberdade e Solitude: Uma Nova Visão Sobre os Relacionamentos".

Exaustão

sábado, 28 de agosto de 2010

O homem que vive através da consciência mental torna-se pesado. Aquele que vive com consciência permanece leve. Por quê? - porque um homem que tem apenas algumas ideias a respeito de como se deve viver, naturalmente se torna pesado. Ele se sente obrigado a carregar consigo o seu caráter. Esse caráter é como uma armadura: é a sua proteção, a sua segurança. Toda a sua vida está investida nesse caráter.
E ele sempre reage às situações através desse caráter, nunca diretamente. Se você lhe faz uma pergunta, a resposta é pré-fabricada. Esse é o sinal de uma pessoa "pesada" - ela é enfadonha, estúpida, mecanizada. Ela pode ser um bom computador, mas não é um homem. Você provoca e ela reage de uma maneira bem definida. A reação é previsível: ela é um robô. 

O homem verdadeiro age de maneira espontânea. Se você lhe faz uma pergunta, obtém uma resposta, não uma reação. Ele abre o coração para a sua pergunta, expõe-se a ela, responde a ela...
Osho Take it Easy, Volume 1 Chapter 13

Comentário:
Eis aqui o retrato de uma pessoa que esgotou toda sua energia vital nos esforços que fez para manter em funcionamento sua enorme e ridícula máquina de imagens pessoais de importância. Ela esteve tão ocupada "mantendo as partes ligadas entre si" e "assegurando-se de que tudo funcionava bem", que se esqueceu de descansar de verdade. Sem dúvida, esse personagem não pode permitir-se qualquer distração. Deixar de lado suas obrigações para dar um passeio na praia poderia significar o desmantelamento de toda a estrutura.

A mensagem desta carta não é, entretanto, apenas a respeito de ser um viciado em trabalho. Ela se refere a todas as maneiras pelas quais criamos rotinas seguras, porém contrárias à natureza, que conseguem manter longe de nós tudo o que é caótico e espontâneo. A vida não é um negócio para ser administrado: é um mistério a ser vivido. Já é tempo de rasgar o cartão de ponto, escapar da fábrica e fazer uma pequena viagem pelo desconhecido. O seu trabalho poderá fluir mais suavemente a partir de um estado relaxado de mente.
de OSHO, O Tarô Zen.

Palavra de Criança (10)

Doença
... é uma sirene bem barulhenta que a gente tem dentro da gente. Toda vez que o nosso coração fica apertado ele grita bem alto, mas às vezes a gente está distraído e nem ouve, aí ele toca a sirene pra gente saber que ele está precisando de nós.
“Procure bater um papo com seu coração.”
Personalidade
... é uma parte da gente que às vezes é que nem uma criança teimosa que quer decidir tudo sozinha; aí ela esquece que tem intuição, ignora os conselhos da alma e cria um monte de confusão.
“Ensine sua personalidade a respeitar sua intuição.”
Fracasso
... é uma coisa que a gente sente quando só quer fazer coisas certas. Não é verdade que a gente fracassa. Às vezes a gente erra, mas aí é que a gente aprende a fazer uma coisa ainda melhor.
“Aceite seus erros para que eles possam ensiná-lo.”
Amor
... é aquilo que a gente sente quando fecha os olhos e deixa que tudo se transforme num céu estrelado e a gente sabe que não existe nada nem ninguém que não faça parte desse céu.
“Deixe as estrelas iluminarem seu coração.”


Patricia Gebrim, "Palavra de Criança."

Enfrente o último tabu

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Deus não é, na verdade, o ponto central da inquirição religiosa - a morte é. Sem a morte, não haveria religião nenhuma. É a morte que faz o ser humano buscar o transcendental, a imortalidade.
A morte nos cerca como o oceano cerca uma pequena ilha. A ilha pode ser inundada a qualquer momento. O momento a seguir pode nunca acontecer, o amanhã pode nunca chegar.
Os animais não são religiosos pelo simples fato de que não têm consciência da morte. Eles não podem se imaginar morrendo, embora vejam outros animais morrendo. 
Trata-se de um salto quântico ver um ser morrendo e concluir: "Eu também vou morrer". Os animais não estão tão alertas, tão conscientes, a ponto de chegar a essa conclusão.
E a maioria dos seres humanos é também subumana. Um homem só é maduro quando ele chega a esta conclusão: "Se a morte acontece para todo mundo, eu não posso ser uma exceção". Depois que essa constatação cala fundo no seu coração, a sua vida pode nunca mais ser a mesma.
Você não conseguirá continuar apegado à vida assim como antes. Se ela um dia será tirada de você, então para que ser tão possessivo? Se ela vai acabar um dia, então para que se apegar e sofrer? 
Se a vida não vai durar para sempre, então por que ficar infeliz, angustiado, preocupado desse jeito? Se ela está escoando a cada dia que passa, não importa quando ela vai acabar. Então o tempo não tem importância - hoje, amanhã, depois de amanhã, a vida vai escorrer pelos vãos dos nossos dedos.
Osho, em “O Livro do Viver e do Morrer: Celebre a Vida e Também a Morte”.